Comissão Permanente concorda em considerar ‘mudanças necessárias no Título IV’ sobre casos envolvendo bispos

Por David Paulsen
Publicado em setembro 12, 2023

[Serviço de Notícias Episcopais] Uma comissão episcopal encarregada de revisar e sugerir mudanças nos cânones da Igreja Episcopal reuniu-se online em 12 de setembro e respondeu aos recentes apelos dos dois presidentes da igreja para um novo exame de Cânones disciplinares Título IV em meio ao crescente escrutínio de vários casos envolvendo bispos.

A Comissão Permanente de Estrutura, Governança, Constituição e Cânones votou a favor de uma breve moção prometendo publicar sua “reflexão inicial” depois de se envolver em uma discussão aprofundada dos apelos por “mudanças necessárias no Título IV” em sua próxima reunião presencial, marcada para 8 a 11 de outubro em Baltimore, Maryland.

A comissão, que é composta por 10 leigos, cinco clérigos e cinco bispos, entrou então em sessão executiva para discutir questões disciplinares específicas envolvendo bispos e como o processo para lidar com esses casos poderia merecer atenção como parte do trabalho legislativo da comissão. O Serviço de Notícias Episcopal e outros meios de comunicação foram autorizados a observar a reunião do Zoom até o início da sessão executiva.

A Comissão Permanente sobre Estrutura, Governança, Constituição e Cânones reuniu-se no Zoom em 12 de setembro.

Esta foi a primeira reunião da comissão desde a presidente da Câmara dos Deputados, Julia Ayala Harris. revelado em uma carta de 30 de agosto para a casa que ela tinha sido a queixosa num caso do Título IV contra um bispo reformado não identificado, alegando que ele a “dominou fisicamente” durante um incidente de julho de 2022 na 80ª Convenção Geral. O bispo foi mais tarde identificado por outros como o ex-bispo de Oklahoma Edward Konieczny.

Esse caso foi concluído no final de julho de 2023 com uma “resposta pastoral”, mas nenhuma disciplina para o bispo, de acordo com Ayala Harris, que disse que pressionaria por maior segurança e responsabilidade na igreja enquanto a igreja se prepara para a 81ª Convenção Geral em Junho de 2024 em Louisville, Kentucky.

“Continuaremos a desenvolver este trabalho de mudança cultural e responsabilidade em todas as estruturas e processos da nossa igreja”, escreveu ela. “Juntamente com a liderança da Comissão Permanente sobre Estrutura, Governança, Constituição e Cânones, bem como do Comitê Legislativo sobre Cânones Disciplinares do Título IV, reexaminaremos nossos cânones do Título IV e sua aplicação na vida real para garantir nossos compromissos com segurança e responsabilidade, especialmente em áreas onde os indivíduos receberam amplo poder de decisão com pouca supervisão.”

O Bispo Presidente Michael Curry, que preside a Câmara dos Bispos, seguido por uma mensagem de vídeo lançada em 5 de setembro, e pediu à comissão permanente que examinasse o Título IV no que se refere aos bispos, incluindo “para ouvir as preocupações e esperanças dos leigos, do clero e dos bispos desta igreja” e “para recomendar à Convenção Geral as necessárias medidas canónicas e processuais mudanças na disciplina eclesiástica dos bispos”.

Christopher Hayes, o chanceler da Diocese da Califórnia que preside a comissão permanente, abriu sua discussão online em 12 de setembro reconhecendo as recentes declarações de Ayala Harris e Curry, bem como uma carta paralela redigida por várias bispos das dioceses do oeste dos Estados Unidos. , e uma carta aberta assinada por centenas de clérigos e líderes leigos da igreja.

Hayes também identificou os quatro casos envolvendo bispos que geraram um escrutínio renovado dos cânones do Título IV. Além da reclamação de Ayala Harris contra Konieczny, o Rt. O Rev. Príncipe Singh foi acusado por seus filhos e ex-esposa de violência doméstica há décadas. Singh renunciou em 8 de setembro como bispo provisório das dioceses de Michigan Oriental e Ocidental. Um bispo anterior nessas duas dioceses, o Rt. O reverendo Whayne Hougland Jr. foi suspenso por um ano por Curry em junho de 2020 após admitir um caso extraconjugal, e as duas dioceses optaram por não recebê-lo de volta. Bispo da Flórida, John Howard foi acusado de discriminação anti-LGBTQ+, embora não esteja claro até agora se esse caso ou qualquer outro caso potencial contra ele evoluiu para uma investigação formal.

O papel da comissão permanente é legislativo, não judicial ou administrativo, disse Hayes. “Não estamos aqui para relitigar o caso [de Konieczny] ou qualquer um dos outros três casos que chamaram a atenção do público”, disse ele. “Estamos aqui para propor coisas que pensamos que a Câmara dos Bispos ou a Câmara dos Deputados desejam que os ajudemos a promulgar.”

A igreja reexamina regularmente seus cânones do Título IV para considerar atualizações. Os cânones disciplinares aplicam-se a todos os clérigos, embora os críticos digam que o processo de recepção e resposta às queixas contra os bispos não tem assegurado a igualdade de responsabilização.

– David Paulsen é repórter sênior e editor do Episcopal News Service. Ele pode ser alcançado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags