Um resumo das resoluções do Conselho Consultivo Anglicano

Por Mary Frances Schjonberg
Postado 18 de abril de 2016

[Episcopal News Service - Lusaka, Zâmbia] Em uma maratona legislativa dia 18 de abril, o Conselho Consultivo Anglicano passou 44 resoluções. As resoluções, que eventualmente serão numeradas em ordem de passagem, deverão ser postado aqui em breve. Abaixo, agrupados por tópico, estão os resumos de cada um.

Relações da Comunhão Anglicana

Resolução 16.xx: Caminhando juntos recebe o relatório formal do Arcebispo de Canterbury para ACC-16 sobre a Reunião e Reunião de Primazes de janeiro de 2016; afirma o compromisso dos primatas da Comunhão Anglicana de caminharem juntos; compromete-se a continuar a buscar meios apropriados para as províncias da Comunhão Anglicana caminharem juntas entre si e com os primatas e outros Instrumentos de comunhão.

Resolução 16.xx: Garantir a continuidade e a rotatividade da liderança do Conselho Consultivo Anglicano reconhece a importância da continuidade e da renovação na adesão do Comitê permanente e seu presidente e vice-presidente; insta o Comitê Permanente, em consulta com seu consultor jurídico, a considerar emendas à Constituição a fim de garantir que os mandatos do presidente e do vice-presidente sejam escalonados (de modo que ambos os dirigentes não sejam eleitos para o mesmo mandato na mesma sessão plenária ), que os outros membros eleitos do Comitê Permanente podem servir para mandatos escalonados específicos (de modo que a continuidade e a renovação possam ser alcançadas nas sessões plenárias relevantes); solicita que essas emendas propostas à Constituição sejam apresentadas aos membros para aprovação no ACC-17.

Resolução 16.xx: Recursos para a Conferência ACO e Lambeth reafirma Resolução 12.33 que insta cada província a identificar um Domingo da Comunhão Anglicana, com o propósito de aumentar a conscientização sobre a comunhão e para fornecer recursos financeiros para o orçamento inter-anglicano; convida as províncias a estipular o domingo mais próximo da festa de Santo Agostinho de Canterbury (26 de maio) como Domingo da Comunhão Anglicana; solicita que cada diocese da comunhão faça um orçamento para a sua participação na próxima Conferência de Lambeth; reafirma Resoluções 10.27 e 15.22 e conclama todas as províncias da Comunhão Anglicana a contribuírem financeiramente para o orçamento do Conselho Consultivo Anglicano; insta o Comitê Permanente a considerar uma redução em dias de ACC-17 como uma medida de redução de custos.

Resolução 16.xx: Congresso Anglicano acredita que um Congresso Anglicano enfatizando a participação de leigos, jovens e mulheres promoveria a natureza relacional de nossa vida juntos na Comunhão Anglicana e apoiaria o discipulado intencional em um mundo de diferenças; reitera quatro resoluções anteriores do ACC convocando um congresso; insta o Presidente e o Secretário-Geral a buscarem a viabilidade de realizar um congresso global até o final de 2025; solicita ao Comitê Permanente que aborde o progresso no planejamento de tal congresso em cada uma de suas reuniões anuais e informe diretamente aos membros do ACC sobre o planejamento.

Resolução 16.xx: Planejamento Estratégico para o Conselho Consultivo Anglicano reconhece o trabalho realizado pelo Comitê Permanente em um processo de planejamento estratégico; encoraja a Comissão Permanente a continuar a desenvolver este trabalho, consultando os membros do ACC e as suas províncias, bem como as redes e comissões da comunhão; instar para que o plano estratégico seja concluído até 1º de maio de 2017; congratula-se com o apoio do Sociedade Rosa dos Ventos na realização deste trabalho.

