EPPN: Proteja o Ártico

Postado em agosto 15, 2013

[Rede de Políticas Públicas Episcopais] O Arctic National Wildlife Refuge é um tesouro nacional único em sua natureza selvagem, integridade ecológica, beleza e oportunidades recreativas únicas. Temos a oportunidade hoje de promover a proteção da natureza para esta paisagem incomparável, preservando-a para as gerações futuras desfrutarem.

Em janeiro passado, o então representante Edward Markey apresentou uma legislação intitulada “The Udall Eisenhower Wilderness Act” (HR 139) que designaria 1.5 milhão de acres de área selvagem ao longo da planície costeira do Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Ártico do Alasca como um componente do Sistema Nacional de Preservação da Terra Selvagem. Essa designação protegeria o Refúgio contra o desenvolvimento de petróleo e gás, preservando seu ecossistema primitivo e frágil das estradas, oleodutos e torres de petróleo que acompanham essa exploração.

A planície costeira do Refúgio é uma parte vital de um ecossistema maior e está conectada à natureza existente por meio de suas paisagens cênicas, bacias hidrográficas, rios e migrações da vida selvagem. A Igreja Episcopal há muito se opõe à perfuração no Refúgio Nacional da Vida Selvagem do Ártico, não apenas por causa de nossa preocupação e administração da criação de Deus, mas também por causa de nosso compromisso de apoiar a Nação Gwich'in, o povo indígena que vive no Ártico que são principalmente episcopais. Os Gwich'in dependem para seu sustento diário do rebanho de caribu Porcupine, cujos padrões de nascimento seriam interrompidos pela exploração de petróleo no Refúgio, ameaçando a sobrevivência tanto do caribu quanto da Nação Gwich'in.

Peça ao seu representante que preserve a beleza manifesta e o ecossistema dinâmico do Refúgio Ártico e co-patrocine o HR 139.

 


Tags