Membros do comitê de evangelismo se unem para compartilhar a fé e encontrar Jesus nas ruas de Austin

Por David Paulsen
Postado Jul 5, 2018

Três membros do Comitê de Evangelismo e Plantação de Igrejas se encontraram e conversaram com este grupo de pessoas que formaram uma comunidade na calçada ao lado do estacionamento da Igreja Episcopal na Trinity Street. O Rev. Alex Montes-Vela, deputado do Texas, está na calçada de braços cruzados. Foto: Frank Logue

[Episcopal News Service - Austin, Texas] Para um comitê designado para tomar resoluções relacionadas ao evangelismo, seu trabalho no JW Marriott Grand Ballroom 8 para a Convenção Geral, embora valesse a pena, não parecia muito com evangelismo.

Os presidentes do comitê, reconhecendo as limitações do evangelismo de salão de baile, decidiram tentar algo diferente. Além de conduzir a discussão sobre como a Igreja Episcopal promoverá o evangelismo no próximo triênio, os presidentes encorajaram os bispos e deputados do Comitê de Evangelismo e Plantação de Igrejas a praticar um pouco de evangelismo nas ruas de Austin.

“Acreditando que Jesus já está presente e que o evangelho já está se desenvolvendo neste lugar hoje, o que devemos ir e ver é o que Jesus já está fazendo”, disse o bispo de Rhode Island, Nicholas Knisely, ao comitê, que ele preside com o Rev. Frank Logue, deputado da Geórgia.

“Nosso papel não é tanto dizer às pessoas, é nisso que você deve acreditar ... mas realmente ver o que Deus está fazendo e onde podemos participar dessa missão, onde podemos fazer parte dela”, disse Knisely.

Quando os negócios do comitê do dia terminaram, os membros formaram pares por conta própria e saíram do hotel, dois a dois, e praticaram evangelismo de qualquer maneira que o espírito os conduzisse.

A bispo de Indianápolis Jennifer Baskerville-Burrows, à direita, e a delegada de Delaware, Lee Ann Walling, conversam com Keifred Townsend na Third Street em Austin em 4 de julho. Foto: David Paulsen / Episcopal News Service

Alguns simplesmente falavam com pessoas que conheceram na rua ou em cafés. A bispo de Indianápolis, Jennifer Baskerville-Burrows, juntou-se a Lee Ann Walling, uma deputada de Delaware, e caminhou para oeste do hotel. Baskerville-Burrows, vestida com sua camisa roxa de bispo e colarinho, disse que oportunidades de evangelismo já a encontraram desde que chegou a Austin.

“Duas pessoas me pediram para orar com elas só porque estou andando pela rua”, disse ela enquanto o Episcopal News Service acompanhava a caminhada.

[perfectpullquote align=”right” bordertop=”false” cite=”” link=”” color=”” class=”” size=””]A cobertura ENS completa da 79ª reunião da Convenção Geral está disponível SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.[/perfectpullquote]

O destino deles era uma loja de corrida no centro da cidade, onde Baskerville-Burrows esperava se envolver na evangelização com outros corredores, embora ela e Walling também encontrassem Deus na calçada ao longo do caminho. Eles logo conheceram um homem, Keifred Townsend, 40, que desenhava em um caderno em um banco.

Townsend estava usando pulseiras pretas com a mensagem: "Deus é grande o suficiente."

“Ele está sempre na hora quando você precisa dele”, disse Townsend a Baskerville-Burrows e Walling.

Os membros do comitê reservaram um tempo em 5 de julho, após sua primeira audiência do dia, para compartilhar algumas histórias de seu evangelismo de rua do dia anterior. Baskerville-Burrows e Walling disseram que também encontraram Jesus na loja de corrida na forma do dono da loja, Ryan.

“Presumi que o jovem da loja em funcionamento não estava interessado na igreja”, disse Walling a seus colegas membros do comitê. “Ele realmente me evangelizou.” O dono da loja disse que faz parte de uma congregação chamada Igreja da Comunidade Austin Stone e ele compartilhou sua história de fé com seus dois visitantes episcopais.

Logue fazia parte de um trio de deputados que visitaram o estacionamento da Igreja Episcopal do outro lado da Trinity Street da Igreja Episcopal de St. David. O lote é o futuro site dos Arquivos da Igreja Episcopal.

Logue, o Rev. Michael Sells de Navajoland e o Rev. Alex Montes-Vela do Texas encontraram um grupo de pessoas reunidas na beira do lote - “uma comunidade em uma faixa de calçada. Eles colocaram uma Bíblia em uma árvore supervisionando sua comunidade ”, Logue disse ao ENS após a experiência.

O Rev. Michael Sells de Navajoland, à direita, ouve Clifton, um membro da comunidade de calçada que se formou na Trinity Street. Foto: Frank Logue

Um homem com uma camisa havaiana chamado Clifton foi falante e compartilhou que ele era ativo na Igreja Metodista, disse Sells, e ele e os outros episcopais aprenderam que esta era uma comunidade de esperança muito unida e espiritual, em contraste com outras partes de Austin, onde as drogas e a violência são muito comuns.

“Eu vi uma dicotomia engraçada lá”, Sells disse ao comitê. “Do outro lado está o lado do desespero ... mas deste lado está o lado da esperança. Acho que vi Jesus lá. ”

Montes-Vela disse que ficou impressionado - e surpreso - com o credo seguido por esta comunidade que vive à margem da sociedade. Eles recolheram seu lixo. Eles não pediram dinheiro a ninguém. Eles desafiaram os estereótipos que Montes-Vela admitiu que inicialmente trouxe para a interação.

“Acho que Jesus me mostrou, por meio deles, que eu não poderia fazer isso”, disse Montes-Vela.

- David Paulsen é editor e repórter do Episcopal News Service. Ele pode ser contatado em dpaulsen@episcopalchurch.org.


Tags


Comentários (3)

  1. Frank O'Brien diz:

    O evangelismo está apenas parando as pessoas na rua e falando sobre Jesus? Hoje isso é fácil em Austin, onde todos sabem sobre a convenção. O que devemos fazer quando chegarmos em casa?

    1. Bobbie Joy Amann diz:

      Ande pelas ruas de sua própria cidade. Com os olhos e o coração bem abertos. A presença virá para você ...

  2. Frank Harrison diz:

    Bem, POR QUE FOCAR no Cristianismo? O mesmo pode ser feito com o budismo? Na verdade, também existem ateus amorosos e caridosos.

Comentários estão fechados.