Igreja no País de Gales destaca a 'educação pobre' das crianças galesas durante o evento Eisteddfod

Postado em agosto 10, 2018

[Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana] Os voluntários da Igreja estão entrando em ação para fornecer alimentos e apoio para famílias em dificuldades, já que os cortes nos gastos públicos têm impacto sobre a pobreza infantil, disse a Igreja no País de Gales esta semana durante um evento em O Eisteddfod, o festival cultural anual. O público presente no evento ouviu histórias de crianças que lutam para fazer os deveres escolares porque suas famílias não podem pagar um computador ou acesso à internet, passam fome nos feriados e os pais não podem pagar o uniforme escolar. Ele também soube que cortes de fundos ameaçavam centros familiares administrados por igrejas em algumas das áreas mais carentes do país.

Leia a artigo inteiro aqui.


Tags


Comentários (2)

  1. Mike Haines diz:

    Fiquei um pouco chocado com a manchete “educação pobre”. Eu (americano mais velho) li isso como um comentário desdenhoso sobre os pais que os filhos recebem. Felizmente li o artigo e a triste verdade sobre os efeitos da pobreza emergiu e esta é a verdade em todo o mundo. Bom para a Igreja de Gales por lidar com isso. Bom lembrete para eu ler além das manchetes.

    1. Michael Cooper diz:

      Mike, estou curioso para saber por que você presumiu que o título estava errado. Não é possível que uma porção significativa de uma determinada população em um determinado momento em um determinado lugar esteja, de fato, fazendo um trabalho ruim na criação de seus filhos? Não é possível que a Igreja no País de Gales estivesse falando a verdade em amor aqui? Se a pobreza é um problema no País de Gales, então certamente devemos reconhecer o enorme desafio que representa uma boa educação dos filhos. No entanto, não acredito que a pobreza isente os pais de toda a responsabilidade de ensinar aos filhos que o bullying é errado, que as boas maneiras são importantes, que a bondade, o respeito, o falar a verdade e o trabalho árduo também são importantes, etc. Acontece que a manchete aqui parece referir-se a “educar uma criança em meio à pobreza”, em vez de “educar uma criança de maneira inadequada e com atenção insuficiente ao caráter (ou fé, por falar nisso). Cada uma das manchetes, se verdadeira, comunicaria algo importante. E concordo que todos devemos ler além das manchetes!

Comentários estão fechados.