Bispos episcopais publicam Uma Palavra para a Igreja

16 de março de 2016

[Comunicado à imprensa do Escritório de Relações Públicas da Igreja Episcopal] A Casa dos Bispos of Igreja Episcopal, reunido em retiro, aprovou por unanimidade a seguinte Palavra à Igreja.

Uma palavra para a igreja
Semana Santa 2016

“Rejeitamos a ideia idólatra de que podemos garantir a segurança de alguns sacrificando as esperanças de outros.”

Em bom Sexta-feira as forças políticas governantes da época torturaram e executaram um homem inocente. Eles sacrificaram os fracos e os inocentes para proteger seu próprio status e poder. No terceiro dia, Jesus ressuscitou dos mortos, revelando não apenas a injustiça deles, mas também desmascarando a mentira que poderia ser correta.

Em um país que ainda vive sob a sombra da árvore do linchamento, estamos preocupados com as forças violentas liberadas pela retórica política desta temporada. Os americanos estão se voltando contra seus vizinhos, especialmente aqueles que estão à margem da sociedade. Eles procuram garantir sua própria segurança às custas dos outros. Há motivos legítimos para temer aonde essa retórica e as ações dela decorrentes possam nos levar.

Neste momento, nos assemelhamos aos filhos de Deus vagando pelo deserto. Nós, como eles, estamos lutando para encontrar nosso caminho. Eles deixaram de seguir a Deus e adoraram um bezerro de ouro construído com suas próprias riquezas. A retórica atual está nos levando a construir um falso ídolo moderno com poder e privilégio. Rejeitamos a ideia idólatra de que podemos garantir a segurança de alguns sacrificando as esperanças de outros. Não importa onde estejamos no espectro político, devemos respeitar a dignidade de cada ser humano e devemos buscar o bem comum acima de tudo.

Pedimos oração por nosso país para que um espírito de reconciliação prevaleça e não trauemos nosso verdadeiro eu.

A Casa dos Bispos da Igreja Episcopal se reuniu em retiro de 11 a 15 de março no Camp Allen Conference Center em Navasota, TX.


Tags


Comentários (51)

  1. Marybeth Wright diz:

    UAU! Que mensagem poderosa! Eu concordo 100% com isso !!!

  2. Paulo Ambos diz:

    Por acaso, foi copiado para Ap. Justin Welby?

  3. Ann Schumann-Ousley diz:

    Tão lindamente escrito e profundamente poderoso… Estou imensamente grato pela liderança fornecida por nossa Casa dos Bispos neste momento.

  4. Sam Kincade diz:

    Ótima mensagem!

  5. Jim Himes diz:

    Que maneira educada e demorada de dizer Nada. Deve ter sido escrito por um político.

    1. Esta igreja se perdeu.

    2. colina máxima diz:

      Jim Himes Eu não poderia concordar mais com o que você postou. Se alguma igreja se perdeu, é a Igreja Episcopal. Vou continuar a orar por todas as denominações, pedindo a Deus que traga à luz o erro de seus caminhos e volte ao evangelho pregado pelo apóstolo Paulo.

    3. Ryan Mac Connell diz:

      Darr, você está certo, a declaração não diz nada!

    4. Robert Wilson diz:

      É muito triste quando Bispos supostamente educados não conseguem esboçar algo significativo em vez de algo vago e sem sentido. Se você tem algo a dizer, diga!

  6. Bispo Joel Marcus Johnson diz:

    Muito obrigado à Casa dos Bispos. Vejo muitos paralelos com a Alemanha nos anos 1930, nos quais a retórica política fora de controle e a violência da turba tornaram possível a Adolph Hitler assumir o controle não por meio de um golpe, mas por meio de eleições. Com o anti-semitismo se levantando contra judeus e muçulmanos, tanto no exterior quanto em casa, temos muito que controlar. A Eslovênia, por exemplo, elegeu recentemente um líder fascista que jurou tornar a vida dos Romas miserável. Portanto, sim, o espírito de reconciliação deve ser a oração pelo nosso país - mas também a vigilância e a convocação dos fascistas de nossos dias, que, como Amaleque de outrora, tomariam os mais vulneráveis ​​de nossos dias.

    1. Sandra K. Llewellyn diz:

      Concordo, é muito assustador. Não sei quem são os fascistas, mas posso implorar a Deus que nos diga e não nos deixe cegos.

