Clérigos que atendem comunidades indígenas se reúnem para a conferência 'Estamos todos relacionados'

Por Shireen Korkzan
Publicado em setembro 22, 2023

Clérigos que atendem comunidades indígenas se reuniram para a conferência 'Estamos todos relacionados', de 21 a 23 de setembro, em Bloomington, Minnesota. A conferência foi organizada pelo Escritório de Ministérios Indígenas da Igreja Episcopal e pelo Grupo de Pensão da Igreja. Foto de : Garth Howe

[Serviço de Notícias Episcopais] Cerca de 30 clérigos episcopais indígenas e clérigos não indígenas que servem congregações indígenas estão atualmente se reunindo para uma conferência em Bloomington, Minnesota, para estabelecer uma rede de apoio.

A conferência de 21 a 23 de setembro, patrocinada pelo Escritório de Ministérios Indígenas e Grupo de Pensões da Igreja, é a primeira de uma série de conferências regionais planejadas e subscritas pela CPG. Inclui clérigos do Ótimos planos região, terras de pradaria que se estendem de Dakota do Norte ao Texas e das Montanhas Rochosas a leste até o vale do rio Mississippi.

O tema da conferência é “somos todos relacionados”, que se baseia em uma frase – Mitákuye Oyás'iŋ - na língua Lakota.

“O título desta conferência é muito importante porque há um entendimento comum entre a maioria das tribos nativas, de que eles entendem que somos todos parte da mesma estrutura”, disse o Rev. Garth Howe, oficial de ligação comunitária/cultural do CPG e diácono na Diocese Episcopal de Chicago. “Seja a Mãe Terra ou o Pai Céu – seja lá o que for que façamos parte, estamos unidos. É por isso que esta conferência é muito relacional.”

A conferência inclui oficinas de saúde mental e bem-estar e um painel de clérigos indígenas discutindo as nuances de como a cultura indígena se cruza com a Igreja Episcopal.

O clero que serve as comunidades indígenas “está sujeito a um trabalho congregacional realmente difícil”, disse o Rev. Bradley Hauff, missionário da igreja para os Ministérios Indígenas, ao Episcopal News Service. 

“Quase todos eles recebem múltiplas congregações e estão em comunidades indígenas e reservas onde as igrejas estão distantes umas das outras”, disse Hauff, que é Lakota e membro da tribo Oglala Sioux. “E não há muito apoio para eles, para ajudá-los a realizar seu ministério.”

O Ven. Paul Sneve, que é Rosebud Sioux e atua como arquidiácono na Diocese de Dakota do Sul, estará participando da conferência. Ele disse ao ENS que a construção de tal rede beneficiará especialmente o clero indígena e o clero que serve os indígenas antes dos 81st Convenção Geral em 2024, porque eles podem “apoiar-se mutuamente e estaremos mais sintonizados com as preocupações de outras dioceses, outras religiões”.

“Defendemos uns aos outros para garantir que o Grupo de Pensões da Igreja seja capaz de nos ajudar na medida do possível”, disse Sneve. “Ao ajudar a equipe previdenciária aqui a ouvir nossas preocupações, também estamos ajudando uns aos outros.”

Hauff disse que “tem havido uma certa desconexão” entre o CPG e o clero indígena porque muitos deles não são remunerados, o que significa que não ganham salário.

“Se você não recebe um salário, o Church Pension Group, pelo menos no passado, não sabia que você existia porque é totalmente baseado no fato de o dinheiro ser ou não pago em seu nome ao fundo de pensão. E se não estiver, isso não acontece”, disse Hauff. “E a razão é, francamente, porque as congregações não podem apoiá-los e as dioceses podem fornecer-lhes um apoio [financeiro] mínimo.”

O clero – bispos, padres e diáconos – é pago pelo seu empregador, que pode ser a sua paróquia, instituição ou diocese.

Parte da iniciativa de divulgação do CPG ao clero que serve os indígenas é explicar as directrizes de elegibilidade para inscrição em planos de pensões para aqueles que não estão actualmente a receber compensação financeira, disse Howe, que é de ascendência Oglala Sioux e Stockbridge.

“Estamos tentando e, creio, teremos sucesso em ajudar clérigos nativos ou não-nativos que servem congregações nativas, a definir melhor sua posição, sua vocação, em seu contexto local, e também como o Church Pension Group pode apoiar eles”, disse Howe. “A primeira coisa que precisamos fazer é ouvir, e é para isso que serve este evento.”

Sneve disse que aprecia o trabalho que o CPG já realizou para apoiar o clero indígena.

“Estou impressionado e satisfeito que [CPG] esteja fazendo um esforço para ouvir e ser capaz de procurar áreas que talvez tenham perdido”, disse ele. “Estou muito otimista sobre isso e espero que continue no futuro.”

-Shireen Korkzan é repórter e editora assistente do Episcopal News Service. Ela pode ser contatada em skorkzan@episcopalchurch.org.


Tags