Arcebispos de Canterbury e York no resultado do referendo da UE

Publicado em Jun 24, 2016

[Comunicado à imprensa do Lambeth Palace] O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, e o arcebispo de York John Sentamu, emitiram a seguinte declaração conjunta esta manhã, depois que o Reino Unido votou pela saída da União Europeia.


Na quinta feira, milhões de pessoas de todo o Reino Unido votaram no referendo e uma maioria expressou o desejo de que o futuro da Grã-Bretanha seja fora da União Europeia.

O resultado deste referendo foi determinado pelo povo deste país. Cabe agora ao Governo, com o apoio do Parlamento, ter plenamente em conta o resultado do referendo e, à luz do mesmo, decidir sobre os próximos passos. Esta manhã, o primeiro-ministro David Cameron ofereceu uma estrutura para quando esse processo pode começar formalmente.

O voto de retirada da União Europeia significa que agora devemos todos reimaginar o que significa ser o Reino Unido em um mundo interdependente e quais valores e virtudes devem moldar e orientar nossas relações com os outros.

Como cidadãos do Reino Unido, quaisquer que sejam nossos pontos de vista durante a campanha do referendo, devemos agora nos unir em uma tarefa comum para construir um país generoso e voltado para o futuro, contribuindo para o florescimento humano em todo o mundo. Devemos permanecer hospitaleiros e compassivos, construtores de pontes e não de barreiras. Muitos dos que vivem entre nós e ao nosso lado como vizinhos, amigos e colegas de trabalho vêm do exterior e alguns sentirão uma profunda sensação de insegurança. Devemos responder oferecendo garantias, valorizando nossa sociedade maravilhosamente diversa e afirmando a contribuição única de cada um.

A campanha do referendo foi vigorosa e às vezes causou danos a alguns de um lado ou de outro. Devemos, portanto, agir com humildade e coragem - sendo fiéis aos princípios que fazem o melhor de nossa nação. A unidade, a esperança e a generosidade nos permitirão superar o período de transição que agora vai acontecer e sairmos confiantes e bem-sucedidos. As oportunidades e desafios que enfrentamos como nação e como cidadãos globais são muito significativos para que aceitemos menos.

Como aqueles que esperam e confiam no Deus vivo, vamos orar por todos os nossos líderes, especialmente pelo Primeiro Ministro David Cameron em seus meses restantes no cargo. Também oramos pelos líderes em toda a Europa e em todo o mundo, enquanto enfrentam esta mudança dramática. Rezemos especialmente para que possamos avançar na construção de um bom Reino Unido que, embora se relacionando com o resto da Europa de uma nova forma, desempenhe o seu papel entre as nações na busca do bem comum em todo o mundo.


Tags