O Conselho Executivo conclui seu trabalho trienal, olha para a Convenção Geral

Membros que partiram incentivam seus sucessores a continuar liderando a igreja para um novo ministério

Por Mary Frances Schjonberg
Postado 23 de abril de 2018

O Bispo Presidente Michael Curry, à direita, e o Presidente da Câmara dos Deputados, o Rev. Gay Clark Jennings, atuam em 22 de abril como apresentadores de um jantar durante o qual os membros do Conselho Executivo homenagearam o serviço de seus colegas que estão completando seus mandatos de seis anos. Foto: Mary Frances Schjonberg / Episcopal News Service

[Episcopal News Service - Austin, Texas] Amarrar pontas soltas, mover a missão e o ministério da igreja adiante e dizer adeus a metade de seus membros, a Igreja Episcopal Conselho executivo em 23 de abril encerrou seu trabalho trienal.

Em seu último ato oficial do triênio 2016-2018, o conselho passou 45 minutos em sessão executiva, revisando seu trabalho durante os últimos três anos.

Em uma entrevista coletiva após o encerramento do conselho, o Bispo Presidente Michael Curry disse que o conselho concluiu seu trabalho “com risos, uma sensação de alegria e um sentimento de realização”.

“Nós temos algumas coisas feitas. Enfrentamos alguns problemas difíceis. Nós os enfrentamos, nós os descobrimos, dissemos nossas orações e fizemos um trabalho muito bom ”, disse ele.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rev. Gay Clark Jennings, disse que o conselho e a equipe de liderança executiva da Igreja esclareceram seus papéis e responsabilidades, bem como suas obrigações mútuas e com a Igreja em geral.

“Foi uma jornada adorável e acho que crescemos imensamente em nosso respeito mútuo”, disse ela. “Nós confiamos um no outro. Nem sempre concordamos um com o outro, mas parecemos ser capazes de apenas continuar. Quando não concordamos ou quando temos um problema, minha experiência tem sido que falamos a verdade em amor ”.

A Igreja Episcopal tem uma tradição de chamar líderes que trazem sabedoria, concentração espiritual e profunda experiência, disse o Rev. Michael Barlowe, o oficial executivo da Convenção Geral e secretário do conselho. Curry e Jennings, disse ele, personificam essa tradição.

Tanto Jennings quanto Curry disseram que estão ansiosos para retornar a Austin para a 79ª reunião da Convenção Geral no início de julho. “O Movimento de Jesus está começando a criar raízes”, disse Jennings, acrescentando que está animada para descobrir quais novas ideias surgirão na convenção. Curry concordou, dizendo que antecipa que esta reunião da convenção “irá se aprofundar”.

O Rev. Jabriel Ballentine, à direita, que é um membro contínuo do Conselho Executivo, presta homenagem à membro Anita George durante o jantar de celebração do conselho em 22 de abril. Foto: Mary Frances Schjonberg / Episcopal News Service

No dia 23 de abril, os presidentes cessantes das cinco comissões do conselho apresentaram seus relatórios finais. Alguns incluíram exortações sobre o trabalho futuro do conselho como líderes na Igreja Episcopal. Anita George, presidente do Comitê Permanente Conjunto do Conselho sobre Advocacia e Rede, disse que seu comitê está encarregado de "dar voz e conectar os episcopais com o propósito de fazer avançar o trabalho de união na missão de Deus de justiça, paz, reconciliação e transformação."

Alcançar essa meta começa com cada episcopal, disse George, incluindo seus líderes. Durante esta reunião, George disse que os membros do Advocacy and Networking "se envolveram em longas deliberações sobre a necessidade contínua e crítica do Conselho Executivo e da Igreja Episcopal de se envolver em um treinamento profundo e discussões sobre racismo e reconciliação racial".

Os membros do comitê discutiram o fato de que “muitos exemplos de incidentes dentro e fora da igreja nos lembram que o trabalho está longe do fim”, disse George.

O comitê “insta a igreja a exigir que todos os líderes da Igreja Episcopal, incluindo o Conselho Executivo, se envolvam em treinamento anti-racismo e conversas profundas sobre raça”, disse George. “Além disso, incentiva a igreja a se envolver em discussões para explorar o uso e o poder de linguagem potencialmente prejudicial ao interagir com os grupos amplos e diversos que compõem nossa amada igreja.”

