Presidindo os comentários de abertura do Bispo no Conselho Executivo

Publicado em Jun 10, 2014

[Comunicado à imprensa de Relações Públicas do Escritório da Igreja Episcopal] A Bispa Presidente da Igreja Episcopal, Katharine Jefferts Schori, apresentou os seguintes comentários de abertura ao Conselho Executivo, atualmente reunido em Phoenix, AZ, até 12 de junho.

Discurso de abertura do Conselho Executivo
10 de Junho de 2014

É bom ver todos vocês; bem-vindo ao deserto. Quando aterrissei em Phoenix no sábado à noite, foi como voltar para casa - ver aquelas montanhas multicoloridas, o ar seco e as plantas fascinantes! A cultura nesta parte do mundo é realmente diferente - pessoas se aposentam aqui de todos os Estados Unidos, outras vêm trabalhar aqui de todo o mundo, shorts e camisetas esportivas frequentemente contam como trajes formais e você não pode prever a política de uma pessoa posição sobre um assunto se você souber disso em outro. A Igreja Episcopal está prosperando aqui - o Bispo Smith me disse que eles estão trabalhando em seus 10th nova congregação nos últimos 13 anos. Susan Snook começou um vibrante, que você experimentará esta tarde. Carmen Guerrerro deu início a três congregações latinas, e os membros da mais recente visitaram a congregação de Susan no Pentecostes.

Temos uma série de questões significativas nesta reunião, todas relacionadas a como melhor usar os dons que temos como recursos para a missão em toda a igreja. Todos vocês se envolveram em sonhar e priorizar o orçamento para o próximo triênio, e esse trabalho continuará aqui.

Consideraremos vários itens de natureza mais imediata, incluindo Navajoland, bem como respostas a questões urgentes de justiça, como tráfico humano, paz no Oriente Médio e preocupações ambientais e climáticas. O Conselho Executivo responderá às iniciativas de subsídios da UTO, ouviremos atualizações sobre nossas relações de convênio com toda a Comunhão e começaremos a avaliar os esforços centrados na primeira Marca da Missão. Faremos parte de nosso trabalho regular de devida diligência relacionada a questões de auditoria e governança e revisaremos a política em várias áreas.

Quero destacar o fato de que, como Igreja, estamos progredindo em direção a uma estrutura muito mais interconectada e em rede. Estamos nos concentrando estrategicamente nas áreas onde apenas a estrutura de toda a igreja é capaz de apoiar esforços missionários locais específicos. O apoio a Navajoland e a renovação das dioceses são exemplos, assim como o trabalho de sustentabilidade na Província IX. Acredito e espero que esses esforços em direção à sustentabilidade aumentem no futuro. Estamos ligados uns aos outros, e a saúde e o crescimento de cada parte do corpo de Cristo diz respeito ao todo.

Estamos contabilizando os custos das agências afiliadas no trabalho de orçamento para o próximo triênio, para que possamos apoiar adequadamente. Ainda espero que o TREC considere como, como uma Igreja inteira, podemos apoiar melhor o trabalho local das dioceses - e compartilhar recursos é uma parte essencial disso. Mas precisamos pensar além da porcentagem que pede a cada diocese. As fronteiras geográficas atuais fazem mais sentido para um futuro sustentável para cada unidade missionária - também chamada de diocese? As dioceses sempre tiveram essas conversas sobre paróquias e congregações locais e tomam decisões ponderadas sobre como alocar recursos humanos, financeiros, administrativos e de construção para o bem de todos. Como uma igreja inteira, estamos sendo chamados para perspectivas estratégicas e tomadas de decisão semelhantes.

Envolveremos vários outros aspectos da sustentabilidade aqui: novos currículos para ensinar Desenvolvimento Comunitário Baseado em Ativos; uma parceria do escritório de desenvolvimento chamada Recurso de projeto; e uma rede em desenvolvimento com os acampamentos episcopais e centros de conferências, a Forma e o corpo de serviço episcopal. Eu nos encorajaria a entender um enfoque de sustentabilidade como essencial para o nosso uso das Cinco Marcas da Missão - como o corpo inteiro apoiando toda a missão de Deus.

Eu quero oferecer algumas atualizações. Você deve se lembrar que informamos sobre a análise positiva de nossa inscrição para o status de ECOSOC (Conselho Econômico e Social) nas Nações Unidas. Tornou-se oficial no início de maio, antes do anunciado. Isso é o resultado de muito trabalho árduo, grande parte dele perseguido por Lynnaia Main. Isso nos dará novo acesso a redes de informação, conversação e tomada de decisão deliberativa para o bem global.

O Conselho Executivo pediu que eu investigasse a situação dos apátridas na República Dominicana, a maioria dos quais são descendentes de haitianos. Há boas notícias sobre isso, já que a República Dominicana aprovou uma lei que proporciona alívio para alguns. Farei uma visita no final deste ano para encorajar a continuação do trabalho nesta questão, visto que nem todas as injustiças foram totalmente resolvidas.

Uma palavra sobre os ODMs, cujo cronograma termina em 2015. Fizemos bons avanços globais em algumas áreas e já atingimos alguns dos objetivos, mas ainda há muito trabalho a ser feito. A agenda de desenvolvimento global está sendo reformulada para depois de 2015, de modo que se aplique à pobreza em todas as nações, não apenas nas em desenvolvimento. É por isso que tivemos uma iniciativa separada sobre a pobreza doméstica, porque os ODM não foram feitos para contextos de primeiro mundo. Essa estrutura será melhor ajustada nas sessões em agosto deste ano, e presumivelmente adotada em setembro de 2015. Isso fará parte da discussão no comitê de Missão Mundial.

Esta noite ajudamos a inaugurar uma exposição fotográfica relacionada ao trabalho da Episcopal Relief & Development, comemorando 75 anos de cura de um mundo ferido. É uma oportunidade de agradecer pelas maneiras como os episcopais continuam a fazer parceria com outros aqui e em todo o mundo. A missão de Deus está realmente sendo servida.

Finalmente, quero comemorar o desenvolvimento de forças em toda esta Igreja exemplificadas em eventos como a reunião Recuperando o Evangelho da Paz em Oklahoma City em abril; o crescimento contínuo do Episcopal Service Corps; e a reunião de Defesa de Jovens Adultos em Washington, DC no mês passado. Eu também quero celebrar o crescimento nas parcerias em toda a Comunhão Anglicana, algumas das quais foram facilitadas pelo projeto Bíblia na Vida da Igreja e pelo Indaba Continuado. Estes são sinais e instrumentos de reconciliação. Tudo isso foi facilitado pelo apoio ao orçamento de toda a igreja. Dou graças por um esforço particular de reconciliação dentro da Igreja Episcopal. Em uma visita comovente à Casa Nashotah, celebramos o ministério do Diácono Terry Star, que foi o grande responsável por aquele convite para visitar e tornou essa visita uma realidade. Deus está trabalhando ao nosso redor na comunhão dos santos.

O mais Rev. Katharine Jefferts Schori
Bispo Presidente
Igreja Episcopal


Tags