Capelães anglicanos dão opinião sobre votação na UE

Pela equipe ACNS
Publicado em Jun 8, 2016

[Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana] O mundo estará atento quando o Reino Unido votar se permanecerá na UE no final deste mês. As intervenções do presidente Barack Obama e dos chefes do Federal Reserve e do Fundo Monetário Internacional dos EUA, entre outros, provam que isso se tornou uma história global. O resultado terá ramificações para a imigração, comércio e segurança além das costas da Europa.

O clero anglicano em todo o continente está assistindo ao turbilhão de reivindicações e contra-reivindicações sobre o impacto de uma votação para sair. Vários capelães da Diocese na Europa têm apresentado ao ACNS sua perspectiva.

O reverendo Ben Harding, da Igreja Anglicana de Lyon, na França, pediu aos eleitores que se envolvessem.

“Faça parte da decisão. Ore por completo - dê mais peso ”, disse ele. “Espero que os cristãos do dia 24th de junho pode dizer 'Eu contribuí para esta decisão, tendo orado sobre ela, tendo perguntado sobre ela e prestado uma boa conta do meu voto' ”.

O reverendo John Chapman, de St. George's em Barcelona, ​​disse que as pessoas precisam pensar a longo prazo e pesar suas decisões sob essa luz. Sua esposa, Debbie Chapman, concordou.

“É uma boa ideia ouvir aqueles que terão que viver com as consequências ... e não apenas ouvir a nós mesmos”, disse ela.

Os Chapmans disseram que havia um interesse considerável no debate em Barcelona, ​​assim como houve no referendo escocês em 2014. Mas John Chapman disse que o povo espanhol realmente não conseguia entender por que o Reino Unido desejaria se separar.

Na Holanda, o capelão de St. James 'Voorschoten, o reverendo Ruan Crew, disse que havia certa simpatia entre os holandeses pelo povo britânico, que achava que a UE havia se tornado muito burocrática e poderosa. Mas ele disse que essa atitude foi temperada com pragmatismo.

“Eu diria que as pessoas não seguem a agenda do medo”, disse ele. “Ouça as pessoas que têm experiência na linha de frente. Parte da visão definidora era a paz. Os holandeses têm lembranças de bombardeios, invasões e ocupação. Nações que comercializam não lutam ”.

O Bispo de Gibraltar na Europa, o Rt. O Rev. Robert Innes disse em fevereiro que seria triste se o Reino Unido votasse pela saída. Na semana passada, ele disse ao Church Times que sair afetaria o status e a influência da Igreja da Inglaterra na Europa. Mas ele acrescentou que haveria um impacto emocional maior - ir embora seria como um divórcio, que seria recebido com choque, descrença e raiva.

A contagem começará quando as urnas forem encerradas às 10h (horário de Brasília) do dia 23 de junho. Pensa-se que o resultado deve estar claro até as 4h do dia 24 de junho. Um chefe de contagem anunciará formalmente o resultado na Prefeitura de Manchester.


Tags