O comitê disse que os líderes da igreja devem reconhecer que “mesmo com as melhores intenções, podemos insultar ou prejudicar os outros sem sensibilidade a linguagem imprópria quando estamos envolvidos com boas obras”, disse George.

George disse que, ao deixar o conselho, ela sai com “grandes esperanças e expectativas muito, muito altas deste corpo. Desafio-vos, desafio-vos a recordar os rostos de Deus que não estão aqui e que dependem de vós para continuar a dar espaço a eles e às suas vozes na amada comunidade. Eu te imploro, e eu te amo. ”

Ela voltou para seu assento em meio a uma ovação de pé.

O Conselho Executivo executa os programas e políticas adotadas pela Convenção Geral, de acordo com Cânone I.4 (1). O conselho é composto por 38 membros - 20 (quatro bispos, quatro sacerdotes ou diáconos e 12 leigos) eleitos pela Convenção Geral e 18 (um clero e um leigo) eleitos pelos nove sínodos provinciais para mandatos de seis anos - mais o bispo presidente e o presidente da Câmara dos Deputados. Além disso, o vice-presidente da Câmara dos Deputados, secretário, diretor operacional, tesoureiro e diretor financeiro têm assento e voz, mas não voto. Assim, 19 membros do conselho terminarão oficialmente seus mandatos de seis anos durante a Convenção Geral em julho.

O Bispo da Diocese do Texas, Andy Doyle, disse aos membros do Conselho Executivo e à equipe de toda a igreja durante uma recepção em 22 de abril que a diocese está ansiosa para hospedar a Convenção Geral em Austin em julho. Foto: Mary Frances Schjonberg / Episcopal News Service

Aqui estão algumas das ações que o conselho tomou no último dia de sua reunião de três dias:

* Os membros concordaram em fornecer assistência financeira a 13 dioceses e uma missão de área que disseram precisar de ajuda para cobrir os custos de participação na Convenção Geral. Todas as entidades já recebem subsídios em bloco do orçamento de toda a igreja. O bispo de Honduras Lloyd Allen, membro do conselho, disse que a assistência “é um sonho que se tornou realidade. Nós choramos, pedimos, imploramos ”.

Embora cada entidade receba US $ 1,200, que outro membro do conselho notou chegar a cerca de US $ 150 por deputado, Allen disse que a maior preocupação tem sido com a ajuda para cobrir os custos de registro, “o que impediu nossa delegação de ser concluída na Convenção Geral”.

Cada bispo, deputado e suplente deve pagar um $ 600 taxa de inscrição, além de seus custos de hospedagem e transporte.

O Rev. Nathaniel Pierce, membro do conselho cessante, observou que o conselho aprovou uma resolução semelhante, embora por um valor menor, no início de 2015 para ajudar a cobrir esses custos para a última Convenção Geral. O Conselho precisa considerar o que ele chamou de “questões sistêmicas” que continuarão a gerar esse financiamento provisório.

“Eu, pelo menos, tenho vergonha de que as pessoas tenham que implorar por esse dinheiro”, disse ele.

O Rev. Jabriel Ballentine, membro do Conselho Executivo em exercício, disse que os recebedores de subsídios em bloco fazem um ótimo trabalho com esse dinheiro "e, portanto, devemos forçar as pessoas que estão fazendo um grande ministério a decidir entre usar esses recursos limitados para fazer ministério ou manter sobre esses recursos a fim de chegar à mesa [Convenção Geral] é uma falsa dicotomia. ”

Nancy Koonce, membro do conselho que está saindo, disse que o Comitê Permanente Conjunto de Finanças para a Missão (FFM) exortou seus sucessores a considerarem este dilema.

Barlowe concordou que, embora essas entidades tenham sido “gentis” ao pedir esse dinheiro, “não deveríamos depender constantemente de sua gentileza”. A questão, disse ele, vai à raiz da política da Igreja sobre a ampla participação em órgãos de formulação de políticas. Ele disse que o comitê executivo do conselho estará considerando a questão entre o final da próxima Convenção Geral e o início da próxima reunião do conselho em outubro.

