Congregação de Massachusetts para hospedar famílias afegãs em alojamentos temporários dentro da igreja

Por David Paulsen
Postado em 3 de dezembro de 2021
Evacuados afegãos em Massachusetts

A Igreja Episcopal de St. Paul em Newburyport, Massachusetts, converteu a sala de aula e o espaço para reuniões em alojamentos temporários para refugiados afegãos que estão sendo bem-vindos à comunidade. Foto: São Paulo, via Facebook

[Serviço de Notícias Episcopais] A partir da próxima semana, uma igreja em Massachusetts começará a abrir suas portas para os refugiados afegãos, já que uma família de 13 pessoas está programada para chegar em 6 de dezembro e estabelecer residência temporária em Igreja Episcopal de São Paulo em Newburyport, ao norte de Boston.

Uma segunda família afegã, com 11 membros, em breve será hospedada por St. Paul's também, parte da resposta da congregação a um apelo em toda a igreja para “dar as boas-vindas ao estranho” já que os Estados Unidos acomodam 50,000 afegãos que fugiram de seu país depois que o Taleban assumiu o controle em agosto.

“É um privilégio oferecer apoio a essas famílias de uma forma tão crucial”, disse o Rev. Jarred Mercer, reitor da St. Paul's, disse ao Salem News. “O chamado para fazermos tudo o que estiver ao nosso alcance para amar e apoiar esses amigos, cujas vidas foram colocadas em grave perigo em seu país por causa de seu relacionamento com o nosso, é um imperativo moral de nosso tempo.”

A congregação de Mercer converteu salas de aula e salas de reuniões em St. Paul's em alojamentos temporários enquanto uma organização de apoio aos imigrantes, a Instituto Internacional da Nova Inglaterra, trabalha para encontrar moradia permanente para as famílias. Mercer disse ao Salem News que a igreja ainda está organizando doações de camas, um berço, lençóis, toalhas e produtos de higiene pessoal para ajudar os recém-chegados a se sentirem em casa.

As igrejas episcopais nos Estados Unidos estão se empenhando de várias maneiras para ajudar os desabrigados, que foram autorizados a entrar no país por meio de um programa de liberdade condicional humanitária. Em Oklahoma, os voluntários episcopais são acolhendo famílias afegãs no aeroporto em Oklahoma City. Uma congregação episcopal em Watertown, Wisconsin, ajudou recentemente encha dois caminhões em movimento e cinco carros com suprimentos para refugiados que estão em Fort McCoy, em Wisconsin. Uma congregação do Novo México lançou uma campanha de doação de suprimentos, enquanto uma congregação de Wyoming tomou medidas para patrocinar uma família afegã em Casper.

Alguns episcopais e congregações estão fornecendo apoio direto aos 11 afiliados locais dos Ministérios de Migração Episcopal, ou EMM, que está coordenando os esforços da Igreja Episcopal para servir esses novos vizinhos. Os episcopais em cidades sem um afiliado do EMM ainda podem dar uma mão, conectando-se com afiliados de uma das outras oito agências de reassentamento.

O programa de liberdade condicional humanitária é separado do programa de reassentamento de refugiados que EMM e outras agências facilitam em nome do Departamento de Estado, embora as agências planejem fornecer serviços aos evacuados afegãos semelhantes ao que tem sido fornecido desde 1980 por meio do programa de reassentamento de refugiados. Esses serviços incluem aulas de inglês e orientação cultural, serviços de emprego, matrícula escolar e assistência inicial com hospedagem e transporte.

EMM também convidou episcopais e suas congregações e dioceses para apoiar esse trabalho fazendo doações online para o Vizinhos bem-vindos: Fundo dos Aliados Afegãos e fazendo voluntariado de outras formas, o que podem fazer por meio de um formulário online.

Em Newburyport, um cidade costeira de 18,000 a cerca de 45 minutos do centro de Boston, o St. Paul's trabalha com o Instituto Internacional da Nova Inglaterra desde agosto, quando os Estados Unidos aceleraram o fim de sua guerra de 20 anos no Afeganistão e retiraram as tropas do país.

Alguns afegãos fugiram para os Estados Unidos por meio do programa especial de visto de imigrante, que está aberto a pessoas que temem ser perseguidas por seu trabalho de apoio ao governo dos Estados Unidos. O programa de liberdade condicional humanitária visa acomodar outras pessoas que chegam em meio à recente crise no Afeganistão e que ainda não têm o status de residência legal. Uma vez nos Estados Unidos, alguns poderão solicitar vistos especiais de imigrante, enquanto outros solicitarão asilo.

“Este é um momento para toda a nossa comunidade se unir e, nesta época de doação e generosidade, fazer tudo o que pudermos para apoiar essas chegadas que estão em tão grande necessidade”, disse Mercer ao Salem News.

- David Paulsen é editor e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser encontrado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags