Deputados de Cor divulgam carta pedindo rejeição da eleição do bispo da Diocese da Flórida

Postado 28 de fevereiro de 2023

[Serviço de Notícias Episcopais] O grupo guarda-chuva conhecido como Deputies of Color, que inclui quatro caucuses étnicos da Câmara dos Deputados, divulgou uma carta em 28 de fevereiro dirigida aos bispos e aos comitês permanentes da diocese da Igreja Episcopal, descrevendo suas preocupações sobre a eleição do bispo coadjutor da Diocese da Flórida e pedindo a negação de consentimento para a eleição.

A carta é assinada pelos comitês diretores dos quatro caucuses membros, o Asian/Pacific Islander Caucus, o Black Caucus, o Indigenous Caucus e o Latino Caucus. Isso ocorre depois que um Tribunal de Revisão em toda a igreja entrou com uma ação relatório investigativo questionando a integridade da eleição de novembro de 2022 do Rev. Charlie Holt como o próximo bispo da Flórida, citando discriminação anti-LGBTQ+ na diocese isso pode ter inclinado a lista de delegados do clero a favor de Holt e disparidades em como os delegados leigos foram considerados elegíveis para votar.

Os Deputies of Color também destacaram preocupações anteriores que foram levantadas sobre A aptidão de Holt para servir como bispo, depois de ter sido eleito pela primeira vez em maio de 2022. Holt mais tarde retirou sua aceitação desse resultado depois que a investigação anterior do Tribunal de Revisão encontrou falhas na forma como a eleição foi conduzida.

O seguinte é o texto da carta dos deputados de cor:


Em um relatório datado de 31 de janeiro de 2023, o Tribunal de Revisão da Igreja Episcopal determinou, entre outras questões, que certas políticas de exclusão na Diocese da Flórida, que limitavam a elegibilidade de voto de clérigos e líderes leigos para participar em 19 de novembro de 2022, eleição do bispo diocesano, “lança dúvidas sobre a integridade do processo eleitoral”. O tribunal concluiu que essas políticas, que faziam parte de um padrão de discriminação anti-LGBTQ+, existiram durante a maior parte dos 20 anos do episcopado do bispo John Howard. Veja a decisão do Tribunal de Revisão sobre a eleição especial de 19 de novembro em [Link]. Esta eleição de 19 de novembro foi a segunda eleição especial, a primeira das quais foi realizada em 14 de maio de 2022, na qual o Tribunal de Revisão já havia encontrado múltiplas deficiências e irregularidades nos processos eleitorais em que o Rev. Charlie Holt também foi declarado o ganhador. Veja a decisão do Tribunal de Revisão sobre a eleição especial de 14 de maio em [link].

Não abordaremos os detalhes das alegações relativas ao questionamento do Tribunal sobre a integridade de ambas as eleições. Em vez disso, chamamos sua atenção para os numerosos documentos que lhe foram enviados anteriormente, pedindo-lhe que considere seriamente se consentirá na eleição do Rev. Charlie Holt como Bispo Coadjutor da Diocese da Flórida. Veja os seguintes:

Esses documentos, juntamente com os dois pareceres do Tribunal de Revisão, revelam, mesmo com uma revisão superficial, a dor palpável que está sendo experimentada na Diocese da Flórida e na igreja em geral. Portanto, afirmamos que chegou a hora de contar a verdade sobre esse trauma infligido a nossos irmãos LGBTQIA+ e pessoas de cor para que possamos reparar a brecha e abrir espaço para um tempo de cura na Diocese da Flórida.

Jesus disse: “O trigo, quando debulhado pela primeira vez, forma um monte com a palha e o joio e depois é peneirado para separá-lo.” Portanto, pedimos que você use sua influência e peça ao Rev. Charlie Holt que retire sua aceitação do cargo de bispo eleito ou, alternativamente, não consinta com sua eleição. Além disso, pedimos que você consulte o Bispo Howard e busque sua aposentadoria imediata e permita que a Diocese da Flórida busque cura e reconciliação entre si por meio da nomeação de um Bispo Provisório. A dor da Diocese repercute em toda a Igreja. Pois, como Paulo disse em sua carta aos coríntios: “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma coisa, e que não haja entre vós divisões, mas que sejais perfeitamente unidos na mesma mente e no mesmo julgamento.

Finalmente, nós, como líderes dos Deputies of Color, somos inequivocamente solidários com nossos irmãos LGBTQIA+ em Cristo. Como o apóstolo Paulo nos lembrou em 1 Coríntios 12:26: “Se um membro sofre, todos sofrem com ele; se um membro é honrado, todos se regozijam com ele”. Ecoamos as palavras do Dr. Martin Luther King Jr: “No final, não nos lembraremos das palavras de nossos inimigos, mas do silêncio de nossos amigos”.

Carta completa está disponível aqui.


Tags