Discurso de abertura do Presidente da Câmara dos Deputados ao Conselho Executivo

Postado em 9 de janeiro de 2015

[Comunicado à imprensa do Escritório de Relações Públicas da Igreja Episcopal] A seguir estão os comentários de abertura do Presidente da Câmara dos Deputados, Rev. Gay Clark Jennings, no Conselho Executivo da Igreja Episcopal, atualmente reunido até 11 de janeiro no Centro de Conferências do Instituto Marítimo em Linthicum Heights, MD.

Discurso de abertura do Conselho Executivo
Janeiro 11
Centro Marítimo, Linthicum Heights, MD

 

O Rev. Gay Clark Jennings
Presidente da Câmara dos Deputados
Igreja Episcopal

Aqui estamos nós em janeiro de 2015. Em poucos meses, a Convenção Geral estará diante de nós. Acho que o clima é de expectativa e antecipação, e parece um pouco com o Advento. Os cristãos acreditam no futuro retorno de Cristo em glória para julgar os vivos e os mortos, um retorno que resultará no fim da presente ordem mundial. Os primeiros cristãos acreditavam que o retorno era iminente. Os cristãos de hoje se tornaram complacentes - talvez porque muito tempo tenha passado, mas talvez ainda mais devido à incerteza de quando isso acontecerá, juntamente com uma forte aversão pelo julgamento da Segunda Vinda.

Os discípulos, não surpreendentemente, perguntaram a Jesus: "Quando?" Jesus disse a eles que isso pode acontecer a qualquer hora do dia. E em vez de dar detalhes, ele contou a história de um homem que parte em uma jornada e deixa seus escravos encarregados das coisas, cada um com um trabalho a fazer. A mensagem é clara. Não se preocupe com coisas sobre as quais você não tem controle. Em vez disso, esteja alerta e vigilante, fazendo o trabalho que lhe foi confiado.

Nenhum de nós sabe o que acontecerá na Convenção Geral - quem será eleito para servir como Bispo Presidente, como Presidente ou Vice-Presidente da Câmara dos Deputados, como administrador do Fundo de Pensão da Igreja ou qualquer outro cargo eleito. Nenhum de nós sabe o que acontecerá com as propostas do TREC, ou resoluções sobre casamento, ou como ficará o orçamento trienal no final do processo orçamentário.

A questão que isso me levanta é: "Como vivemos nesse meio tempo?" Como vivemos e agimos entre agora e a Convenção Geral?

Não se engane - o Conselho Executivo tem um trabalho importante a fazer entre agora e quando nos reunirmos em Salt Lake City. Precisamos concluir o projeto de orçamento proposto, considerar os pedidos de Subsídio de Polícia, determinar como todas as dioceses e áreas missionárias podem participar plenamente na Convenção Geral, desenvolver uma resposta às propostas do TREC, avaliar as zonas de missão empresarial, desenvolver resoluções a serem submetidas à Convenção Geral sobre uma variedade de assuntos, avaliar o progresso na sustentabilidade da Província IX, revisar as atividades e procedimentos de subsídios, tomar decisões sobre a extinção ou a continuação de vários comitês do Conselho Executivo - a lista continua.

Como devemos funcionar como Conselho Executivo para fazer tudo isso até lá? Tenho três sugestões.

Viagem leve. Há uma ótima história sobre uma mulher chamada Mary Smith que foi ao cemitério para visitar o túmulo de seu marido, John Smith. Ela não a visitava há vários meses e não conseguia encontrar o túmulo. Frustrada e chateada, ela encontrou o zelador e pediu sua ajuda. Ele olhou os registros e finalmente disse: "Sinto muito, Sra. Smith, não consigo encontrar nenhum registro de um John Smith enterrado neste cemitério." “Oh, bem, isso não é surpresa,” ela disse. “Tudo está em meu nome.” Como vivemos nesse ínterim, precisamos lembrar que nada está em nosso nome. Tudo é em nome de Deus e somos administradores da criação de Deus, incluindo a Igreja Episcopal.

A segunda é viver com coragem. Enquanto vivemos, temos uma escolha: uma vida em total segurança ou uma vida que arrisca o incognoscível e arrisca. Podemos ser o caroço ou podemos ser o fermento. Embora geralmente não tenhamos a oportunidade de ser corajosos todos os dias, todos nós nos deparamos com oportunidades de tomar uma posição, de falar em nome do que é certo e apenas dizer a verdade. Há um custo para viver com coragem, mesmo aqui no Conselho Executivo, mas é um preço que vale a pena pagar.

O terceiro é viver uma vida além de você mesmo. Viver nesse meio tempo é um negócio sério, e a maneira como escolhemos viver afeta não apenas outras pessoas, mas também a Igreja que amamos e servimos. Vinte e sete anos atrás, eu estava dirigindo na interestadual quando, bem na minha frente, um pequeno caminhão saiu da estrada, capotou e rolou por uma ladeira íngreme. Parecia algo saído de um filme. Parei o carro, saí do carro, pulei o guarda-corpo e desci a colina correndo até a caminhonete. Lá estava a caminhonete tombada. O caminhão fumegava e o motorista estava metade dentro e metade fora do carro. Ele estava alerta e perguntei se ele estava bem. Ele estava bem e eu o ajudei a sair da cabine e o afastei da caminhonete. Seus ferimentos foram leves, embora o caminhão estivesse completamente destruído. Acontece que ele era um policial fora de serviço e logo a cena estava fervilhando de policiais e bombeiros. Fui praticamente ignorado, então finalmente perguntei a um policial se poderia ir embora. Ele disse que sim, nunca pegou um relatório de testemunha e lá fui eu para o trabalho.

No jantar daquela noite, contei os acontecimentos emocionantes do dia e minha filha Lee, então com oito anos, disse: “Mãe, você é uma heroína. Aposto que você está no noticiário esta noite! " Eu disse a ela que ninguém sabia meu nome e que lamentava desapontá-la, mas não estaria no noticiário - não em um único canal. “Bem, isso não é exatamente como a vida”, disse ela. “Você arrisca a vida tirando um cara de um caminhão fumegante e ninguém percebe. Você tira o dedo do bolso e o mundo inteiro vê você! ”

Nesse ínterim, somos chamados por Deus a viver uma vida que se estende além de nós mesmos e até mesmo além deste Conselho Executivo. Não precisamos de uma audiência. Não importa se há reconhecimento. Somos chamados a fazer o que o momento exige.

Somos chamados para ser servos e líderes enquanto isso. Não perca sua oportunidade.

Viagem leve. Aja com coragem. Viva sua vida além de si mesmo.

Muito Obrigado.


Tags