Resolução 16.xx: Continuando Indaba elogia o uso do aprendizado do processo Indaba Contínuo para fortalecer os relacionamentos nas igrejas locais em torno da comunhão, aumentar a capacidade de transformar conflitos envolvendo diferenças profundas, apoiar o envolvimento entre as províncias para encorajar novas abordagens para renovar relacionamentos e compromisso com a vida compartilhada e testemunho, comunicar como os anglicanos entendem e praticam a reconciliação; solicita ao Comitê Permanente que analise os recursos atuais deste trabalho por meio do Escritório da Comunhão Anglicana.

Resolução 16.xx: Comunicações reconhece o papel vital das comunicações na era digital; incentiva o Comitê Permanente a apoiar o departamento de comunicações na busca de novas maneiras de contar nossa história ao mundo.

Tradução da resolução 16.xx reafirma Resolução 15.30 no que diz respeito à tradução de documentos essenciais; solicita ao Secretário-Geral que explore o desenvolvimento de um serviço de tradução eficiente e econômico para documentos e outras mídias consideradas importantes para todos os anglicanos nos seguintes idiomas: francês, espanhol, português, suaíli; relatório para a próxima reunião do Comitê Permanente.

Relações ecumênicas e inter-religiosas (incluindo unidade, fé e ordem)

Resolução 16.xx: Relações Anglicano-Metodistas acolhe e elogia pelo estudo, ação e resposta o relatório do Comissão Anglicana-Metodista Internacional para Unidade e Missão - Em todo o mundo: Ser e tornar-se igrejas apostólicas; solicita ao Conselho Metodista Mundial e ao Conselho Consultivo Anglicano que convidem as igrejas que estão considerando entrar em um relacionamento de comunhão para estudar e aprender com os exemplos e precedentes observados na Seção 10 do Em todo o mundo, e convidar todas as igrejas a fazer uso das sugestões em seus kits de ferramentas; solicita dois conselhos para estabelecer um Comitê Coordenador Internacional Anglicano-Metodista.

Resolução 16.xx: Relações Anglicano-Ortodoxas Orientais alegrar-se com o trabalho do Commissio Anglicano-Oriental Ortodoxa Internacionaln na produção de um Declaração aprovada sobre cristologia; reconhece isso como um passo significativo de reconciliação através das antigas divisões; recomenda a declaração às igrejas da comunhão “como um meio de aprofundar a fé em nosso Senhor Encarnado, e como uma oportunidade de refletir sobre esta fé junto com os membros das Igrejas Ortodoxas Orientais, e com outros Cristãos, como parte de um processo contínuo de recepção. ”

Resolução 16.xx: Relações Anglicano-Ortodoxas congratula-se com o Comissão Internacional para o Diálogo Teológico Anglicano-Ortodoxoé, À imagem e semelhança de Deus: uma antropologia cheia de esperança; agradece por esta “profunda exploração do que significa que Deus se tornou humano, não apenas para que possamos participar da vida divina, mas também para que possamos nos tornar plenamente humanos”; recomenda às províncias da comunhão para estudo, reflexão e acolhimento.

Resolução 16.xx: 500º aniversário da Reforma reconhece o significado do aniversário, que será assinalado em 2017; encoraja os anglicanos a fazerem parte das comemorações juntando-se a serviços compartilhados, estudando com luteranos e outros parceiros ecumênicos, envolvendo-se com eles em atividades missionárias; recomenda que os anglicanos se engajem no enfoque da Federação Luterana Mundial: Libertado pela graça de Deus.

Resolução 16.xx: Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação acolhe e afirma a substância do Declaração comum sobre a doutrina da justificação, assinado por luteranos e católicos romanos em 1999; reconhece que os anglicanos exploraram a doutrina da justificação tanto com luteranos quanto com católicos romanos; reconhece que anglicanos e luteranos compartilham um entendimento comum da justificação de Deus; reconhece que em 1986 o Comissão Internacional Anglicana-Católica Romana produzido Salvação e a Igreja, que observou que as duas igrejas concordam sobre os aspectos essenciais da doutrina da salvação e o papel da igreja nela.