    2. PhD em Hugh Hansen diz:

      Honorável Bispo Johnson, é interessante como você está pegando o clima secular da política de esquerda e trazendo à tona a Alemanha nazista. Espero que você não pense que isso tem um significado espiritual para nós hoje. Onde está nossa mensagem de esperança “este é o mundo de meus pais”. Onde está nossa fé em Deus que nos permitirá "passar com segurança pelas tribulações de nossa era?"

  7. O que, especificamente, você está apontando nesta declaração. Devemos ler nele nossos próprios preconceitos? O relativismo moral parece a ordem do dia. Elevar os malfeitores como caracterizadores do país (“sombra da árvore do linchamento”) e desculpar a maneira como ** as margens da sociedade estão se voltando contra os EUA ** apenas aumenta a polarização que é fomentada pela esquerda radical e pela direita reacionária. O politicamente correto é a porta de entrada para o relativismo moral porque pune a livre expressão de ideias que devem ser consideradas onde existem problemas óbvios.

    1. colina máxima diz:

      Daar Fisher, essa é uma declaração correta !!

    2. Steve Catanich diz:

      As “margens da sociedade” estão de fato voltando-se contra aqueles que sistematicamente abusam delas. É chamado de “instinto de sobrevivência”. Você pode achar útil evitar xingamentos e ler a declaração de nossos bispos junto com as palavras de Cristo, conforme ensinadas nos Evangelhos.

  8. Joana Cabeça diz:

    Bem dito. Definitivamente orando. Esperar que mais mensagens como essa cheguem aos olhos do público para neutralizar a retórica pública que ouvimos tão alto do outro lado.

  9. Michael Craig Patterson, Reno, Nevada diz:

    A declaração dos Bispos vem do coração do Evangelho. Isso nos lembra que, no calor e na paixão do debate público e dos pontos de vista divergentes, corremos o risco de ignorar o que acreditamos em nossa fé como algo valioso e preeminente. Esse lembrete se aplica a todos nós, quer tenhamos a tendência de ficar à direita, ao centro ou à esquerda no espectro político / social.

    1. Cathy Kinkade diz:

      Bem escrito e o melhor comentário que li até agora.

  10. Ben Johnson diz:

    Palavras ocas. A Igreja Episcopal, como qualquer outra, apóia a agenda dos fanáticos de direita. Sem esse apoio, provavelmente não estaríamos na posição em que estamos. Eles clamam por “oração”, e todos nós sabemos o quanto isso vai de bom. Fico feliz por permitir que todos vocês, hipócritas hipócritas, neguem a responsabilidade por seu registro de votos.

  11. Wilmot T. Comerciante, II diz:

    Quando os mensageiros de Deus enviaram “Uma Palavra à Igreja” o Corpo de Cristo, o povo de Deus disse: Amém !! Um homem!!

  12. Paulo Cavaleiro diz:

    Interessante que mesmo uma mensagem de reconciliação e esperança pode ser recebida com divisão e medo. Aplaudo nossos bispos hoje.

    1. Carrie Heiman diz:

      Amém, Paul. Eu também.

  13. William A. Flint, MDiv, PhD diz:

    Como um historiador bíblico: "as forças políticas dominantes da época torturaram e executaram um homem inocente", na verdade "as forças religiosas dominantes da época causaram a tortura e a execução de um homem inocente nas mãos dos romanos".

    Não vamos tentar fazer o que aconteceu há 2000 anos sobre as Eleições Presidenciais de 2016.

  14. Gregório Willmore diz:

    Aplaudo a mensagem que nossos bispos enviaram. A igreja deve se levantar contra o ódio e a intolerância que estão envenenando os corações de muitos de nossos cidadãos neste ano eleitoral por certos candidatos políticos e condená-la como contrária ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo e Seu evangelho de amor e misericórdia. Ódio e intolerância não são apenas anticristãos, mas são contrários aos nossos valores americanos. Acredito que nosso bispo presidente deve declarar um dia de oração e jejum antes das eleições gerais e deve condenar publicamente este ciclo de ódio e violência que o Maligno impôs à nossa amada nação. Já é suficiente. A igreja deve orar, jejuar e então fazer algo a respeito.

  15. David Johnson diz:

    Hmmmm… nenhuma menção à “árvore do linchamento” chamada aborto sob demanda, apoio do TEC.

  16. Rev. Sarah V. Lewis diz:

    Onde encontrar cópia da declaração dos bispos em espanhol?

