O Bispo Presidente prega na Oração Vespertina do EYE14

Postado Jul 12, 2014

A Bispa Presidente Katharine Jefferts Schori prega em 11 de julho durante a oração da noite no Evento da Juventude Episcopal de 2014, reunido no campus da Universidade Villanova perto da Filadélfia, Pensilvânia. Segue o texto completo do sermão.


Evensong EYE14
Uma celebração da diversidade e um apelo à igualdade
11 de Julho de 2014

O mais Rev. Katharine Jefferts Schori
Bispo Presidente e Primaz
Igreja Episcopal

Olá, OLHO! Este órgão se reuniu em muitas partes da Igreja Episcopal - Taiwan, Honduras, República Dominicana, Ilhas Virgens e 82 dioceses nos Estados Unidos. Falamos muitas línguas diferentes e temos muitas formas, tamanhos, cores, atitudes e habilidades. Somos negros e pardos, louros e carecas, ousados ​​e tímidos, comedores de carne e colhedores de frutas vermelhas, ocasionalmente com olhos turvos, entediados ou turbulentos, e membros batizados deste Corpo de Cristo, marcados para a missão. Por trás de todas essas diferenças externas, somos um corpo que chora quando é ferido e se alegra quando um de nós descobre o espírito em ação de uma nova maneira. Somos um porque somos todos filhos do mesmo Deus e fomos enviados para trabalhar juntos para ajudar a curar o mundo.

Você já passou por esta cidade hoje, descobrindo sua diversidade, suas necessidades e suas bênçãos. Cada um de vocês tem uma história para contar sobre os encontros deste dia. Espero que você tenha sido movido, marcado e mudado por alguém ou algo que encontrou hoje. Espero que você tenha contado essa história a alguém aqui - ou ao mundo por meio de um tweet ou postagem nas redes sociais.

Deixe-me te contar uma historia. Eu estava em San Diego há não muito tempo para a convenção diocesana deles e, no caminho de volta para o hotel, paramos em um sinal onde um homem estava pedindo ajuda. Ele tinha uma placa de papelão que dizia “sem-teto e com fome - por favor, ajude”. Quando paramos e lemos sua placa, o motorista entregou-lhe um lanche e uma garrafa de água. A convenção havia enviado pessoas com muitos sacos de almoço, encorajando-os a ser como Jesus e compartilhar esses sacos, embalados com alimentos, cartões de oração e informações sobre o serviço social. Eles chamam este ministério de “Bênçãos em um Saco”. [1]

Um amigo meu do norte da Califórnia me contou outra história sobre bênçãos. Ela dirige a mesma rota com bastante frequência e vê paisagens semelhantes nos cruzamentos. Um dia, ela finalmente se sentiu ousada o suficiente para se levantar e perguntar como poderia ajudar a mulher em uma cadeira de rodas cujo letreiro dizia: “Tempos difíceis. Qualquer coisa ajuda. ” A mulher disse que adoraria comer alguns pêssegos - ou talvez pelo menos algumas frutas - ou uma barra de granola. Minha amiga notou que os pêssegos ainda não estavam maduros, mas disse que se lembraria. E então a mulher na cadeira de rodas disse: “Você está bem? Faz um tempo que não vejo você. Eu queria saber onde você estava e se você estava bem. ” Minha amiga disse que ficou surpresa que essa mulher rastreasse os frequentadores de sua vizinhança. [2] Agora minha amiga mantém uma caixa de barras de granola no banco da frente. Na próxima vez que encontrou a mulher, ela lhe deu a caixa e perguntou quando ela estaria lá para que pudesse trazer alguns pêssegos maduros.

Cada uma dessas pessoas está contando uma história sobre como o mundo de Deus deve ser e ajudando a fazer isso acontecer. Aqueles que pedem ajuda estão nos lembrando do sonho de Deus para toda a criação. Cada parte da criação de Deus tem um papel a desempenhar para tornar a criação inteira. Será necessário que todos nós, trabalhando juntos, curemos este mundo. Começa contando a história.

A cura começa apontando para o quebrantamento atual E o sonho de integridade. É por isso que Jesus disse que não veio por causa de pessoas saudáveis, mas sim de enfermos. É por isso que ele anda com pessoas em apuros e pessoas que são ignoradas pelos outros, porque ele janta com pessoas que geralmente não são convidadas para a festa ou escolhidas para a equipe. Até que tenhamos alguma consciência da cura necessária, não precisamos dele. É realmente aí que o batismo começa. O batismo nos marca como parceiros no sonho de Deus de curar o mundo.