Resolução 16.xx: Relações Anglicano-Luterana reconhece relações que já existem entre anglicanos e luteranos globalmente; elogia as medidas tomadas pelas igrejas anglicanas norte-americanas, britânicas e irlandesas para relacionar os três acordos regionais de comunhão; incentiva as igrejas anglicanas em outras regiões a explorarem o aprofundamento das relações com as igrejas da Federação Luterana Mundial de uma forma teológica formal, seguindo as diretrizes oferecidas em 2012 Comissão Internacional Anglicano-Luterana Denunciar Para amar e servir ao Senhor.

Resolução 16.xx: Recebendo o Ministério Ordenado um do Outro recebe Comissão Permanente Inter-Anglicana sobre Unidade, Fé e OrdemRelatório de (IASCUFO) (começando na página 20 aqui) como um recurso para reconhecer e receber ministério ordenado em seus relacionamentos com parceiros ecumênicos; elogia o relatório para estudo e ação.

Resolução 16.xx: Uma Comunhão em Forma de Missão recebe o relatório da IASCUFO (começando na página 28 aqui) e recomenda o estudo como um recurso para ajudar as igrejas de comunhão e todos Instrumentos de comunhão “Aprecio profundamente o dom e a responsabilidade da comunhão”.

Resolução 16.xx: Instrumentos de Comunhão: Presentes, Sinais e Mordomia recebe o relatório da IASCUFO (começando na página 33 delae) como forma de ajudar as províncias da comunhão “no reconhecimento e acolhimento das quatro Instrumentos de comunhão como presentes ”; elogia o relatório a todos os que exercem liderança dentro da comunhão, com particular atenção ao Instrumentos de comunhão.

 Resolução 16: xx: Exploração de diálogos com igrejas evangélicas e pentecostais aprecia o trabalho realizado pela IASCUFO no aprofundamento das relações ecumênicas; observa o crescimento das igrejas evangélicas e pentecostais em todo o mundo; observa a formação do Fórum Cristão Global; dirige o Departamento de Unidade, Fé e Ordem para explorar o potencial de diálogos com essas igrejas.

Resolução 16.xx: Fora das profundezas: esperança em tempos de sofrimento expressa apreciação do Rede Inter-Religiosa Anglicanarelatório preliminar de, Fora das profundezas: esperança em tempos de sofrimentog; solicita que seja publicado pelo Escritório da Comunhão Anglicana (inclusive em urdu e árabe), dependendo dos recursos financeiros e de pessoal; recomenda às províncias para estudo.

Resolução 16.xx: engajamento inter-religioso anglicano solicita ao Secretário-Geral que trabalhe com o Comitê Permanente, e em ligação com o escritório do Arcebispo de Canterbury, para estabelecer uma comissão inter-anglicana sobre relações inter-religiosas, uma vez que os fundos necessários tenham sido garantidos, para refletir e coordenar experiências em toda a comunhão de encontro e diálogo com as principais religiões do mundo, incluindo, mas não se limitando ao hinduísmo, budismo, judaísmo, islamismo e siquismo; continuação da comissão a ser revista em ACC-18.

Resolução 16.xx: Traduções e versões da Bíblia observa a proliferação de versões da Bíblia em uso para tradução em vernáculos locais, que não são baseadas nas línguas bíblicas originais; convida as províncias a consultar, conforme necessário, a IASCUFO quanto às suas recomendações sobre quais versões bíblicas usar para fins de tradução.

