Reunião dos Primazes termina com declaração sobre preocupações globais enquanto os bispos se preparam para a Conferência de Lambeth

Por David Paulsen
31 de março de 2022

[Serviço de Notícias Episcopais] Os chefes da maioria dos 42 províncias da Comunhão Anglicana, incluindo o Bispo Presidente Michael Curry da Igreja Episcopal, encerrou sua Reunião de Primazes de quatro dias em Londres emitindo uma declaração escrita em 31 de março que aborda uma série de questões globais e antecipa a Conferência de Bispos Anglicanos de Lambeth planejada para este verão.

“Voltamos às nossas igrejas e dioceses conscientes do chamado que nos é dado por Deus, por meio de Jesus Cristo, e de nossa necessidade de graça”, disseram os arcebispos e bispos presidentes em seu comunicado da reunião de 28 a 31 de março. “Nós refletimos sobre a liderança servil de Cristo e nossos próprios papéis como pastores de seu rebanho.”

O Encontro dos Primazes é conhecido como um dos instrumentos anglicanos de comunhão, além da Conferência de Bispos de Lambeth e do Conselho Consultivo Anglicano, o principal órgão de formulação de políticas da comunhão. O arcebispo de Canterbury Justin Welby preside a reunião de primatas, convoca a Conferência de Lambeth e é presidente do Conselho Consultivo Anglicano.

Durante a pandemia do COVID-19, Welby liderou duas reuniões dos primatas online. A Reunião dos Primazes desta semana foi a primeira a ser realizada pessoalmente desde janeiro de 2020, quando Welby e outros líderes anglicanos conheceu na Jordânia.

“Depois de estarmos separados para o nosso próprio bem durante o auge da pandemia, poder estar juntos e orar juntos e tomar a comunhão juntos e lavar os pés um do outro literalmente, esse é um momento sagrado”, disse Curry em entrevista por telefone. Episcopal News Service antes da conclusão da reunião. “Tem sido profundamente, maravilhosamente espiritual.”

Curry também enfatizou a importância de ouvir histórias de províncias anglicanas ao redor do mundo, especialmente em lugares onde irmãos cristãos estão lidando com guerra, fome e perseguição. “Há pessoas que realmente sofrem, que são membros desta igreja, e sofrem por causa de sua fé”, disse Curry.

O comunicado da Reunião dos Primazes expressou especificamente alarme pela crise humanitária causado pela invasão da Ucrânia pela Rússia. “Pedimos um cessar-fogo imediato e a retirada das tropas russas da Ucrânia”, disseram os arcebispos e bispos presidentes.

Eles também reconheceram os conflitos e a violência em andamento em outras partes do mundo, do Afeganistão e da Terra Santa ao Sudão do Sul e Moçambique, e descreveram a situação dos refugiados desses e de outros países como “uma das maiores tragédias do nosso tempo”.

A mudança climática foi outro tema destacado no comunicado do Primates' Meeting, que citou o exemplo de quatro ciclones no Oceano Índico que atingiram a África em dois meses, devastando comunidades em Madagascar e Moçambique. “Os danos ambientais afetam as pessoas mais vulneráveis ​​do mundo, incluindo os povos indígenas que são afetados pela exploração de florestas e outros recursos naturais.”

Os Primazes também discutiram uma consulta da Igreja da Inglaterra sobre a extensão do envolvimento da Comunhão Anglicana mais ampla na escolha dos futuros arcebispos de Canterbury. E abordaram “a decisão unilateral de construir a Grande Barragem Etíope” e o potencial de escassez de água no Egito e no Sudão que pode resultar disso.

“Acreditamos firmemente que o Nilo Azul é um presente de Deus para os países por onde ele flui e, portanto, deve ser uma razão para a cooperação entre a Etiópia, o Sudão e o Egito para alcançar o desenvolvimento sustentável”, disseram eles. “Desejamos apelar aos três países para que retomem, com boa vontade, suas negociações imediatamente para garantir uma distribuição justa da água do Nilo Azul.”

Esta Reunião de Primazes foi anunciada como uma reunião discreta, com “muito poucos negócios 'formais'” e destinada principalmente à oração e conversa, de acordo com o Escritório da Comunhão Anglicana. Estudos bíblicos focados em 1 Pedro, que também será a Escritura central para os mais de 700 bispos anglicanos que estão se preparando para participar do Conferência de Lambeth de 26 de julho a 8 de agosto.

Os arcebispos e bispos presidentes inicialmente pretendiam se reunir em Roma, mas a Reunião dos Primazes foi transferida para a Inglaterra por causa das restrições do COVID-19 na Itália. Alguns primatas ainda optaram por não comparecer pessoalmente devido a precauções pandêmicas que permanecem em vigor em seus países de origem, mas puderam se juntar a outros primatas online.

Três primatas adicionais optaram por pular esta reunião inteiramente por outras razões. Em uma entrevista coletiva no Zoom em 31 de março, Welby identificou esses primatas como os líderes das províncias anglicanas em Uganda, Ruanda e Nigéria. Eles não deram motivos específicos para suas ausências, disse Welby, mas esses primatas já deixaram claro que “não querem estar na sala” com líderes de outras províncias, como a Igreja Episcopal, que permitiram o casamento entre pessoas do mesmo sexo. e clero LGBTQ+.

Tais questões continuam a alimentar as tensões em torno da Comunhão Anglicana. Na coletiva de imprensa, Welby foi questionado sobre como ele lidou com uma recente controvérsia decorrente de bispos de Gana. apoio à legislação anti-LGBTQ+ em seu país. Gana, em 1957, foi o primeiro país da África subsaariana a conquistar a independência da Grã-Bretanha, disse Welby, e que a história colonial exige certo grau de cautela na forma como ele expressa preocupações sobre as políticas e ações de uma província anglicana autônoma.

“Se eu falar de forma descuidada, ainda pode soar para muitas pessoas ao redor do mundo como pensou que um homem branco da antiga potência colonial está dando instruções”, disse ele. “E como sou apaixonadamente anticolonialista e sei que não tenho autoridade, estou constantemente andando na corda bamba na forma como me expresso.”

Dito isso, ele também afirmou a “necessidade de um tratamento adequado, digno e cristão de todas as pessoas, independentemente de sua sexualidade”, que ele disse ser apoiado por um resolução para o efeito da Conferência de Lambeth de 1998.

A próxima Conferência de Lambeth provavelmente voltam a enfrentar problemas de inclusão LGBTQ+, embora Welby tenha dito que também espera que os bispos da Comunhão Anglicana ampliem suas conversas para o papel maior da Igreja no mundo, seguindo o tema da conferência “A Igreja de Deus para o Mundo de Deus”.

“O encorajamento disso é olhar para fora e olhar para outras questões que são profundamente preocupantes para a maneira como tratamos as pessoas no limite, seja a insegurança alimentar, seja o aumento do nível do mar, seja a guerra, perseguição, liberdade de religião. e crença, tortura, práticas comerciais injustas e um milhão de outras coisas”, disse Welby. “Essas são coisas que estão sob o título do chamado de Deus à igreja para falar por justiça em todas as áreas.”

- David Paulsen é editor e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser encontrado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags