Bispo de Western Michigan: 'Uma resposta à violência de nosso tempo'

Postado Jul 19, 2016

[Diocese de Western Michigan] Meus queridos amigos,

Na noite de quinta-feira passada, um grande veículo da SWAT do Departamento de Polícia de Grand Rapids parou em frente à minha casa. Uma dúzia de policiais com equipamento de choque completo - capacete, armadura, escudos e metralhadoras - subiram com precisão os degraus em direção a Dana e a mim enquanto estávamos sentados em nossa varanda. No topo da escada, eles viraram à direita em direção ao prédio de quatro apartamentos do outro lado do terreno aberto, sem nos notar. Imediatamente atrás deles, seguiram mais uma dúzia de policiais armados, uniformizados e à paisana, que ocuparam cargos em cada canto da casa vizinha.

Rapidamente entramos, trancamos as portas e nos escondemos atrás das cortinas, espiando timidamente a cena assustadora que se desenrolava. Dana baixou um aplicativo Police Scanner para seu smartphone para que pudéssemos descobrir o que estava acontecendo. Sem sorte. Observamos e nos maravilhamos, assustados e confusos, por longos quinze minutos até que a cena tensa começou a se desfazer com os policiais baixando as armas e voltando para a rua.

Um oficial vestido com equipamento de choque chegou perto de nossa casa, então eu saí e perguntei o que ele poderia me dizer sobre o que estava acontecendo. Ele disse de maneira muito educada e direta que esta não era uma cena ativa. Ele disse que estavam agindo sob um mandado de busca. Presumo que envolva drogas porque logo depois dois cães policiais apareceram na porta ao lado. Ele se desculpou por usar nossos degraus. “Não, não, obrigado pelo seu serviço”, eu disse aliviado pelo incidente ter terminado de forma pacífica e sem violência.

Nas últimas duas semanas, vivenciamos uma violência angustiante contra policiais em Dallas e Baton Rouge. Estou muito grato por aqueles que assumiram a difícil, quase impossível tarefa de proteger e servir - policiais, bombeiros, técnicos de emergência médica e nosso pessoal militar. Colocar a vida em perigo pelo bem de outrem é nobre e sagrado. Continue a orar por esses servos e suas famílias.

Meu recente encontro com nossa força policial local foi assustador, para dizer o mínimo. Eu estava, mesmo que momentaneamente, com muito medo pela minha segurança e pela segurança de Dana enquanto aquela equipe fortemente armada se movia em nossa direção.

Acho que posso entender melhor agora por que as pessoas de cor, que sofrem desproporcionalmente mais violência do que os brancos, temem a polícia. O medo nunca é uma razão para cometer violência contra outra pessoa, mas o medo é sempre a causa raiz disso. Talvez, nosso medo dos policiais se reflita no fato de eles estarem vestidos com uma armadura que, por sua vez, reflete seu próprio medo de nós. É o medo que nos faz desconfiar uns dos outros, o medo que nos leva a nos armar e o medo que nos leva a atos de violência perpetuando um ciclo sem fim de violência e medo, medo e violência.

O que você teme? Como o medo afeta você, seus relacionamentos, suas ações?

Estou tão profundamente triste com toda a violência recente em nosso mundo que mal sei como responder. O fardo de tudo isso desce sobre mim tanto que meu espírito dói. A única coisa que posso controlar em tudo isso sou eu. Assim, quando meu espírito precisa de cura, volto à minha fonte favorita de conforto e força que encontro na Regra de São Bento, conforme apresentada por John McQuiston em seu livro simples, Sempre começamos de novo: o modo de vida beneditino, Morehouse Publishing, 1996. Ouça o que ele diz sobre Paramount Goals, p. 21-22:

“O que se quer não é que encontremos a verdade última, nem que nos tornemos seguros, nem que tenhamos facilidade, nem que não nos machuquemos, mas que vivamos plenamente. Portanto não devemos temer a vida, nem nada na vida, não devemos temer a morte, nem nada na morte, devemos viver nossas vidas no amor com a vida. Cabe a nós treinar nossos corações para viver na graça, para sacrificar nossos desejos egocêntricos, para encontrar a paz sem necessidade sem buscá-la para nós mesmos, e quando falhamos, para começar novamente cada dia. Se adotarmos uma perspectiva de confiança e confiança e aperfeiçoarmos nossa experiência cuidando dos outros, se vivermos na certeza de que somos herdeiros na providência do mistério mais distante, começaremos a nos transformar nas pessoas que temos potencial para ser . ”

Vá para o mundo em paz; tenha bom ânimo, retenha o que é bom, não retribua a ninguém o mal com o mal; fortalecer os fracos de coração; apóie os fracos; ajude os aflitos; honrar todas as pessoas; amar e servir ao Senhor regozijando-se no poder do Espírito Santo. E a bênção de Deus Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo esteja com você neste dia e sempre.

+ Whayne M. Hougland, Jr.
IX Oeste de Michigan
19 de julho de 2016


Tags