Bispo presidente envia palavra pastoral sobre a morte de Tire Nichols

Postado em 28 de janeiro de 2023

Manifestantes marcham pela rua na sexta-feira, 27 de janeiro de 2023, em Memphis, Tennessee, enquanto as autoridades divulgam um vídeo da polícia mostrando cinco policiais de Memphis espancando Tire Nichols, cuja morte resultou em acusações de assassinato e provocou indignação na última instância de brutalidade policial do país. Foto: Gerald Herbert/AP

[Serviço de Notícias Episcopais] O bispo presidente Michael Curry emitiu uma palavra pastoral em 28 de janeiro, na manhã seguinte ao Departamento de Polícia de Memphis divulgar imagens de câmeras corporais do espancamento de Tire Nichols. O motorista de 29 anos foi espancado por policiais de Memphis após uma parada no trânsito em 7 de janeiro e morreu em decorrência dos ferimentos três dias depois. Os cinco policiais envolvidos foram carregada em 26 de janeiro com assassinato em segundo grau. Protestos ocorreu em cidades dos Estados Unidos em 27 de janeiro, quando a filmagem se tornou pública. (A declaração da bispa do oeste do Tennessee, Phoebe Roaf, à sua diocese é plítica de privacidade .)

Segue a mensagem completa do bispo presidente.


Não há sentido no assassinato de um jovem nas mãos de cinco homens cuja vocação e vocação é proteger e servir. Isso era mau e sem sentido.

Há uma passagem do profeta hebreu Jeremias, que mais tarde é citada no Evangelho de Mateus quando meninos inocentes são mortos por um ditador imoral:

“Ouviu-se uma voz em Ramá,
lamentação e choro amargo.
Rachel está chorando por seus filhos;
ela se recusa a ser consolada por seus filhos,
porque não existem mais”.
—Jeremias 31:15, Mateus 2:18

Com o assassinato de Tire Nichols, outra mãe, como nos textos bíblicos, chora, com as mães de Emmett Till, Trayvon Martin, Michael Brown, George Floyd, Breonna Taylor, Ahmaud Arbery e tantos outros. Uma família sofre. Uma comunidade teme. Uma nação está envergonhada. Como o salmista da Bíblia, algo em nós clama: “Até quando, Senhor, até quando?” Até quando a violência, até quando a crueldade, até quando o total desrespeito pela dignidade e valor de cada filho de Deus? Quanto tempo?

Como se isso não bastasse, há outra dimensão horrível para o que aconteceu. Tire Nichols foi espancado, chutado e amaldiçoado como se não fosse um ser humano. Então, depois de ele estar deitado no chão, tendo chamado pela mãe, deixaram-no ficar ali alguns minutos sem ninguém, incluindo a polícia e o paramédico que estavam presentes, prestando assistência médica. Nenhum bom samaritano.

Certa vez, Jesus contou uma história para ensinar sobre como é amar o próximo, que Moisés e Jesus disseram ser um mandamento de Deus. É a história de um homem espancado quase até a morte e deixado à beira da estrada para morrer por pessoas que sabiam o que Moisés ensinou sobre o amor a Deus e ao próximo — e o que o profeta Miquéias ensinou quando disse que Deus requer três coisas de nós : fazer justiça, amar a bondade e andar humildemente com o seu Deus.

Apenas uma pessoa parou para ajudar o homem, e ele o fez sem levar em conta o fato de serem de diferentes religiões, nacionalidades, grupos étnicos e até mesmo políticos diferentes. Este segundo homem era samaritano e ajudou porque o homem na estrada era humano. Ele ajudou porque era um filho de Deus. Ele ajudou porque o homem caído na beira da estrada, independentemente de raça, classe, clã, faixa ou tipo, era seu irmão. E o homem que ajudou foi chamado de bom samaritano.

O chamado fundamental e a vocação dos encarregados da aplicação da lei, e na verdade de cada um de nós, é o do Bom Samaritano.

Aqui está a esperança: o bom samaritano da parábola de Jesus não foi o último.

Existem bons samaritanos que são funcionários do governo de Memphis que, após avaliar o que aconteceu, demitiram os policiais infratores, acusaram-nos de crimes contra a vida e a dignidade humana e se comprometeram a enfrentar questões sistêmicas e culturais que criaram um ambiente em que esse mal foi ativado.

Existem bons samaritanos fazendo o que é necessário para reformar radicalmente o ambiente e a cultura da aplicação da lei – para criar uma atmosfera na qual a dignidade e o valor de cada ser humano sejam respeitados, protegidos, afirmados e honrados.

Existem bons samaritanos na aplicação da lei e outros socorristas, que muitas vezes trabalham enquanto os outros dormem, trabalhando para proteger e servir, às vezes arriscando suas próprias vidas pelo vizinho que nem conhecem.

Existem bons samaritanos, pessoas de boa vontade e decência humana, que protestam pacificamente. Existem bons samaritanos que são ativistas que trabalham incansavelmente para a realização de comunidades e países onde há verdadeiramente, como proclama o Juramento de Fidelidade, “liberdade e justiça para todos”.

Enquanto sofremos, não podemos ceder ou desistir. Apenas jogar nossas mãos para o alto em desespero não é uma opção para não deixarmos um irmão, uma irmã, um irmão na beira da estrada novamente. Não, que mais bons samaritanos surjam para que a morte de Tire Nichols não seja em vão.

Por favor, ore pela família de Tyre, toda a comunidade de Memphis, esta nação e o mundo. Mas também ore para que as pessoas se levantem como o bom samaritano e trabalhem para criar mudanças para que isso nunca aconteça novamente.

E que a alma de Tiro e as almas de todos os que partiram, pela misericórdia de Deus, descansem em paz e ressurjam em glória. Um homem.

O mais Rev. Michael B. Curry
Bispo Presidente e Primaz
Igreja Episcopal


Tags