O bispo de San Diego, James Mathes, responde a tiroteios

Postado Jul 9, 2016

Meus queridos,

No domingo, em cada igreja de nossa diocese, leremos a história do Bom Samaritano. Jesus conta a história de bondade na estrada de Jericó para responder à pergunta feita por um advogado inquiridor: "Quem é meu próximo?" A história de Jesus nos faz refletir profundamente sobre nosso relacionamento com os vulneráveis ​​e os estranhos. Ele acena para que seus seguidores sejam gentis e generosos, até mesmo vulneráveis, quando confrontados com a necessidade dos outros.

Não consigo imaginar uma pessoa mais vulnerável do que alguém sem-teto e dormindo. Agora estamos lidando com a terrível notícia de que quatro moradores de rua foram atacados, dois deles mortos enquanto dormiam na cidade de San Diego. Os sem-teto de nossas comunidades não são sem rosto. Eles não são incômodos. Eles são pessoas. Eles são filho ou filha de alguém. Eles são criados e amados por Deus. Eles são criados à imagem de Deus, como você e eu.

É difícil entender por que alguém faria algo tão horrível para outra pessoa. Agradecemos que o homem responsável por esses atos brutais tenha sido detido e detido. No entanto, todos nós devemos reconhecer o desconforto de nossa cultura com os pobres, vulneráveis, usuários de drogas, doentes mentais ou aqueles que são muito diferentes de nós. Queremos que eles desapareçam e estejam em outro lugar.

E, no entanto, enquanto lutamos para evitar que nossos vizinhos sejam atacados e mortos sem sentido, ouvimos esta manhã sobre outro massacre sem sentido em Dallas, quando cinco policiais foram mortos e sete outros feridos por um atirador. Justapostos com o assassinato dos mais vulneráveis, agora enfrentamos o assassinato daqueles que juraram proteger a comunidade. Novamente, esses oficiais são seres humanos. Eles também são filhos ou filhas de alguém. Famílias foram destruídas.

Embora nunca possamos entender completamente por que alguém cometeu qualquer um desses atos violentos, estamos cientes de que vivemos em uma época de medo, onde as forças do mal procuram dividir os vizinhos. Como seguidores de Jesus, devemos ser caracterizados não por interesse próprio, mas por uma preocupação permanente e empatia pelo nosso próximo, seja ele um sem-teto ou usando um distintivo. Devemos trabalhar por uma sociedade justa, onde os sem-teto encontrem segurança e nossos policiais estarão seguros enquanto pastoreiam nossas comunidades.

Ao cair da noite, oremos por aqueles que não têm abrigo, para que tenham uma noite tranquila e segura. Oremos também por aqueles que patrulham nossas ruas para proteger a todos nós. E ao amanhecer, vamos colocar nossas orações em ação e como Jesus ordena o advogado na parábola do Bom Samaritano, “vá e faça o mesmo”.

Fielmente,

O Rt. Rev. James R. Mathes
Bispo


Tags