Igreja da Inglaterra publica importante recurso de ensino sobre identidade e sexualidade

Postado em 10 de novembro de 2020

[Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana] O culminar do que se pensa ser o maior projeto de pesquisa e consulta sobre identidade e sexualidade realizado por uma igreja cristã foi publicado hoje pela Igreja da Inglaterra. Living in Love and Faith (LLF) é uma coleção de recursos de ensino cristão para ajudar os paroquianos C of E a abordar questões de identidade, sexualidade, relacionamentos e casamento.

Os recursos de ensino da LLF - um livro, curso de vídeo, filmes, podcasts e biblioteca online - não são um documento de política. Isso não muda o ensino ou a doutrina da Igreja da Inglaterra; mas, em vez disso, destina-se a ajudar os membros da igreja a discutir as questões que levaram a sérios desacordos dentro da Comunhão Anglicana.

A maioria das províncias anglicanas mantém as crenças cristãs tradicionais sobre casamento e relacionamentos. Algumas províncias - a Igreja Anglicana em Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia, a Igreja Anglicana do Canadá e a Igreja do País de Gales - discutiram a mudança de sua doutrina para permitir casamentos do mesmo sexo; mas não o fez. Alguns outros - a Igreja Episcopal com sede nos Estados Unidos, a Igreja Episcopal Escocesa e a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil - alteraram seus cânones e doutrinas.

Alguns membros da Igreja da Inglaterra argumentaram que o C de E deveria seguir o exemplo; mas em 2017, a Casa dos Bispos concluiu um “Processo de Escuta” de dois anos, dizendo que “o ensinamento da Igreja da Inglaterra sobre o casamento, que tem em comum com a Igreja Católica Romana, as Igrejas Ortodoxas e a maioria das igrejas da Reforma, deve continuar a ser expressa nos termos encontrados no Cânon B30, ou seja, que 'a Igreja da Inglaterra afirma, de acordo com o ensino de nosso Senhor, que o casamento é uma união permanente e vitalícia, de um homem com uma mulher. . . '”

Um debate neutro “tome nota” sobre o relatório foi rejeitado pelo Sínodo Geral. Aqueles que pressionavam por mudança argumentaram que não foi longe o suficiente; enquanto os tradicionalistas argumentaram que isso abriu a porta de forma muito ampla em seu “tom de boas-vindas” para lésbicas, gays, bissexuais ou transexuais (LGBT).

Após o debate, os Arcebispos encomendaram um importante recurso de ensino cristão; e uma equipe de 40 pessoas, liderada pelo Bispo de Coventry, Dr. Christopher Cocksworth, e coordenada pelo Dr. Eeva John, começou a trabalhar na produção dos recursos LLF. A equipe que produziu os recursos incluiu pessoas LGBT e cristãos conservadores

Um porta-voz da Igreja da Inglaterra explicou que “foi um esforço colaborativo. Freqüentemente, em uma demonstração considerável de graça, indivíduos que discordavam teologicamente ou por outros motivos, trabalharam em colaboração com seções de co-autoria que podiam falar autenticamente a ambos. Foi encomendado e recomendado pela [Casa dos Bispos], que também estiveram envolvidos na elaboração do livro. ”

O porta-voz disse que LLF era “sobre aprender a entender diferentes perspectivas e ver o que emerge disso por meio de novas percepções e compreensão” e que LLF foi projetado para ajudar a Igreja a aprender “mais sobre sua herança teológica e o contexto social e cultural em que o evangelho deve ser compartilhado hoje. ”

Na preparação de seus materiais, os membros da equipe da LLF fizeram ampla consulta, inclusive em um evento paralelo durante a reunião do Conselho Consultivo Anglicano em Hong Kong em 2019.

A Casa dos Bispos nomeou o Bispo de Londres, Sarah Mullally, para presidir um pequeno grupo de bispos que vão incentivar as paróquias, decanatos e dioceses da Igreja da Inglaterra a trabalhar por meio dos recursos de ensino da LLF e fornecer feedback à Casa dos Bispos e, em última instância, o Sínodo Geral.

“Estes recursos de aprendizagem são fruto de um extraordinário processo de colaboração”, disse o Bispo de Coventry, Christopher Cocksworth. “Isso envolveu estudo e reflexão intensos e orantes, bem como ouvir uma gama tão ampla de vozes e experiências quanto possível.

“Nossa esperança é que por meio deles as pessoas sejam inspiradas pela visão gloriosa e alegre da Bíblia sobre a intenção de Deus para a vida humana.

“Questões de identidade, sexualidade, relacionamentos e casamento são profundamente pessoais, com consequências na vida real. O envolvimento com esses recursos será enriquecedor e, em diferentes pontos para diferentes pessoas, profundamente desafiador e desconfortável.

“Eles nos pedem para examinar novamente o que significa para os cristãos viver no amor e na fé.

“Nós os oferecemos na esperança de que toda a Igreja da Inglaterra aproveite esta oportunidade de aprender e refletir juntos sobre as diferenças em prol de nossa unidade em Cristo.”

  • Clique aqui para acessar os recursos de ensino de Living in Love and Faith da Igreja da Inglaterra

Tags