RIP: James Patrick Mauney, ex-diretor de relações anglicanas e globais da Igreja Episcopal

Postado em maio 24, 2023

[Serviço de Notícias Episcopais] O Rev. James Patrick Mauney nasceu em Paris, Tennesse, em 7 de dezembro de 1942, na casa de sua mãe, no primeiro aniversário do ataque a Pearl Harbor, e morreu em 19 de maio de 2023, em Rhinebeck, Nova York, tendo vivido uma vida rica e vida plena no meio, acompanhado de Mardi, o grande amor e sustentador de sua vida por 57 anos. Seus pais eram Eleanor Caroline Davis e James Buford Mauney. Sua criação foi na Carolina do Sul, onde frequentou escolas públicas. Quatro anos como oficial da Marinha se seguiram após obter seu diploma de bacharel em história pela Duke University em 1965.

Mauney foi engenheiro-chefe do USS Harnett County (LST 821) no Delta do Mekong, no Vietnã, no ano de 1967-1968. A experiência da guerra foi preocupante e reveladora – uma lição de vida sobre desperdício e destruição, disse ele.

A maior parte da vida profissional de Mauney foi passada na Igreja Episcopal, primeiro como seminarista em Cambridge, Massachusetts, na Episcopal Theological School, onde recebeu um Master of Divinity “With Distinction”. Após a formatura e ordenação na Catedral de St. John em Providence, Rhode Island, ele serviu como padre assistente na Igreja de St. Paul em Wickford e na Igreja de St. Martin em Providence. Ele, Mardie e seu filho Peter se mudaram para o Brasil por cinco anos, onde pastoreou a capela de Santo André em Campinas e ensinou inglês e teologia em Campinas e São Paulo. Ele passou o restante de sua carreira - cerca de 20 anos - na cidade de Nova York como executivo nos escritórios internacionais da Igreja Episcopal.

Ao longo de sua vida, Mauney viveu ou visitou mais de 100 países e territórios.

Além de Mardi, ele deixa o filho Pete, a nora Laura Gail Tyler e as netas Sydney e Clara. Ele também deixa uma irmã, Judith Urso, de Sun Prairie, Wisconsin.

Mauney teve grande prazer em seus companheiros animais ao longo dos anos, incluindo Tasha, um Husky Siberiano, e os gatos Nêgo e Mia. Ele tinha muitos interesses além de sua vida profissional. Ele obteve um certificado em botânica de campo do Jardim Botânico de Nova York e foi voluntário por anos como conservacionista na New England Wild Flower Society. Ele também atuou por alguns anos como docente no Heritage Museums and Gardens em Sandwich, Massachusetts, com um interesse particular nas coleções de rododendros. Mauney era um colecionador de selos e colecionava muito. As paredes das casas que habitava estavam repletas de livros que refletiam seus interesses.

Não haverá funeral público.

Os arranjos estão sob os cuidados da Burnett & White Funeral Home, 91 E. Market St. Rhinebeck, Nova York.


Tags