O Arcebispo de Canterbury presta homenagem ao Arcebispo Desmond Tutu

Postado em 26 de dezembro de 2021

O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, prestou homenagem ao arcebispo emérito da Cidade do Cabo, Desmond Tutu, que faleceu aos 90 anos.


A morte do Arcebispo Emérito Desmond Tutu (sempre conhecido como Arch) é uma notícia que recebemos com profunda tristeza - mas também com profunda gratidão ao refletirmos sobre sua vida. Minhas orações e condolências vão para sua família e todos que o amavam, com a Igreja Anglicana da Província da África Austral e todo o povo sul-africano.

O amor de Arch transformou a vida de políticos e padres, moradores de vilas e líderes mundiais. O mundo é diferente por causa desse homem.

O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, com o Arcebispo Emérito da Cidade do Cabo, Desmond Tutu. Foto: Lambeth Palace

O Arcebispo Tutu foi um profeta e sacerdote, um homem de palavras e ações, que encarnou a esperança e a alegria que estavam na base de sua vida. Ele era um homem de extraordinária coragem e bravura pessoal: quando a polícia invadiu a Catedral da Cidade do Cabo, ele os desafiou dançando pelo corredor.

Ele era um homem de enorme visão: enxergando as possibilidades de construir a Nação Arco-Íris muito antes de qualquer outra pessoa, exceto talvez o presidente Mandela.

Sua visão e bravura foram aliadas a um astuto senso político e sabedoria, capacitando-o a ser um curador e apóstolo da paz enquanto muitos ainda viam feridas e guerra.

Ele foi um pioneiro, o primeiro Arcebispo Negro da Cidade do Cabo, o pioneiro da Comissão de Verdade e Reconciliação.

Ele foi um grande guerreiro pela justiça que nunca parou de lutar - seja por aqueles em seu próprio país, pela inclusão na Constituição da África do Sul, ou por aqueles que sofrem injustiças ao redor do mundo.

Quando você estava em partes do mundo onde havia pouca presença anglicana e as pessoas não sabiam o que era a igreja anglicana, bastava dizer "É a igreja à qual Desmond Tutu pertence" - um testemunho da reputação internacional que ele tinha e o respeito com que ele foi tratado.

Acima de tudo, ele era um discípulo cristão - essa era a raiz de tudo o mais.

Depois de conhecê-lo, muitos falavam de estar na presença de quem trouxe Deus para perto deles. Sua alegria, graça, riso, esperança e vida conquistaram aqueles ao seu redor com um senso de Jesus Cristo.

Foi o amor de Jesus que vimos em seus olhos, a compaixão de Jesus que ouvimos em sua voz, a alegria de Jesus que ouvimos em seu riso, o rosto de Jesus que vimos em seu rosto. E foi lindo e corajoso.

Seu maior amor é agora realizado quando ele encontra seu Senhor face a face.

Agradecemos hoje por uma vida tão bem vivida, mesmo sentindo a tristeza de tão grande perda.


Tags