O membro cessante do Conselho Executivo, Pragedes Coromoto Jimenez de Salazar, em primeiro plano, da Venezuela, diz aos seus colegas que continuará a trabalhar para o bem de toda a Igreja Episcopal. A intérprete Dinorah Padro auxiliou-a durante seus comentários. Foto: Mary Frances Schjonberg / Episcopal News Service

* Os membros do conselho ouviram que um pequeno grupo de pessoas que estiveram envolvidas no processo de orçamento trienal da igreja se reunirá entre agora e o início da Convenção Geral para considerar como melhorar esse processo. Uma meta, de acordo com a Presidente cessante da FFM, Tess Judge, seria estabelecer um processo “que permita o envolvimento precoce do PB&F (o Comitê Permanente Conjunto de Programa, Orçamento e Finanças), bem como mais tempo para a FFM lidar com outros assuntos relacionados para a situação financeira da igreja. ”

Da igreja Comissão Permanente de Governança, Estrutura, Constituição e Cânones chamado em seu relatório do Livro Azul (começando na página 402 aqui) para uma força-tarefa reformular o processo orçamentário. “A igreja está atolada em um processo de orçamento que não disponibiliza tempo suficiente para a contribuição da igreja em geral antes da Convenção Geral”, disse a comissão.

No entanto, quando FFM se reuniu em 22 de abril com o conselho Comitê Permanente Conjunto de Governança e Administração para a Missão, os membros concordaram que fazia mais sentido abordar as questões envolvidas imediatamente.

* O conselho ouviu boas notícias sobre o trabalho de seu Comitê de Revisão de Avaliação. O comitê tem conversado com cerca de 18 dioceses que atualmente não pagam o valor total da avaliação ou que prevêem pedir uma isenção parcial ou total em 2019.

O projeto de orçamento do conselho, que forma a base do trabalho da PB&F na Convenção Geral para elaborar o orçamento de 2019-2021, inclui um item de linha reservando $ 5.9 milhões para tais isenções. Assim, uma redução prevista nos valores em dólares das isenções solicitadas significaria que o dinheiro não utilizado dessa reserva poderia estar disponível para ajudar a financiar outros itens de linha do orçamento.

O Conselho estabeleceu o comitê no início de 2015 antes da Convenção Geral naquele verão tornando obrigatório o atual sistema voluntário de pedidos orçamentários diocesanos para o ciclo orçamental de 2019-2021. As doações diocesanas anuais de cada ano no orçamento de três anos foram baseadas na renda de uma diocese dois anos antes, menos $ 150,000. Qualquer diocese que não puder ou não quiser pagar a porcentagem que será exigida em breve de sua renda anual deve pedir uma renúncia parcial ou total para evitar qualquer penalidade, como não ser elegível para subsídios para toda a igreja.

* Os membros do conselho aprovaram uma política sobre o uso de álcool por funcionários da Sociedade Missionária Doméstica e Estrangeira (DFMS é o nome sob o qual a Igreja Episcopal é incorporada, conduz os negócios e realiza a missão). Enraízado em Resolução da Convenção Geral 2015-A158, que exigia tais políticas, o conselho concordou com a política dos funcionários que impõe "limites apropriados ao serviço e consumo de álcool" no trabalho, reuniões, "atividades e eventos comemorativos do DFMS".

“O consumo excessivo de álcool pode colocar em risco a saúde e a segurança dos funcionários da DFMS e outras pessoas ao seu redor e manchar a reputação da DFMS”, diz a política. Ele acrescentou que aqueles que optam por consumir bebidas alcoólicas em tais ambientes “devem se comportar de maneira respeitosa, profissional, dentro dos limites legais e de acordo com todas as políticas do DFMS”.

A política inclui detalhes sobre a disponibilidade e o consumo de álcool.

A ação do conselho veio no final de uma reunião durante a qual os membros ouviram Curry resumir o As conclusões e recomendações da Comissão de Incapacidade e Liderança.

* O membro do conselho Polly Getz e o Diretor de Comunicações da Diocese de Utah, Craig Worth, convidaram o conselho para ajudá-los a testar um novo site desenvolvido para ajudar a educar a igreja em seu processo disciplinar do clero Título IV. O site será lançado ao público durante a Convenção Geral em julho. A cobertura do Episcopal News Service dessa apresentação está aqui.

Os resumos de todas as resoluções do conselho aprovadas nesta reunião estão aqui.

Alguns membros do conselho tuitaram da reunião usando #ExCoun.

A reunião de 21 a 23 de abril aconteceu no Hotel Wyndham Garden Austin.

- A Rev. Mary Frances Schjonberg é editora gerente interina do Episcopal News Service.


Tags