      1. Dan Tabizon diz:

        Você está certo. Mesma carta colocada em espanhol.

  17. Willam A. Flint, MDiv, PhD diz:

    Como um historiador bíblico: "as forças políticas dominantes da época torturaram e executaram um homem inocente", na verdade "as forças religiosas dominantes da época causaram a tortura e a execução de um homem inocente nas mãos dos romanos".

    Não vamos tentar fazer o que aconteceu 2000 anos atrás sobre a Eleição Presidencial de 2016. Vamos manter as Escrituras fiéis à mensagem, por favor.

    1. Aaron J. Anjo diz:

      Onde os líderes romanos não eram deuses? Eles apenas permitiram que os judeus mantivessem a ilusão de seu poder. As forças religiosas dominantes eram as forças políticas dominantes da época. A distinção entre os dois é moderna e não deve ser lida nos escritos antigos.

  18. Monte Robinson diz:

    Desculpe - mas em algum momento a Igreja Episcopal terá que se posicionar como os outros sobre o que é certo e parar de tentar apelar a todos. Não é sacrificar as esperanças dos outros por não abraçar todas as coisas estranhas que aparecem. Não nos trairemos se seguirmos a palavra de Deus. Não tenho certeza se isso está acontecendo. Além disso, não pense que são os fiéis que podem estar no caminho errado, mas sim a liderança.

    1. Natália Bishop diz:

      Cristo é nossa esperança.

  19. Steve Schneider diz:

    Isso é dirigido aos apoiadores de Bernie Sanders e ativistas BLM que iniciaram a violência no comício Trump em Chicago?

  20. Vicki Grey diz:

    Isso é bom, mas chegou a hora de ser mais explícito, mais contundente. Estamos à beira de um abismo.

  21. Richard Bidwell diz:

    Obrigado pela OUSADA liderança de nossos bispos.

  22. Constance Jennings diz:

    Isso soa como um esforço para ficar registrado como oposição à política de direita, sem fazer nada para falar diretamente, embora tardiamente, sobre as questões subjacentes e, em vez disso, dar um salto mágico para a reconciliação. Se a igreja quer fazer a diferença aqui e agora, é hora de gritar publicamente a mensagem diariamente - gritá-la dos telhados da imprensa, tocar os sinos da igreja diariamente em um chamado ao bem, correr riscos públicos em vez de dar sumários de retiro entregues anonimamente.

    1. Steve Catanich diz:

      Você fez a associação à “política de direita”, os bispos não. 🙂

  23. Trevor David diz:

    Os bispos fizeram um ótimo trabalho ao “tomar uma posição”. A cada ciclo eleitoral haverá candidatos que vendem o sonho de se tornar uma Utopia sob seu reinado. Nunca vejo candidatos visitando prisões ou fileiras erradas, ou defendendo causas para os mais desfavorecidos. Ora, eles não votam, isso não é uma boa publicidade, e os eleitores achariam que ajudar esses intocáveis ​​não é importante. A maioria das pessoas elege políticos que têm em mente suas preocupações semelhantes, seus melhores interesses. Como cristãos, nossa aliança batismal requer às vezes o oposto da política. Ao agir de acordo com as Cinco Marcas da Missão, vemos que os não-votantes e o meio ambiente estão claramente dentro de nossa esfera de cuidado. Não importa qual seja a nossa direção (Esquerda, Direita ou Centro), nosso Salvador, através do Divino FÍat, foi eleito há dois mil anos. Se o Seu reino está por vir na Terra, qual candidato, se houver, fala sobre isso?

  24. Michael Russell diz:

    Concordo com os bispos no sentido de sua carta. Mas o Bezerro de Ouro foi feito com o que eles saquearam ao sair do Egito e eles o fizeram porque pensaram / temiam que Moisés e Deus os tivessem abandonado. O “bezerro de ouro” de hoje foi forjado pelo mesmo sentimento de medo e um ressentimento mais profundo de um abandono percebido. Até lidarmos com isso, só podemos esperar mais.

  25. Steve Lindsay diz:

    Venha, Amoroso Deus, misterioso, e toque nossa terra com o seu amor curador. Conceda-nos ouvidos para ouvir seu chamado para amar e servir uns aos outros e ao estranho em nosso meio. Um homem

    1. PhD em Hugh Hansen diz:

      Steve Lindsey, isso é tão lindo e tão repleto de energia divina! Muito obrigado.

Comentários estão fechados.