Matthew Shepard será enterrado na Catedral Nacional de Washington após serviço público

Por David Paulsen
Postado em outubro 11, 2018
Matthew Shepard

Matthew Shepard era ativo em sua congregação episcopal em Casper, Wyoming. Foto cortesia da Catedral Nacional de Washington

[Serviço de Notícias Episcopais] Vinte anos após o brutal assassinato do estudante gay universitário Matthew Shepard gerou indignação nacional, suas cinzas serão enterradas na Catedral Nacional de Washington após um serviço público de homenagem.

O Serviço de Ação de Graças e Lembrança para Matthew Shepard em 26 de outubro será liderado pelo Bispo de Washington Marian Budde e pelo Bispo aposentado de New Hampshire Gene Robinson, o primeiro bispo abertamente gay da Igreja Episcopal e um conhecido da família Shepard. Até agora, os pais de Shepard não haviam decidido sobre um local de descanso final para seus restos mortais, com medo de que o local fosse vandalizado. À medida que se aproximavam dos 20 anos da morte do filho, Robinson ajudou a família a fazer arranjos na Catedral Nacional de Washington.

A tragédia da morte de Shepard ainda é um apelo à nação para rejeitar o preconceito e "em vez disso, abraçar cada um de nossos vizinhos por quem eles são", o Rev. Randy Hollerith, reitor da catedral, disse em um comunicado à imprensa. “A família Shepard demonstrou extraordinária coragem e graça em manter seu espírito e memória vivos, e a catedral é honrada e humilhada por servir como seu local de descanso final.”

Shepard, 21, era um estudante da Universidade de Wyoming em Laramie quando um transeunte o encontrou espancado e amarrado a uma cerca em outubro de 1998. Ele morreu mais tarde em um hospital. O crime gerou protestos contra a prevalência da violência anti-gay.

Seu funeral de 1998 foi realizado na Igreja Episcopal de São Marcos em Casper, Wyoming, a congregação onde ele havia servido como acólito. Shepard também frequentou o Canterbury Club enquanto estava na faculdade.

“Matt amava a Igreja Episcopal e se sentiu bem-vindo por sua igreja em Wyoming”, disse sua mãe, Judy Shepard, em um comunicado à imprensa na catedral. “Nos últimos 20 anos, compartilhamos a história de Matt com o mundo. É reconfortante saber que agora ele vai descansar em um local sagrado onde as pessoas podem vir para refletir sobre a criação de um mundo mais seguro e mais amável. ”

Cerca de 200 pessoas estão enterradas na Catedral Nacional de Washington, incluindo o presidente Woodrow Wilson e Helen Keller. O enterro de Shepard será uma cerimônia privada, mas o serviço em memória será aberto ao público e pode atrair uma multidão de 1,500 a 2,000 pessoas, disse o chefe de comunicações da catedral, Kevin Eckstrom, ao Episcopal News Service.

O local pode se tornar uma espécie de parada de peregrinação dentro da comunidade LGBTQ, disse Eckstrom. E Budde, citado no New York Times, destacou que a Igreja Episcopal se esforça por oferecer uma mensagem de boas-vindas a todas as pessoas.

“Muita coisa mudou [desde a morte de Shepard], mas nem tudo mudou”, disse Budde ao Times. “Pareceu muito importante para nós dizer que acreditamos que as pessoas LGBTQ são filhos amados de Deus, não apesar de suas identidades, mas por causa de quem eles são - para quem Deus os criou.”

- David Paulsen é editor e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser contatado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags