Discurso de abertura do Presidente da Câmara dos Deputados ao Conselho Executivo

19 de março de 2015

[Comunicado à imprensa do Escritório de Relações Públicas da Igreja Episcopal] A seguir estão os comentários de abertura do Presidente da Câmara dos Deputados, o Rev. Gay Clark Jennings no Conselho executivo da Igreja Episcopal, atualmente reunida até 21 de março em Salt Lake City, Utah (Diocese de Utah).


Discurso de abertura do Conselho Executivo
Março de 19

O Rev. Gay Clark Jennings
Presidente da Câmara dos Deputados
Igreja Episcopal

Recentemente, terminei uma maratona. Não corri 26.2 km - com o inverno que tivemos em Ohio, teria sido mais prático patinar no gelo até agora - mas recentemente concluí o longo, absorvente e gratificante processo de nomear deputados para comitês legislativos para Convenção Geral. Você pode encontrar o listas de comitês no site da Câmara dos Deputados. Os cânones exigem que as nomeações sejam tornadas públicas no prazo de 30 dias após terem sido feitas (graças à Resolução D045 apresentada pela deputada Katie Sherrod e adotada pela Convenção Geral em 2009); Tenho orgulho de dizer que fizemos isso em 30 horas, e os vice-presidentes das comissões já foram instruídos a convocar suas comissões e iniciar os trabalhos.

Aprendi nos últimos meses que fazer nomeações para comitês legislativos é uma das partes mais difíceis e gratificantes do meu trabalho. Nem todos os deputados podem servir em um comitê - os comitês simplesmente seriam grandes demais para funcionar - e nem todos os deputados podem ser indicados para os comitês em que mais esperavam servir. Essa é a parte difícil. A parte gratificante é aprender mais sobre as habilidades, experiências e dons dos deputados para formar comitês com conhecimento diversificado e profundo das questões em questão. Sou grato a todos os deputados, incluindo muitos de vocês, que responderam minhas ligações e e-mails com graça e paciência enquanto eu redigia e redefinia as listas de comitês.

Este ano, graças a uma nova estrutura de comitê que o Bispo Presidente e eu desenvolvemos no verão passado e um novo Comitê sobre Álcool e Outras Drogas da Câmara dos Deputados, fui capaz de fazer 547 nomeações para comitês legislativos - um aumento de 27% em relação ao Geral Convenção 2012. Também estou feliz em dizer que todos os deputados que completaram a pesquisa de preferência da comissão e que serviram em três ou mais convenções foram nomeados. Mas os comitês legislativos não são apenas competência de deputados de longa data; mais de 35% dos deputados pela primeira vez também foram nomeados.

Esses deputados de primeira viagem, que representam 46% da Câmara dos Deputados, são apenas parte da grande oportunidade que esta Convenção Geral proporcionará para aprender mais sobre como nossas estruturas podem mudar à medida que nossa identidade episcopal se mantém forte. Esta Convenção Geral também será um laboratório para aprender com jovens líderes e observar as mudanças nas estruturas da igreja à medida que seus líderes mudam a forma como trabalhamos. Tradicionalmente, na Convenção Geral, os deputados seniores - aqueles de nós que praticamente se lembram da primeira Convenção Geral em 1785 - tiveram o conhecimento e a experiência para navegar na maneira como as coisas funcionam. Mas em 2015, como você sabe, estamos embarcando em nossa primeira convenção sem papel. Cada deputado e cada bispo receberão um iPad - os velhos fichários cheios de resmas de papel se foram para sempre. Os deputados levarão um cartão-chave com eles e precisarão passá-lo antes de falar ao microfone. Em vez de enviar mensagens entre a Câmara dos Bispos e a Câmara dos Deputados em rolos de papiro, alguém na verdade aperta um botão e envia a mensagem eletronicamente. Surpreendente!

Tudo isso significa que os deputados seniores, com suas décadas de experiência, vão precisar aprender com deputados nativos digitais - jovens adultos que nunca se lembram de um mundo em que não carregássemos computadores no bolso. Todos nós precisaremos uns dos outros de diferentes maneiras, e isso mudará a maneira como trabalhamos, mudamos a maneira como estamos conectados e mudamos a maneira como visualizamos o reino de Deus.

Espero que a Convenção Geral também nos forneça experiência prática em fazer os tipos de reestruturação que não requerem permissão de uma força-tarefa ou resolução. Todos vocês têm esse tipo de reestruturação para fazer em suas congregações, dioceses e ministérios, e eu também. Passei um bom tempo conversando com deputados e ex-deputados para explorar como mover a legislação de forma mais eficiente por meio da Convenção Geral e reduzir os gargalos que às vezes encontramos nos anos anteriores. Em 2015, usaremos as ferramentas já disponíveis para agilizar o processo legislativo.

