Mulheres anglicanas reafirmam 'compromisso inequívoco' de permanecer em comunhão umas com as outras

22 de março de 2016

[Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana] Declaração da delegação da Comunhão Anglicana na 60ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher, 2016:

22 Março de 2016

Nós, como delegação da Comunhão Anglicana no 60º Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Estatuto da Mulher (UNCSW60), março de 2016, experimentamos uma profunda irmandade em nosso tempo juntas. Nossa irmandade é construída sobre amor e respeito mútuos, e nos relacionamentos em Cristo que temos umas com as outras.

Nos abraçamos profundamente e descobrimos que nossas convicções nos levam a reafirmar o 'Caminhando Juntos'Declaração feita por nossas irmãs na delegação da Comunhão Anglicana na UNCSW 51 em 2007.

Estamos cientes da próxima reunião do Conselho Consultivo Anglicano (ACC-16) em Lusaka, Zâmbia, e oferecemos nossas orações contínuas por esta reunião dos líderes de nossa Igreja.

A 'Caminhando Juntos' Demonstração

Das Mulheres Anglicanas reunidas na 51ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher, 3 de março de 2007

Em nome de Deus, Salvador, Redentor e Doador da Vida.

Nós, as mulheres da Comunhão Anglicana nos reunimos em Nova York como delegação do Conselho Consultivo Anglicano à 51ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher, e como membros da Rede Internacional de Mulheres Anglicanas, representando a diversidade de mulheres de todo o A Comunhão Anglicana em todo o mundo, deseja reiterar nosso compromisso inequívoco previamente declarado de permanecer sempre em “comunhão” uns com os outros.

Permanecemos firmes em nossa solidariedade uns com os outros e em nosso compromisso, acima de tudo, de prosseguir e cumprir a missão de Deus em tudo o que dizemos e fazemos.

Dadas as tensões globais tão evidentes em nossa igreja hoje, não aceitamos que haja qualquer questão de diferença ou contenda que possa, ou de fato faria, alguma vez nos fazer quebrar a unidade representada por nosso batismo comum. Nem jamais pensaríamos em romper os laços de afeto profundos e duradouros que caracterizam nossos relacionamentos como mulheres anglicanas.

Em nosso tempo juntos, temos sido desafiados por questões desesperadamente urgentes de vida e morte enfrentadas por um número incontável de mulheres e crianças em nossas comunidades. Como uma delegação diversificada, refletimos em espírito de oração sobre essas necessidades.

Assim, reafirmamos a conclusão da declaração apresentada por nossa delegação à Sessão deste ano da Comissão das Nações Unidas sobre a Situação da Mulher:

Essa irmandade do sofrimento está no centro de nossa teologia e de nosso compromisso de transformar o mundo inteiro por meio da paz com justiça. Reconstruir e reconciliar o mundo é fundamental para nossa fé.

Amen.


Tags


Comentários (2)

  1. Cynthia Katsarelis diz:

    Estou profundamente satisfeito em ler esta declaração de nossas irmãs anglicanas. Tem sido uma alegria compartilhar a irmandade da UNCSW, adorando juntas, ouvindo nossa dor e aspirações e, sim, festejando juntas. (Estou na delegação da Igreja Episcopal e tivemos uma série de eventos compartilhados com a delegação anglicana).

    Misericórdias viajando enquanto voltamos para nossas casas e ministérios e continuamos a apoiar uns aos outros.

  2. Marilyn Horman diz:

    Uma resposta na Semana Santa a uma Disciplina de Vida da Quaresma de 40 dias.

    PARTILHAREMOS INTENCIONALMENTE O NOSSO RELACIONAMENTO COM JESUS ​​SEMPRE E ONDE ESTAMOS O TEMPO?

    Lemos, “Poder do testemunho público: as igrejas se preparam para levar a paixão ao ar livre”. Hoje, mais uma vez, em Bruxelas, a violência quebrou a dicotomia “interno” e “externo” de uma forma poderosa.

    Quando proclamaremos: “PODER DA TESTEMUNHA PÚBLICA; IGREJAS / SEGUIDORES DE JESUS ​​SE PREPARAM PARA TOMAR A PAIXÃO EM TODA PARTE O TEMPO TODO. SEM EXCEÇÕES. ” Não é esta a nossa vocação?

    O artigo original cita. “Prosseguir com o serviço [em Bruxelas] pareceu um ato de desafio; e quando a Eucaristia começou, acendemos velas para mostrar novamente que a Luz veio ao mundo e as trevas não podem superá-la ”.

    Quando proclamaremos, Jesus: AVANÇAR COM O SERVIÇO FOI UM ATO DE AGRADECIMENTO; E NO INÍCIO DA EUCARISTA, ACENDEMOS VELAS DE NOVO PARA MOSTRAR QUE A LUZ ENTREU NO MUNDO E QUE AS ESCURIDADES NÃO A SUPERARÃO. SEM EXCEÇÕES. ” Obrigado e fique bem.

Comentários estão fechados.