Bispo de Long Island responde à decisão do DOMA

Postado Jul 1, 2013

[Comunicado à imprensa da Diocese de Long Island] Em 26 de junho, quando a Suprema Corte de nossa Nação decidiu que a Lei de Defesa do Casamento era inconstitucional, o clero e o povo da diocese abraçaram e celebraram a realidade da igualdade do casamento total para todo o povo de Deus, ao mesmo tempo que reconheciam a luta daqueles para quem esta decisão será dolorosa.

Como todo o povo de Deus, nossa jornada devota e dedicada em direção à inclusão total e igualdade de acesso deve incluir todos. Nenhum de nós em nenhum dos lados desta ou de qualquer outra questão enfrentada por nossa sociedade e, portanto, a igreja, pode jamais se alegrar totalmente com uma vitória que então parece alienar e causar dor aos outros. Oramos e trabalhamos para o dia em que todos os homens e mulheres possam e se regozijarão com a igualdade e inclusão de todos.

Como uma comunidade eclesial, os fiéis desta diocese se alegrarão e celebrarão a decisão da Suprema Corte com todos os indivíduos LGBTQ cujas vidas serão mudadas para sempre. E como essa mesma comunidade, nós também oraremos, cuidaremos e ministraremos a todos aqueles que veem este dia como uma derrota. Sem abraçar toda a realidade de nossa situação presente, não podemos ser uma igreja que afirma que “não há rejeitados na Igreja Episcopal”.

Em estreita proximidade com as decisões de hoje, a decisão da Suprema Corte de ontem sobre uma parte da Lei de Direitos de Voto de 1965 nos desafia a redobrar nossos esforços contínuos como cidadãos e discípulos de Jesus Cristo para garantir que todos com idade para votar neste país tenham direito ao voto salvaguardado. Este é um teste da realidade de nossa democracia.

Todos são bem-vindos neste lugar ... Que essas palavras soem cada vez mais verdadeiras na igreja e em toda a nossa sociedade.

O Rt. Rev. Lawrence C. Provenzano,
Bispo de Long Island
A Diocese de Long Island
A Igreja Episcopal em Brooklyn, Queens, Nassau e Suffolk


Tags