Dioceses companheiras trabalham para reconstruir Porto Rico

Por Dan Webster
Postado em 22 de dezembro de 2017

Esta estátua de Nosso Senhor danificada pelo furacão na Misión la Santa Cruz em Porto Rico inspira os episcopais de lá e da Diocese de Maryland em seu ministério para ajudar a recuperar a ilha. Foto: Eugene Sutton

[Diocese Episcopal de Maryland] As Dioceses de Maryland e Porto Rico estão se comprometendo a vários anos de trabalho árduo para reconstruir Porto Rico. Dois furacões assassinos no outono passado causaram devastação e privação. As consequências dessas tempestades foram sentidas e ouvidas. Maryland e Porto Rico são dioceses companheiras desde junho de 2016.

Igrejas e indivíduos dentro e fora da Diocese de Maryland responderam ao apelo para arrecadar dinheiro para seu fundo “Rebuild Puerto Rico”. Mais de US $ 20,000 para necessidades emergenciais imediatas foram arrecadados um mês após o golpe de nocaute do furacão Maria. Até agora, um total de $ 47,000 foi dado.

O bispo de Maryland, Eugene Taylor Sutton, e a Rev. Margarita Santana, cônego do ministério latino para a Diocese de Maryland, apresentaram o primeiro desses fundos em outubro passado ao Bispo de Porto Rico, Rafael Morales, quando visitaram o território da ilha.

A Diocese de Porto Rico agora opera dois centros de ajuda e suprimentos de emergência, um no Centro Diocesano perto de San Juan e outro no Hospital Episcopal St. Luke's em Ponce. Durante uma visita pós-furacão de Morales a uma comunidade rural especialmente devastada, um paroquiano declarou: “Somos una diócesis de la esperanz” (Somos uma diocese da esperança). Este se tornou o chamado para o povo da diocese - um mantra de fé na ressurreição, oração e ação inspirada pelo espírito.

Sutton enviou o Rev. James Snodgrass à convenção diocesana em Porto Rico no mês passado, onde leu uma carta de Sutton. Para Snodgrass, foi uma viagem de volta à diocese na qual ele ainda é residente canônico. Ele e sua esposa, Patty Parsley, passaram 5 anos e meio como missionários na região rural e montanhosa de Aibonito. Eles fundaram um centro de retiro e uma nova congregação missionária antes de se mudarem para Baltimore em 2012.

Sutton pediu a Snodgrass para avaliar os danos causados ​​sete semanas antes. Os danos foram extensos à vegetação, paisagem e edifícios - enormes árvores arrancadas, estruturas de madeira demolidas. Quando o sol se punha, alguns lugares tinham serviço elétrico, geralmente fornecido por geradores; muitos lugares foram cercados pela escuridão, alguns iluminados por uma vela ou abandonados. Snodgrass relembrou as palavras do Evangelho de João: “A luz brilha nas trevas, e as trevas não a venceram”.

Em uma ilha com alta densidade de automóveis e 9% da população vivendo em áreas urbanas, dirigir sem sinais de trânsito, especialmente à noite, era angustiante. Em alguns lugares, a folhagem reapareceu, os detritos foram coletados ao longo das estradas e os negócios foram reabertos. Em outros lugares, especialmente entre os muito pobres, a destruição persistiu. As pessoas estavam esgotadas.

Durante a 110ª Asamblea Diocesana (convenção diocesana), Morales, recém-consagrado em julho, fez um discurso cheio de esperança aos delegados. Ele agradeceu a todos os que atenderam às necessidades emergenciais, encorajando todos a colaborar e estender a mão, e ele delineou sua visão e prioridades para a diocese no futuro próximo. Ele proclamou um novo ano cristão, que começou com o Advento, como “El Año de Discipulado” (o Ano do Discipulado). E concluiu: “Nuestra iglesia es dinámica, misionera y evangelizadora” (A nossa Igreja é dinâmica, missionária e evangelizadora).

Foi dito que esta convenção diocesana foi uma das mais animadas, bem organizadas e harmoniosas da memória recente.

Após a convenção, Morales disse a Snodgrass que sua principal prioridade é concluir o centro de retiro, Centro Espíritu Santo, em Aibonito. Serviria ao clero e ao povo de Porto Rico, bem como aos dos Estados Unidos e de outros lugares. O projeto envolveria a construção de uma igreja e instalações noturnas. Morales e Sutton discutiram este projeto, e como, como dioceses companheiras trabalhando juntas e com a ajuda de Deus, isso pode acontecer.

Morales concordou entusiasticamente com a proposta de um projeto de trabalho missionário paroquial em Aibonito, patrocinado pela Igreja de St. John, Havre de Grace, Maryland, e liderado por Snodgrass, que é o padre responsável por lá. O grupo ficará em uma casa de propriedade da igreja, orará diariamente e cozinhará suas próprias refeições, consertará casas danificadas nas redondezas e plantará novas árvores. O grupo espera ir no início de março.

As experiências deste grupo inicial ajudarão a Diocese de Maryland a aconselhar outros grupos religiosos interessados ​​em ir à ilha para ajudar na restauração física e espiritual e no esforço de reconstrução. O Rev. Rafael Zorrilla, cônego do Ordinário, supervisiona todos os grupos que chegam a Porto Rico. Ele disse a Snodgrass que está sobrecarregado com pedidos de grupos religiosos nos Estados Unidos que desejam vir e ajudar. Ele pediu à Diocese de Maryland que desenvolvesse um processo de seleção e recomendasse quais grupos deveriam comparecer. Esses grupos seriam então associados a uma igreja em Porto Rico e, juntos, trabalhariam em arranjos de viagens e projetos de trabalho. Ele ressaltou que os grupos que vêm a Porto Rico precisam de alguém que fale espanhol.

Quando Sutton visitou Porto Rico em outubro, ele viu uma estátua de Nosso Senhor na Misión la Santa Cruz. Lembrou-lhe as palavras de Teresa de Ávila: “Cristo não tem corpo senão o teu. Sem mãos, sem pés na terra, mas seus. Seus são os olhos pelos quais ele olha com compaixão para este mundo. Seus são os pés com os quais ele caminha para fazer o bem. Suas são as mãos com as quais ele abençoa o mundo todo. Suas são as mãos, seus são os pés, seus são os olhos, você é o corpo dele. Cristo não tem corpo agora na terra, exceto o seu. ” As mãos da estátua estavam faltando. Sutton tinha esperança de que a Diocese de Maryland se tornasse as mãos de Cristo junto com suas irmãs e irmãos em Porto Rico.

- O Rev. Dan Webster é cônego para evangelismo e mídia na Diocese de Maryland.


Tags