Charlie Holt eleito bispo coadjutor novamente na eleição refeita da Diocese da Flórida

Por Egan Millard
Postado em 21 de novembro de 2022

O Rev. Charlie Holt em um vídeo apresentando-se aos membros da Diocese da Flórida.

[Serviço de Notícias Episcopais] O Rev. Charlie Holt foi eleito bispo coadjutor da Diocese da Flórida em uma convenção eleitoral especial em 19 de novembro, a segunda eleição realizada pela diocese este ano, após uma eleição de maio que Holt ganhou foi mais tarde anulado por causa de objeções processuais. A contenciosa convenção eleitoral, que incluiu objeções do plenário do clero e delegados leigos, foi o ponto culminante de um processo repleto de controvérsias sobre os procedimentos eleitorais disputados, bem como a posição de Holt sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Para que a eleição seja completa, a maioria dos comitês permanentes diocesanos e bispos com jurisdição devem consentir com a eleição dentro de 120 dias após serem notificados. Se o fizerem, Holt será ordenado e consagrado bispo coadjutor e sucederá o bispo John Howard como bispo diocesano após a aposentadoria planejada deste último no final de 2023.

Holt, agora servindo na equipe diocesana, enfrentou dois outros candidatos, ambos concorreram na eleição original de maio: o Rev. Miguel Rosada da Igreja Episcopal de São Lucas/San Lucas em Jacksonville e a Rev. Beth Tjoflat da Igreja Episcopal de Santa Maria em Jacksonville.

Um auditor independente e Howard anunciaram os resultados na conclusão da convenção, realizada em Camp Weed em Live Oak. Holt foi eleito na primeira votação.

Os resultados da eleição de bispo coadjutor de 19 de novembro de 2022 da Diocese da Flórida.

Dezenove votos foram desqualificados como “ilegais”. Esses, como explicaram os auditores e Howard, foram lançados por delegados que tinham direito a voto, mas que selecionaram todos os três candidatos em vez de um, aparentemente em protesto. Dois delegados se abstiveram de votar.

“Estou muito grato por seu apoio e pela oportunidade de estar novamente neste cargo de bispo coadjutor eleito”, disse Holt à convenção por telefone após ser notificado de sua eleição. “Minha oração por nós enquanto avançamos nas próximas semanas e meses - e sei que temos mais trabalho duro a fazer - é que possamos ... estender nossas mãos de amor um para o outro e procurar trazer não apenas aqueles que não conhecem o amor de Jesus, mas especialmente aqueles de nós que o conhecemos”.

Em 21 de novembro, a diocese compartilhou uma carta de Holt em seu anúncio da eleição, no qual escreveu que “nada foi fácil neste processo de eleição do bispo. Às vezes tem sido muito difícil.”

“Qualquer eleição, por sua própria natureza, é uma disputa que inevitavelmente nos divide em diferentes grupos com maiorias e minorias enquanto apoiamos nosso candidato desejado e nosso resultado desejado”, escreveu Holt. “Nossa eleição mais recente teve uma tensão particular. Uma pessoa refletiu para mim que “assistir à eleição online foi como assistir a briga de meus pais.

“Estou ansioso para atendê-lo, orar com e por você, aprender com você como podemos ser as mãos do amor em nossas comunidades”, concluiu Holt. “Comecemos com amor uns pelos outros.”

Primeira eleição: confusão, disputas e objeções

Nas eleições de maio, Holt foi eleito na terceira votação com 64 clérigos e 80 votos leigos. Tjoflat, o vice-campeão, recebeu 52 votos do clero e 42 votos dos leigos.

A eleição primeiro veio sob fogo de alguns episcopais dentro e fora que criticaram a postura de Holt declarações sobre raça e sexualidade, dizendo que eles eram um insulto aos LGBTQ + e aos negros, e sua objeção pessoal ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Alguns escreveram a seus bispos e comitês permanentes para incentivá-los a não consentir com o resultado da eleição.

Em entrevistas e sessões de perguntas e respostas com os candidatos a bispo antes da eleição original, Holt disse que mantém a visão do casamento expressa no Livro de Oração Comum de 1979 - que o casamento é entre um homem e uma mulher. Desde 2018, como resultado da Resolução B012 da Convenção Geral, as liturgias do casamento entre pessoas do mesmo sexo devem ser disponibilizadas a todos os episcopais em países onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal. A resolução de compromisso também permite que os bispos que discordam do casamento entre pessoas do mesmo sexo deleguem qualquer supervisão necessária de tais casamentos a outro bispo. Em uma carta à diocese após a eleição, Holt disse que o B012 “será seguido e mantido para apoiar pastoralmente nossas paróquias progressistas e conservadoras”.

Holt também respondeu às preocupações em um mensagem de vídeo de junho aos membros da diocese e à Igreja Episcopal, na qual ele se desculpou pelo que descreveu como más escolhas de palavras e defendeu seu histórico de envolvimento em culturas como padre.

A eleição também enfrentou um objeção formal de alguns delegados que alegaram que a diocese não havia atingido o quórum exigido de clérigos necessário para realizar a eleição. As regras foram alteradas dois dias antes da eleição para permitir que o clero participasse remotamente, mas não os delegados leigos, e os opositores alegaram que aqueles que votaram remotamente não contavam para o quórum. A diocese manteve era a única maneira segura e razoável de chegar a um quórum, dado o grande número de clérigos idosos aposentados que não puderam estar presentes na eleição em Jacksonville.

A objeção formal desencadeou uma investigação pelo Tribunal de Revisão de toda a igreja. O relatório do tribunal, lançado em agosto, disse que a eleição foi “processualmente e canonicamente problemática” e que “irregularidades criam sementes de incerteza que põem em questão a integridade do processo”, embora tenha acrescentado que os líderes diocesanos foram “dedicados e fiéis em sua tentativa de garantir uma eleição justa”. apesar de estar "diante de uma circunstância extremamente infeliz".

Em 19 de agosto, a diocese anunciou que Holt havia retirou sua aceitação da eleição, alertando a segunda eleição.

- Egan Millard é editor assistente e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser contatado em emillard@episcopalchurch.org.


Tags