Nova Zelândia: Mais votos de dioceses para desinvestir dos combustíveis fósseis

Pela equipe Taonga
Publicado em setembro 23, 2013

[Anglicano Taonga] As dioceses de Wellington e Waiapu votaram pela remoção de todos os seus investimentos em empresas que extraem ou produzem combustíveis fósseis.

A decisão de Wellington veio no sínodo anual em Palmerston North na semana passada e segue uma decisão semelhante da Diocese de Auckland no início deste mês.

A diocese de Wellington diz que a Igreja está preocupada com o efeito das emissões de carbono nas mudanças climáticas e também com a saúde de longo prazo dos investimentos na indústria de combustíveis fósseis.

Suas participações serão alienadas nos próximos dois anos.

O Rev. Tim McKenzie propôs a moção, dizendo aos delegados que uma economia de baixo carbono não pode ser criada de uma vez e que são necessários pequenos passos significativos como esta decisão.

“Não acho que podemos esperar para ver se os piores cenários sobre a mudança climática se tornarão verdadeiros”, disse ele.

“Este é um pequeno passo que podemos dar agora em direção a uma economia de baixo carbono e, portanto, devemos dá-lo agora, antes que a situação climática fique realmente drástica.”

Waiapu decidiu desinvestir nos próximos três anos.

O desinvestimento se aplica a ações de cerca de NZ $ 960,000 (US $ 804,030) ou 5 por cento do portfólio da diocese de NZ $ 19.5 milhões (US $ 16.3 milhões).

A decisão foi tomada no sínodo anual em Tauranga, de 14 a 15 de setembro, após um debate que atraiu o maior número de palestrantes e a maior intensidade de sentimentos.

Durante o debate, o alvo foi alterado de “empresas de combustíveis fósseis” para “empresas cujo foco principal é a extração e processamento de combustíveis fósseis”.

O Sínodo foi informado de que a aprovação de tal moção poderia impactar os retornos que o conselho de curadores fornece para os investimentos paroquiais.

No entanto, o movimento foi aprovado de forma esmagadora.


Tags