Uma dessas ferramentas é o uso de assessores legislativos. Nesta convenção, pela primeira vez, temos um processo de inscrição aberto para aqueles voluntários que ajudarão os dirigentes do comitê a navegar no processo legislativo e servirão como contatos com o comitê de Despacho de Negócios. Os suplentes e voluntários que planejam comparecer à Convenção Geral são convidados a se inscrever até 31 de março. Por favor, divulgue e visite o site da Câmara dos Deputados ou o site da Convenção Geral para todos os detalhes.

Os próximos meses serão ocupados com trabalho, enquanto nos preparamos para retornar a esta bela cidade com vários milhares de nossos amigos e colegas a reboque. Mas é um trabalho essencial, porque a Convenção Geral é onde garantimos que a missão da Igreja Episcopal seja forte e vibrante. Quando servimos na Convenção Geral, somos servos de missão. Elegemos pessoas para servir em órgãos de formulação de políticas, adotamos um orçamento para fornecer recursos para que as pessoas, congregações e dioceses sejam equipadas e fortalecidas para o ministério, aprovamos resoluções e adotamos políticas que nos apontam na direção de sermos testemunhas de Cristo para um mundo em necessidade desesperada de esperança e cura. Ao fazermos esse trabalho, todos nós precisamos nos apegar firmemente à nossa identidade como servos de Deus e à missão de Deus na Igreja Episcopal, tão certamente quanto nossos irmãos e irmãs chamados para outros tipos de ministério na Igreja de Deus.

Recentemente, tive a oportunidade de experimentar como nossa governança pode tornar nossa missão possível. Graças a Christopher Hayes, chanceler da Diocese da Califórnia, tive a oportunidade de colocar décadas de resoluções da Convenção Geral em ação, sendo um dos principais signatários de um amicus brief submetido à Suprema Corte dos Estados Unidos em apoio à reversão do Sexto Circuito Decisão do Tribunal de Apelações contra a igualdade do casamento civil. O escrito também foi assinado por 21 de nossos bispos e mais de 200 clérigos episcopais e líderes leigos, e cita cinco resoluções da Convenção Geral: Resolução D007 de 1994, Resolução D039 de 2000, Resolução A095 de 2006, Resolução A167 de 2006 e Resolução A049 de 2012.

No dia seguinte ao envio do briefing, meios de comunicação incluindo USA Today, Christian Science Monitor, Detroit Free Press, Living Church e Episcopal Café cobriram as notícias. Graças às pessoas que serviram fielmente na Convenção Geral por quase 40 anos, nós, episcopais, podemos dar testemunho ao Supremo Tribunal e ao povo deste país de que estamos contra a discriminação legal em qualquer forma, e que todo cidadão é direito a igual proteção perante a lei. Portanto, em 28 de abril, quando a Suprema Corte ouvir os argumentos neste caso, e em junho - talvez até quando estivermos na Convenção Geral - quando eles emitirem uma decisão, lembre-se de que seu ministério de governança na Igreja Episcopal tornou isso possível para para que tomemos nosso lugar como cristãos em praça pública.

Esta é a nossa última reunião do Conselho Executivo deste triênio. Foi um grande privilégio servir com todos vocês e sou grato por cada um de vocês ter sido chamado para ser servo em uma missão dessa forma. Devo dar uma menção especial a Bryan Krislock, que serviu como membro do Conselho por 8 anos - 26% de sua vida inteira! Sua recompensa é servir como meu parlamentar na Câmara dos Deputados neste verão!

No momento em que nos preparamos para a eleição de um novo bispo presidente, quero agradecer especialmente pelo ministério incansável de Dom Katharine nestes nove anos, e pela dignidade e clareza espiritual com que ela conduziu nossa amada Igreja Episcopal e a guiou através da turbulência vezes na Comunhão Anglicana. Seu compromisso com as cinco marcas da missão inspirou todos nós a cuidar dos pobres, lembrar dos rejeitados e curar o mundo. Como uma mulher que entrou no seminário apenas algumas semanas após a ordenação do Philadelphia Eleven, admirei particularmente sua capacidade de lidar com a graça dos desafios específicos que surgem por ser a primeira mulher a ocupar qualquer posição de liderança, e sempre serei grata por nós serviram juntos. Obrigado, Bispo Katharine, e obrigado a todos vocês. Estou ansioso para trabalhar juntos nos próximos dias.


Tags