Quando somos batizados, a maioria de nós não reconhece totalmente o que isso significará para nossas vidas. Mesmo aqueles que são batizados como adultos crescem em uma compreensão maior do que Deus tem em mente. Leva anos para ter uma noção do que significa ajudar a construir um mundo de paz e justiça. Começa quando conectamos nossas próprias histórias com a grande história sobre Deus e Jesus e sobre sermos tão completamente amados. Aprendemos isso mais profundamente cada vez que contamos uma história sobre onde vimos esse tipo de amor em ação, trazendo cura ou justiça.

Quando encontramos alguém que está sofrendo ou com fome, temos uma escolha. Vamos engajar ou ignorar essa pessoa? Se nos conectarmos, teremos que compartilhar algo dessa boa notícia - que todos nós somos amados além da imaginação e que estamos dispostos a mostrar esse amor de maneiras concretas. Pode começar alimentando alguém que está com fome, mas não termina aí. Podemos alimentar alguém com uma refeição, mas se nada mudar, essa pessoa vai sentir fome novamente em algumas horas. É aí que começa o trabalho de transformação de longo prazo e em grande escala - perguntando por que essa pessoa está com fome, ou por que tantas pessoas estão nas esquinas pedindo ajuda.

Esse tipo de pergunta é um estímulo do Espírito Santo - por que isso está acontecendo? O que precisa mudar? É o Espírito Santo agindo mais como um mosquito do que como uma pomba. Mas não podemos nos esconder dentro da tenda - mesmo na tenda sagrada - para nos proteger. Esse mosquito sagrado vai entrar de qualquer maneira e nos incomodar e nos deixar inquietos até que haja justiça para todos. [3]

Os mosquitos picam quando você não está percebendo. Eles estão procurando sangue para alimentar a próxima geração. A marca que eles deixam começa a coçar e continua coçando. É difícil ignorar e, se observarmos outra pessoa se coçando, logo todos começaremos a coçar. Acho que devemos orar para que o Espírito Santo nos mantenha assim, e nos mantenha com coceira até que o mundo inteiro esteja completamente curado.

Alguns de nós pensam que os mosquitos são apenas um incômodo. Certamente me perguntei em voz alta por que Deus os criou. Mas quando há mosquitos na vizinhança, as pessoas não ficam paradas - elas se levantam, balançam os braços, correm e tentam fazer todo tipo de coisa para se livrar deles. Os mosquitos certamente motivaram muitas pessoas a prestar atenção à malária e ao fardo que ela causa em lugares como a África Subsaariana. Aposto que a maioria de nós já viu aquelas redes mosquiteiras que a Episcopal Relief & Development chama de “redes para a vida”.

Todos nós precisamos ser mordidos, marcados com uma coceira para ver como o mundo poderia ser. O sonho de Deus precisa dos diferentes dons de todos os tipos de criaturas para responder - até mesmo mosquitos ou a versão humana chamada profetas. Um deles disse que seu trabalho era “flutuar como uma borboleta, picar como uma abelha”. Apesar de sua profissão de boxeador, Muhammad Ali era pacifista.

Não vamos viver em paz até que todos possam se sentar e fazer o grande piquenique de Deus juntos em paz. Enquanto isso, precisamos de pessoas com ânsia de justiça. Ele vem em muitas formas, cores, orientações, idiomas diferentes, mas aquele item é a mesma coisa, sob a pele. É chamado de “marcado para a missão,” ou “arruinado para a vida”, ou um profeta da justiça, ou ministério batismal.

Venha, Espírito Santo, desça sobre nós como um mosquito de Deus, nos faça ansiar por justiça e nos ponha a trabalhar com TODAS as suas criaturas maravilhosas. Leve-nos até lá para encontrar nossos vizinhos famintos e feridos, e não pare até que o mundo esteja em paz.

Continue coçando.


[1] https://www.episcopalnewsservice.org/2014/03/12/go-and-do-likewise-congregations-embrace-homeless-communities/

[2] Kay Rohde, comunicação pessoal 5 de julho de 2014

[3] Agostinho - tu nos fizeste para ti, ó Senhor, e os nossos corações estão inquietos, até que encontrem o seu descanso em ti.


Tags