O presidente da Câmara dos Deputados apóia famílias LGBTQ como signatário principal em resumo da Suprema Corte

Igreja Episcopal Câmara dos Deputados
Postado em agosto 24, 2020

O reverendo Gay Clark Jennings, presidente da Câmara dos Deputados da Igreja Episcopal, é o principal signatário de um amigo da petição apresentada na quinta-feira à Suprema Corte dos Estados Unidos. A petição, que se refere a um caso envolvendo agências de bem-estar infantil religiosamente afiliadas que se recusam a colocar crianças adotadas em famílias LGBTQ, argumenta que a garantia da Primeira Emenda da liberdade religiosa é fortalecida, não restringida, por políticas de não discriminação.

A petição foi assinada por quase 430 líderes inter-religiosos de todos os Estados Unidos, incluindo 35 episcopais.

Jennings assinou vários outros amici briefs afirmando o apoio da Igreja Episcopal para a igualdade LGBTQ, mais recentemente em 2019, quando ela e o Bispo Presidente Michael Curry foram os principais signatários de um briefing de apoio às proteções trabalhistas federais.

“Como episcopais, acreditamos na igualdade das famílias LGBTQ por causa de nossa fé, não apesar dela”, disse Jennings. “É uma escolha falsa sugerir que devemos escolher a liberdade religiosa ou a solidariedade com nossos irmãos LGBTQ em Cristo.”

A petição apresentada ontem apóia a cidade de Filadélfia em uma ação movida contra ela em 2018 pelos Serviços Sociais Católicos e outras agências de bem-estar infantil. As agências alegam que seu direito ao livre exercício da religião lhes permite recusar a licença de casais do mesmo sexo como pais adotivos nos termos de um contrato financiado pelo contribuinte. O Tribunal de Apelações do 3º Circuito decidiu a favor da cidade em 2019, e as agências apelaram ao Supremo Tribunal.

“Qualquer sugestão de que 'religião' ou 'pessoas de fé' como um todo rejeitem a igualdade LGBT é falsa e insultuosa para milhões de americanos de fé”, diz o documento. “E, dado o amplo e crescente apoio religioso à igualdade LGBT, qualquer alegação de que a aplicação de cláusulas anti-discriminação em contratos governamentais desencorajará organizações religiosas de fornecer serviços sociais é, no mínimo, muito exagerada.”

A Convenção Geral apelou pela primeira vez para proteção igual ao abrigo da lei para gays e lésbicas em 1976 com Resolução 1976-A071. Em 2009, a convenção foi aprovada Resolução 2009-D012, que expandiu o apelo por proteção igual para incluir pessoas trans. As convenções subsequentes reafirmaram essas chamadas.

O tribunal deve ouvir as alegações orais do caso em 4 de novembro. A decisão é esperada para junho de 2021.

A Câmara dos Deputados, que inclui cerca de 900 clérigos e leigos, é uma das duas casas legislativas da Convenção Geral, o corpo governante da Igreja Episcopal. O presidente da Câmara dos Deputados, Gay Clark Jennings, foi eleito por seus pares em 2012 e reeleito em 2015 e 2018. Ela é a primeira mulher ordenada a ocupar o cargo.


Tags