Meio Ambiente

Resolução 16.xx: Resposta à Mudança Global do Clima recebe e elogia para estudar O mundo é nosso anfitrião: um apelo à ação urgente pela justiça climática declaração de 17 arcebispos e bispos anglicanos reunidos em Volmoed, África do Sul, fevereiro de 2015; observa as terríveis consequências das alterações climáticas para as gerações futuras e para toda a criação de Deus; reconhece a urgência global da crise das alterações climáticas e o seu impacto no bem-estar de todas as pessoas, especialmente das mais vulneráveis ​​nas sociedades; encoraja os anglicanos a se unirem na ação pastoral, sacerdotal e profética, orando e jejuando, incluindo jejuns especiais no primeiro dia de cada mês e um “jejum de carbono” da Quaresma; projetar e realizar ações estratégicas para a sustentabilidade e resiliência em dioceses, comunidades e congregações; fazer mudanças nos investimentos da igreja para garantir um apoio visível de um movimento em direção a uma economia de baixo carbono; fazendo da eficiência energética e acesso à energia renovável uma prioridade em todas as operações da igreja; ensinando o Quinto marco da mission em corpos educacionais teológicos e patrocinados pela igreja; instando os líderes políticos, econômicos, sociais e religiosos a abordar a crise da mudança climática como a questão moral mais urgente de nossos dias, consistente com a 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, Paris 2015; reconhecer e apoiar o direito dos povos indígenas ao consentimento livre, prévio e informado nas decisões relativas ao meio ambiente e ao bem-estar das comunidades; defendendo água, alimentos e práticas agrícolas sustentáveis; solicita que as províncias considerem a nomeação de uma pessoa de contato para o Rede Ambiental da Comunhão Anglicana para relatar à rede para que um relatório completo possa ser feito na próxima reunião do ACC.

Resolução 16.xx: Reduzindo a pegada de carbono do ACC observa a elevada pegada de carbono ocasionada por viagens relacionadas com reuniões da Comunhão Anglicana; aprecia o uso atual de reuniões eletrônicas e se compromete a reduzir sua pegada de carbono, utilizando reuniões eletrônicas sempre que possível; insta o Comitê de Finanças a direcionar dinheiro economizado por tais reuniões para o Aliança Anglicana em seus esforços para enfrentar a crise mundial de refugiados e o sofrimento humano como resultado do conflito e da seca.

Resolução 16.xx: Discipulado Intencional reconhece com gratidão o trabalho do Grupo Central de Testemunhas Anglicanas realizado nos últimos seis anos e particularmente o trabalho de avanço do discipulado; pede a todas as comunidades anglicanas que adotem um enfoque claro no discipulado e produzam recursos para o trabalho; elogia relatório Discipulado intencional e formação de discípulos: um guia anglicano para a vida e formação cristã; solicita que o Comitê Permanente trabalhe com o Secretário Geral e o Departamento de Missão para efetuar uma Temporada de Discipulado Intencional por um período cobrindo os ACCs 16, 17 e 18; e relatar ao ACC-17 o progresso.

Resolução 16.xx: Aliança Anglicana afirma o trabalho do Aliança Anglicana na promoção de um paradigma cristão de alívio e desenvolvimento que responde à missão holística de Deus no mundo e defende uma visão da dignidade humana, florescimento, interdependência e autossuficiência, fortalecendo a conectividade e o compartilhamento de oração, capacidade, habilidades e recursos para o desenvolvimento, alívio e defesa por meio da família anglicana / episcopal de igrejas, agências e redes como parte de seu discipulado intencional; incentiva a participação de todas as províncias (e os membros do ACC atuando como um elo, ponto focal e embaixador) nas atividades da Aliança Anglicana, alcançando os mais remotos e marginalizados, promovendo a comunicação bidirecional (através de uma variedade de mídia e tecnologia) de boas histórias e modelos de boas práticas em torno da comunhão.

Igreja Segura

Resolução 16.xx: Comissão da Igreja Segura solicita ao Secretário-Geral que estabeleça uma Comissão da Igreja Segura, uma vez que os fundos necessários tenham sido garantidos, nos termos estabelecidos no relatório da Rede de Igrejas Seguras da Comunhão Anglicana (começando na página 20 aqui).

Resolução 16.xx: Carta da Igreja Anglicana com Segurança da Comunhão reafirma o compromisso em Resolução 15.09 para promover o bem-estar físico, emocional e espiritual e a segurança de todas as pessoas, especialmente crianças, jovens e adultos vulneráveis ​​por meio do Carta para a Segurança das Pessoas nas Igrejas da Comunhão Anglicanareconhece a carta como uma expressão prática de caminharmos juntos no serviço de Deus no mundo; solicita que as províncias relatem ao ACC-17 sobre as medidas tomadas para adotar e implementar a carta.

