Os episcopais planejam uma série de eventos, liturgias e orações para o Dia dos Povos Indígenas em 9 de outubro

Por David Paulsen
Postado em outubro 5, 2023
Desfile dos Povos Indígenas

As pessoas celebram o Desfile inaugural dos Povos Indígenas das Américas em Nova York em 2022. O segundo desfile anual está agendado para 14 de outubro deste ano. Foto: Reuters

[Serviço de Notícias Episcopais] 9 de outubro é o Dia dos Povos Indígenas, um feriado cada vez mais celebrado no lugar do Dia de Colombo por indivíduos, governos e organizações nos Estados Unidos, incluindo a Igreja Episcopal. Dioceses e congregações estão promovendo uma série de eventos, liturgias e orações para marcar o dia.

Em Litchfield Park, Arizona, a Igreja Episcopal de São Pedro está planejando um Fim de Semana de Reconhecimento dos Povos Indígenas nos dias 7 e 8 de outubro, para “reconhecer os povos indígenas como administradores da terra em que vivemos e honramos”. A reverenda Mary Louise Frenchman, uma pastora luterana que é Oglala Sioux, será a pregadora convidada, e Steven Toya, que é Tewa e Comanche, apresentará música de flauta nativa e conduzirá uma tradicional cerimônia de “manchas”.

A Diocese do Sudoeste da Virgínia convidou suas congregações a incorporar orações indígenas em suas liturgias dominicais em 8 de outubro. A Equipe de Orientação Comunitária Tornando-se Amado da diocese também consultou os líderes em Missão Episcopal de São Paulo, que tem laços históricos com a nação Monaca que remontam a 1908.

“É uma honra ter a Nação Monaca em nossa diocese e queremos continuar e fortalecer nosso relacionamento com nossos irmãos nativos americanos”, disse Pattie Ames, cônego para a formação cristã, em um recente e-mail diocesano. “Juntamente com as orações, estamos fornecendo recursos para ajudar as paróquias a aprender mais sobre a nação Monaca e a espiritualidade dos nativos americanos.”

E em 12 de outubro, a Rev. Rachel Taber-Hamilton, vice-presidente da Câmara dos Deputados, conduzirá um webinar Zoom às 3h, horário do leste, sobre “Curando a divisão entre os povos indígenas e a Igreja”. Taber-Hamilton, que é a Primeira Nação Shackan, discutirá a natureza das cosmovisões ocidentais cristãs e indígenas e como elas influenciam o pensamento teológico.

Um número crescente de estados, cidades e igrejas nos Estados Unidos está optando por celebrar o Dia dos Povos Indígenas como parte de um reexame contínuo do legado das viagens de Cristóvão Colombo para a América do Norte.

O explorador italiano, contratado pelo rei e pela rainha de Espanha no final do século XV, recebe frequentemente crédito por “descobrir” a América em 15, embora nunca tenha colocado os pés na América do Norte continental e o continente já fosse o lar de milhões de pessoas. cuja história ancestral remonta a cerca de 1492 anos. Os historiadores também observam as expedições de Colombo registro de maus tratos e escravidão de muitos dos habitantes indígenas da terra.

O movimento transcende as divisões políticas partidárias. Tanto o presidente Joe Biden, um democrata, quanto o governador do Texas, Greg Abbott, um republicano, tomaram medidas em 2021 para declarar feriado o Dia dos Povos Indígenas. Biden tornou-se o primeiro presidente a emitir tal proclamação, embora o Dia de Colombo permaneça no calendário federal porque foi estabelecido como feriado pelo Congresso.

A Convenção Geral da Igreja Episcopal há décadas expressa apoio às reivindicações de terras e direitos humanos dos índios americanos; em sua reunião de 2022 em Baltimore, Maryland, a 80ª Convenção Geral Aprovou uma resolução apelando especificamente às igrejas e dioceses para designarem um dia em homenagem aos nativos americanos e para se referirem ao Dia de Colombo como o Dia dos Povos Indígenas.

“A observância do Dia dos Povos Indígenas serviria como uma celebração e uma lembrança dos povos indígenas que, durante milhares de gerações, salvaguardaram a terra e que, face ao genocídio cultural, preservaram as suas línguas, tradições, histórias e cerimónias para o futuro. gerações”, diz a resolução.

A Diocese de Massachusetts realizará sua segundo encontro anual do Dia dos Povos Indígenas em 9 de outubro, com a participação da Diocese de Western Massachusetts e o apoio da Rede de Justiça dos Povos Indígenas do Oeste de Massachusetts. Será realizado na Igreja de Todos os Santos em Worchester e terá como foco a “escuta e resposta sagrada”, com um culto de adoração de lamento e compromisso.

A vizinha Diocese do Maine compartilhou recursos com sua congregação para o Dia dos Povos Indígenas, incentivando-os a desenvolver reconhecimentos de terras, declarações que homenageiam os habitantes indígenas das terras hoje ocupadas pelas congregações.

Numerosos recursos também estão disponíveis em Escritório de Ministérios Indígenas da Igreja Episcopal, Incluindo "Livro de Oração de Um Discípulo.” A Diocese do Arizona criou uma liturgia específica para o Dia dos Povos Indígenas depois que sua convenção aprovou uma resolução em 2019, adicionando o dia ao calendário diocesano.

– David Paulsen é repórter sênior e editor do Episcopal News Service. Ele pode ser alcançado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags