Arcebispo chileno pede participação no processo constitucional

Publicado em Jun 24, 2016
Membros de uma congregação anglicana chilena mostram seu trabalho após uma reunião auto-convocatória para contribuir com o novo processo de constituição do governo. Foto: Igreja Anglicana do Chile

Membros de uma congregação anglicana chilena mostram seu trabalho após uma reunião auto-convocatória para contribuir com o novo processo de constituição do governo. Foto: Igreja Anglicana do Chile

[Igreja Anglicana do Chile] Nos últimos dias, o governo chileno liderou um processo de consulta aos cidadãos para a elaboração de uma nova constituição. Dada a relevância deste passo para o país, o Bispo Diocesano da Igreja Anglicana do Chile (IACH) e Primaz da Província da América do Sul, Héctor Zavala, fez um apelo aos membros da igreja para que participem e se envolvam ativamente neste período de discussão e socialização.

Por meio de uma carta aberta e de um vídeo compartilhado pela mídia, Zavala encorajou leigos e clérigos da CIDH a participarem desse processo constitucional, seja gerando espaços de informação e discussão em suas igrejas ou envolvendo-se em alguns dos órgãos de consulta promovidos pelo governo.

“Como cristãos e como cidadãos, somos chamados a fazer parte dos processos de mudança social e cultural da nossa nação e, ao mesmo tempo, a ser agentes de luz e influência em todas as esferas da nossa sociedade. Portanto, o nosso papel é importante nesta instância de participação ”, afirmou.

Além disso, o bispo destacou que embora dentro da Igreja nem todos compartilhem da mesma postura sobre os mecanismos de consulta, e nossa participação e envolvimento possam ser feitos de diferentes posições, toda a Igreja se une no mesmo desejo de que esta nova constituição possa apoiar Herança cristã mantida desde a fundação da República Chilena.

“Como igreja, queremos que nossa norma legal mais importante preserve os valores e princípios republicanos que se baseiam em uma visão de mundo bíblica. Isso só pode ser alcançado com a fé expressando-se através do amor (Gl 5: 6) ”, disse Zavala em sua carta.

O direito à vida e à dignidade humana desde o momento da concepção; liberdade de educação e religião; justiça e igualdade para todos os cidadãos perante a lei, entre outros valores, enfatizou o bispo, são importantes a serem preservados na nova Constituição.

No âmbito da iniciativa de redação da nova constituição, o Governo do Chile deu um prazo de 28 de junho para coletar idéias da cidadania, seja por meio de contribuições individuais no site do Network Development Group, ou por meio de reuniões auto-convocadas.

Em resposta ao apelo do bispo, até esta data vários membros da CIDH participaram dessas reuniões de discussão auto-convocadas para levantar os princípios que, como cristãos, desejam ver incluídos na nova constituição.

Veja a mensagem de Zavala aqui.

 


Tags