Resolução 16.xx: Protocolo para a divulgação de informações de adequação do ministério acolhe o protocolo para divulgação de tais informações entre as igrejas da comunhão da Comunhão Anglicana estabelecido no relatório (começando na página 18 aqui) Do Rede de Igreja Segura para Comunhão Anglicana; solicita ao Secretário-Geral que forneça um modelo de formulários para as províncias para permitir a implementação; solicita que cada província considere a implementação do protocolo e informe a próxima reunião do ACC do Conselho Consultivo Anglicano.

Resolução 16.xx: Igreja Segura e a Conferência de Lambeth de 2020 solicita ao Arcebispo de Canterbury que considere a inclusão de uma sessão sobre a Carta da Igreja Segura da Comunhão Anglicana para a Conferência de Lambeth em 2020.

Solidariedade

Resolução 16.xx: Solidariedade com Burundi expressa solidariedade e apoio ao Igreja Anglicana do Burundi enquanto continua a se esforçar pela justiça, paz e reconciliação para todo o povo de Deus em sua região; expressa agradecimento pela liderança do primaz anglicano do Burundi e outros líderes cristãos; exorta as pessoas a trabalharem pela unidade, paz e estabilidade; apóia uma comissão de verdade e reconciliação; chama a atenção para as necessidades humanitárias constantes dos refugiados e pessoas deslocadas internamente; expressa simpatia pelas famílias que perderam entes queridos; pede a todas as partes que acabem com a violência.

Resolução 16.xx: Suporte para o Sudão do Sul ora pela paz e reconciliação no Sudão do Sul; e ora pelo Bishop Gwynne College.

Resolução 16.xx: Apoio da Província Anglicana da África Austral expressa solidariedade e apoio à Província Anglicana da África Austral enquanto eles continuam na luta pela igualdade de oportunidades para todo o povo de Deus em sua região, com agradecimento especial pela liderança do primaz da África Austral e outros líderes cristãos.

Resolução 16.xx: Solidariedade com o Paquistão reafirma Resolução 15.28 sobre as minorias religiosas no Paquistão; expressa solidariedade com todas as igrejas perseguidas no Paquistão.

Resolução 16.xx: A Igreja do Ceilão nota a resolução da Assembleia Geral do Igreja do Ceilão e sua aspiração de regular seus próprios assuntos e governar-se independentemente da autoridade metropolítica do Arcebispo de Canterbury; saúda a formação de uma comissão pela Igreja do Ceilão para consultar amplamente e promover este trabalho; afirma o seu apoio à Igreja do Ceilão enquanto faz esta viagem; solicita ao Comitê Permanente que considere qualquer pedido futuro para levar em consideração a situação única desta igreja nacional que está apaixonadamente engajada no trabalho de reconciliação, especialmente quando emerge de um longo período de guerra civil.

Resolução 16.xx: Asia Bibi está em solidariedade e oração com Asia Bibi, condenado sob a lei de blasfêmia 295c do Paquistão, que permanece na prisão; insta a que o seu caso seja novamente investigado e que seja absolvida com honra; permanece em solidariedade e oração com outras vítimas da lei 295c e d.

Mulheres, Homens e Famílias

Resolução 16.xx: Mulheres e Homens na Igreja e na Sociedade insta as províncias a continuarem a trabalhar no sentido de capacitar meninas e meninos, mulheres e homens a viver e trabalhar em relacionamentos que reflitam os valores cristãos de amor, dignidade e justiça, promovendo a conscientização sobre as normas de gênero prejudiciais, práticas culturais e relações de poder injustas; encorajar e apoiar os líderes da igreja a assumir a responsabilidade de modelar relacionamentos justos, promover a igualdade de gênero e liderar seu povo no desafio e no fim da violência de gênero; transformar estruturas que impedem mulheres e meninas de oferecer seus dons e talentos na igreja e em suas comunidades; envolver plenamente homens e meninos, bem como mulheres e meninas, na exploração e redefinição de relações de gênero justas e iguais; explorando como liturgias, estudo bíblico contextual e ministérios existentes, como preparação para o batismo, confirmação e casamento podem servir na promoção de relacionamento correto e ensino intergeracional sobre a dignidade dada por Deus e o status de todas as pessoas.

Resolução 16.xx: Resolução da Rede Internacional da Família Anglicana dá as boas-vindas ao trabalho realizado pelo Rede Internacional da Família Anglicana como rede através da comunhão para celebrar o potencial dado por Deus da família como uma fonte de relacionamentos prósperos, identidade, pertença, discipulado e reconciliação; apela às províncias para apoiar a IAFN em seus esforços para salvaguardar a identidade, dignidade e segurança das crianças por meios práticos, como registro de nascimento e em resposta ao abuso do tráfico e outras formas de exploração, fortalecer a família como uma base para o florescimento humano e para construir aumentar a resiliência e trabalhar pela reconciliação e justiça no lar e na comunidade.

Resolução 16.xx: Igualdade de gênero e justiça compromete-se novamente com resoluções ACC13.31 e ACC14.33 apelando para a representação igual das mulheres nos órgãos de tomada de decisão; para ACC15.07 sobre a eliminação de todas as formas de violência doméstica e de gênero; e para ACC15.10 sobre o fim e prevenção do tráfico de pessoas; defende relacionamentos justos entre mulheres e homens como um reflexo de nossa crença cristã de que mulheres e homens são igualmente feitos à imagem divina; celebra o progresso encorajador feito em toda a Comunhão Anglicana para enfrentar os principais desafios à justiça de gênero; apoia o Objetivo 5 de Desenvolvimento Sustentável da ONU sobre igualdade de gênero e empoderamento; acolhe o Mensagem aos líderes da nossa igreja e ao Conselho Consultivo Anglicanol do Rede Internacional de Mulheres Anglicanas e o recomenda a todas as províncias anglicanas para consideração e ação; solicita que as províncias adotem as resoluções acima, cooperem com a Rede Internacional de Mulheres Anglicanas, nomeando um elo provincial para a rede e oferecendo apoio financeiro sempre que possível; reportar ao ACC-17 sobre o progresso.

Resolução 16.xx: Declarações de delegações anglicanas à Comissão das Nações Unidas sobre a Situação da Mulher recebe e recomenda às províncias as declarações das delegações anglicanas que participaram do 59th sessão (Março de 2015) e 60th sessão (Março de 2016) da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher.

Jovens

Resolução 16xx: Rede Jovem Anglicana celebra a importância dos jovens na missão de Deus e seu testemunho do Evangelho em um mundo marcado por profundas divisões; reconhece sua energia, criatividade e determinação no evangelismo e em seu compromisso batismal para o serviço no mundo; desafia as províncias a incluir os jovens na tomada de decisões; compromete-se a encontrar maneiras de incluir mais jovens na vida e no trabalho do ACC; exorta as províncias a apoiarem a renovação de uma Rede da Juventude Anglicana, proporcionando esforços espirituais, financeiros e estruturais para este fim; solicita ao Secretário-Geral que consulte os membros jovens do ACC-16 para efetuar esta resolução.

Resolução 16.xx: Representação da Juventude no Conselho Consultivo Anglicano solicita que o Comitê Permanente considere mudanças na constituição para permitir a adesão de jovens ao conselho, consistindo de um membro jovem de cada uma das cinco regiões, conforme refletido na atual representação regional do Comitê Permanente da Reunião dos Primazes.

Outras resoluções

Resolução 16.xx: Rede Lusófona Anglicana celebra e reconhece o surgimento do Rede Anglicana Lusófona de anglicanos de língua portuguesa.

Resolução 16.xx: Representação nas Nações Unidas em Genebra e Nova York reconhece a importância da representação do ACC nas instituições da ONU em Genebra e Nova York; reconhece o envolvimento da ACC com os muitos e diferentes programas da ONU; encoraja as províncias a se engajarem e apoiarem este trabalho.


Tags