Atualizado: Arcebispo de Canterbury expõe visão para o encontro de primatas de 2017

Membros do Conselho Consultivo Anglicano da Igreja Episcopal emitem declaração sobre as alegações da história do ACNS

Postado 1 de fevereiro de 2017

Nota do editor: Esta postagem foi atualizada às 5h05 EST do dia 1º de fevereiro para adicionar a seguinte declaração dos três membros do Conselho Consultivo Anglicano da Igreja Episcopal em resposta à história do Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana abaixo.


Declaração dos membros da Igreja Episcopal do
Conselho Consultivo Anglicano

Como membros da Igreja Episcopal da Conselho Consultivo Anglicano, ficamos consternados ao ler no Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana (ACNS) de hoje um artigo que afirma que não votamos em questões de doutrina ou política na reunião mais recente do ACC, conhecido como ACC-16, realizado em Lusaka, Zâmbia, em abril de 2016. Este relatório está errado.

Cada um de nós participou de toda a reunião do ACC-16 e votou em todas as resoluções apresentadas ao corpo, incluindo algumas que diziam respeito à doutrina e ao regime da Comunhão Anglicana. Como membros do ACC devidamente eleitos de uma província da Comunhão Anglicana, esta era nossa responsabilidade e nós a cumprimos.

Pode-se inferir da história de hoje da ACNS que não cumprimos nossas responsabilidades de voto na ACC-16 para cumprir um comunicado emitido pelos primatas da Comunhão Anglicana em janeiro de 2016. O comunicado buscava impor consequências à Igreja Episcopal para sua adoção de igualdade no casamento em nossa Convenção Geral de 2015. Tal inferência seria incorreta.

No início do ACC-16, o Comitê Permanente da Comunhão Anglicana emitiu uma declaração dizendo que “considerou o Comunicado dos Primazes e afirmou os vínculos relacionais entre os Instrumentos de Comunhão nos quais cada Instrumento, incluindo o Conselho Consultivo Anglicano, forma seus próprios pontos de vista e tem suas próprias responsabilidades. ” Após a conclusão do ACC-16, seis membros cessantes do Comitê Permanente liberaram uma carta reafirmando que “ACC16 não endossou nem afirmou as consequências contidas no Comunicado dos Primazes”.

Como membros do Conselho Consultivo Anglicano, agradecemos a Deus pelo tempo que passamos com irmãs e irmãos em Cristo de todo o mundo, e pela amplitude e diversidade de nossa família anglicana global. Estamos firmemente comprometidos com a plena participação da Igreja Episcopal na Comunhão Anglicana e esperamos que, no futuro, nossa participação seja relatada com precisão pelo Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana.

Rosalie Simons Ballentine
Ian T. Douglas
GayClark Jennings
Membros da Igreja Episcopal do 16º Conselho Consultivo Anglicano, Lusaka, Zâmbia

O Rev. Gay Clark Jennings, à esquerda; Rosalie Simmonds Ballentine, segunda da direita; e o Bispo de Connecticut Ian T. Douglas, à direita, posar em 18 de abril de 2016, com o Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, durante a 16ª reunião do Conselho Consultivo Anglicano em Lusaka, Zâmbia. Foto: Mary Frances Schjonberg / Episcopal News Service


[Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana] O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, escreveu a todos os primatas na Comunhão Anglicana para expor suas esperanças para o próximo Encontro de Primazes, que acontecerá em Canterbury de 2 a 6 de outubro.

Na carta, Welby expõe sua visão para a reunião em Canterbury como uma oportunidade para comunhão descontraída e consulta mútua. Ele convida os primatas a apresentarem itens para a agenda e diz estar ciente das pressões sob as quais muitos deles vivem.

Artigo completo.

A cobertura completa do Serviço de Notícias Episcopal da reunião ACC-16 pode ser encontrada aqui.


Tags