O bispo presidente falará na celebração do King Center enquanto a nação homenageia Martin Luther King Jr.

Por David Paulsen
Postado em 13 de janeiro de 2022
MLK em Berkeley

Martin Luther King Jr. fala para uma multidão de cerca de 5,000 pessoas do lado de fora do Sproul Hall na Universidade da Califórnia, Berkley, em 17 de maio de 1967. Foto: Associated Press

[Serviço de Notícias Episcopais] O bispo presidente Michael Curry será o orador principal em 17 de janeiro na celebração anual do Dia de Martin Luther King organizada pelo King Center em Atlanta, Geórgia, enquanto os episcopais se preparam para se juntar aos cidadãos dos Estados Unidos para lembrar o ícone dos direitos civis no feriado que leva seu nome.

The King Center, fundada pela família de King após seu assassinato em 1968, programou uma semana de atividades para comemorar o aniversário de King e celebrar seu legado. Todos os eventos estarão acessíveis on-line, assim como o Serviço Comemorativo da Comunidade Amada das 10h às 1h do Leste de 17 de janeiro. Curry estará entre o número limitado de participantes falando naquele evento pessoalmente. Outros incluem o senador da Geórgia Raphael Warnock e o governador da Geórgia Brian Kemp.

“Muitas vezes nos perguntamos como a vida e o legado de pessoas como o reverendo Martin Luther King Jr. permanecem relevantes em nosso momento atual, e seria difícil exagerar o quanto precisamos do testemunho profético de King agora”, disse Curry em um declaração escrita ao Episcopal News Service. “Desde sua incansável defesa do direito de todos os americanos ao voto, ao seu modelo de fé animando o trabalho não violento pela justiça, King nos chama a continuar seu trabalho – e a trabalhar verdadeiramente pela realização da Amada Comunidade de Deus.”

King nasceu há 93 anos, em 15 de janeiro de 1929. Como pregador batista em Montgomery, Alabama, e Atlanta, Geórgia, ele foi o voz principal e ícone do movimento dos direitos civis no final dos anos 1950 e 1960, e nos últimos anos de sua vida, ele também falou contra a injustiça econômica e a Guerra do Vietnã. Ele foi assassinado em 4 de abril de 1968, durante uma viagem a Memphis, Tennessee, para apoiar os trabalhadores de saneamento da cidade que faziam greve por melhores salários e condições de trabalho.

Como nos últimos anos, dioceses e congregações em toda a Igreja Episcopal estão organizando, hospedando e participando de uma variedade de cultos e outros eventos públicos em homenagem ao líder dos direitos civis.

King pregou seu último sermão de domingo quatro dias antes de sua morte na Catedral Nacional de Washington. Este ano, a catedral celebrará a vida do rei na Santa Eucaristia às 11h15 do dia 16 de janeiro, com um sermão de Bárbara Williams-Skinner, co-fundador do Congressional Black Caucus Foundation Prayer Breakfast. Será transmitido ao vivo no canal do YouTube da catedral. Além disso, a catedral receberá um serviço para estudantes de suas três escolas episcopais às 9h do dia 18 de janeiro com a neta de 13 anos de King, Yolanda Renee King.

Em 15 de janeiro, um almoço em homenagem ao rei será patrocinado pelo capítulo União dos Episcopais Negros em Jacksonville, Flórida, e hospedado pela Catedral de São João. O ativista dos direitos civis Rodney Hurst Sr. é o palestrante principal.

A Diocese de Los Angeles realizará um serviço online em homenagem ao Rei às 4h no Pacífico 15 de janeiro. O bispo de Los Angeles John Harvey Taylor será o celebrante, e o bispo de Missouri Deon Johnson pregará. Será transmitido ao vivo no Facebook e no YouTube.

Em Pittsburgh, Pensilvânia, a diocese episcopal fez parceria com o sínodo local da Igreja Evangélica Luterana na América para organizar uma homenagem ecumênica ao rei. Será realizada às 4h do dia 16 de janeiro na Igreja Luterana Berkley Hills de Pittsburgh. O culto contará com atendimento presencial e será transmitido ao vivo.

A Diocese do Arizona está promovendo “Let Justice Roll”, uma celebração da vida e visão de King, na Igreja Episcopal de São Mateus em Chandler. O evento às 5h Mountain 16 de janeiro contará com música e leituras da “Carta da Prisão de Birmingham” de King.

Também em Atlanta, a Igreja Episcopal de Todos os Santos receberá o pregador convidado Luther Smith, professor aposentado de igreja e comunidade da Emory University em seus cultos em 16 de janeiro. Em seguida, um grupo embarcará em uma peregrinação à Bairro Doce Auburn, que inclui a casa de nascimento de King.

Para começar o feriado de 17 de janeiro, a Igreja Episcopal de São Cipriano e a Igreja Metodista Unida da União em Boston, Massachusetts, sediarão suas 52nd anual Café da Manhã Memorial Martin Luther King Jr.. Annette Gordon-Reed, historiadora e professora da Harvard Law School, falará no evento das 9h da manhã no Leste. Será realizado online, com inscrição antecipada.

O bispo de Nova York, Andrew Dietsche, presidir a um serviço online às 10 horas da manhã de 17 de janeiro oriental como parte de uma celebração do Dia de Martin Luther King no Bronx. O Rev. Robert Jemonde Taylor de Raleigh, Carolina do Norte, pregará, e as doações serão coletadas para o MLK Memorial Scholarship Fund.

A Diocese da Geórgia, liderada pela Igreja Episcopal de São Mateus em Savanna, participará da Parada do Dia de Martin Luther King naquela cidade em 17 de janeiro, seguida de um breve culto de adoração na igreja.

O Conselho de Igrejas do Maine, do qual a Diocese do Maine é membro, está oferecendo um evento on-line às 12h15 do dia 17 de janeiro, chamado “Committed to Listen”, que incluirá uma leitura do sermão da King's National Cathedral, “Remaining Awake Através de uma Grande Revolução.” Quem quiser participar deve registrar aqui .

As dioceses do oeste de Nova York e do noroeste da Pensilvânia estão organizando uma vigília de oração de cinco horas no feriado de King intitulada “Embodied Peacemaking”, a ser realizada online do meio-dia às 5h no leste.

“Em 1963, o Dr. King abordou especificamente a apatia dos cristãos brancos e por que os afro-americanos não podiam mais esperar pela justiça”, disse Gabrie'l Atchison, missionário da administração da parceria de duas dioceses, em um comunicado à imprensa. “Agora, muitas décadas depois e um ano após a morte de George Floyd, que passos precisamos dar como líderes da igreja cristã para nos tornarmos a Comunidade Amada que o Dr. King nos chamou para ser?”

O feriado do Rei também é comemorado em todo o país como um dia de serviço, designado pelo Congresso e coordenado pela Corporação de Serviço Nacional e Comunitário.

Algumas igrejas têm projetos de serviço planejados para coincidir com o feriado. A Igreja Episcopal de St. James em Mount Vernon, Virgínia, está organizando uma unidade de comida enlatada. A Igreja Episcopal de Todos os Santos em Scotch Plains, Nova Jersey, fornecerá uma refeição e atividades para idosos. E em Fayetteville, Arkansas, a Igreja Episcopal de São Paulo convida as pessoas a se encontrarem à tarde para participar projetos que apoiam organizações lideradas por negros na comunidade.

- David Paulsen é editor e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser encontrado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags