Conselho Executivo encerra trabalho trienal

Membros debatem processo orçamentário, consequências do racismo

Por Mary Frances Schjonberg
Postado 20 de abril de 2012

A Bispa Presidente Katharine Jefferts Schori e o Rev. Joyce Hardy, membro do Conselho Executivo e diácono da Diocese de Arkansas, convidam os membros do conselho e a equipe do centro da Igreja Episcopal para a Sagrada Eucaristia em 20 de abril em Salt Lake City, Utah. Foto / Mary Frances Schjonberg

[Episcopal News Service - Salt Lake City, Utah] Da Igreja Episcopal Conselho executivo encerrou seu trabalho do triênio 2010-2012 aqui em 20 de abril, discutindo seu trabalho contínuo contra o racismo e emitindo um memorando dizendo que o proposto projeto de orçamento liberado para a igreja “não é exatamente” aquele pelo qual passou.

“Tentamos apresentar um documento de apoio não culpado, mas descritivo”, disse a vereadora Fredrica Thompsett (Diocese de Massachusetts) a seus colegas ao apresentar o memorando para aprovação.

O memorando diz que há "potencialmente muitas explicações para os vários erros do documento", incluindo "muitas planilhas, muito pouco tempo" e o "discurso rápido" envolvendo duas propostas orçamentárias diferentes no final dia da sessão de janeiro do conselho.

E, disse o conselho, a decisão de agendar o Comitê Permanente Conjunto de Programa, Orçamento e Finanças's reunião no orçamento para começar no dia seguinte ao encerramento do conselho em janeiro, exigia que o conselho concordasse “com um documento final antes que o escritório do tesoureiro tivesse tempo suficiente para redigir o documento para revisão final pelo Conselho Executivo”.

Na sua mensagem para a igreja, o conselho disse que sua “decepção não foi simplesmente uma relutância em abrir mão do orçamento, mas sim uma declaração muito clara de que o orçamento enviado ao PB&F não foi aprovado pelo conselho orçamentário”.

“Em vez de perder tempo atribuindo culpas, os membros do conselho passaram rapidamente a discutir como retificar a situação dentro dos limites dos cânones”, dizia a mensagem.

A bispo presidente Katharine Jefferts Schori e a presidente da Câmara dos Deputados, Bonnie Anderson, disseram durante uma coletiva de imprensa após a reunião que o novo processo que o conselho usou para redigir o orçamento proposto não era perfeito. Ainda assim, disse Jefferts Schori, “isso abrirá o processo orçamentário tradicional para novas formas de pensar”. E Anderson disse “temos um processo que permite mais contribuições”.

Jefferts Schori observou durante a conferência de imprensa que o conselho de discrepâncias específico listado em seu memorando não pode agora ser corrigido no projeto de orçamento proposto. “Eles são simplesmente um reflexo da intenção do conselho”, disse ela.

Regras conjuntas da Convenção Geral (II.10 10 (a) exige que o conselho forneça uma proposta de orçamento para Programa, Orçamento e Finanças não menos do que quatro meses antes do início da convenção. PB&F inicia audiências sobre o orçamento em 3 de julho em Indianápolis, um dia antes do início oficial da 77ª reunião da Convenção Geral. Nem o conselho nem o PB&F estão autorizados a alterar o documento do orçamento até esse momento.

Anderson disse durante ela observações finais ao conselho que ela tem “grande fé na sabedoria coletiva do povo desta igreja e acredito que a Convenção Geral pode fazer o que for necessário para iniciar nossa renovação”.

Conselho aprovou uma série de resoluções em sua reunião de três dias sobre o racismo, incluindo uma se comprometendo a continuar treinando contra o racismo. Em sua mensagem à igreja, o conselho disse que teve uma “discussão acalorada e apaixonada” centrada em “como descobrimos as diferenças entre o treinamento anti-racismo e o treinamento de diversidade e inclusão”.

O racismo, Jefferts Schori disse durante suas observações finais, “como todo pecado, tem consequências que continuam e nossas dificuldades em falar sobre racismo são simplesmente uma expressão de algumas dessas consequências. Não será curado nesta vida, mas somos chamados a continuar a lutar contra ele. ”

O Conselho Executivo encerrou sua reunião com a Eucaristia. O Rev. Gay Jennings, membro do conselho da Diocese de Ohio cujo mandato está terminando, chamado sobre aqueles que ela chamou de "os servos da igreja" para discernir o que eles precisam abandonar para que possam "agarrar-se a algo novo e diferente que é vivificante e transformador".

“O que nós, como igreja, precisamos abraçar para sermos livres e transformados à Sua semelhança de glória em glória?” ela perguntou

“Precisamos lembrar que estamos no negócio da restauração da criação, juntos. Chega de escolhas falsas entre missão e governança ”, disse Jennings. “Chega de guerras falsas entre indivíduos ou grupos. Chega de disputar terreno, poder ou controle. Em vez disso, temos que encontrar maneiras de olhar para frente juntos e imaginar e encarnar o futuro que Deus nos chama para abraçar - e oro para que nos joguemos nele com total abandono ”.

Também em 20 de abril, conselho:

  • Enviou um A resolução à Convenção Geral que reafirmaria o apoio da Igreja aos esforços para ajudar a Diocese do Haiti em seu trabalho de reconstrução pós-terremoto.
  • Ouvi aquela imobiliária Cushman e Wakefield está começando o que o membro do conselho Rev. Canon Tim Anderson (Diocese de Nebraska) chamou de um estudo “muito abrangente” de bens imóveis de propriedade da Sociedade Missionária Doméstica e Estrangeira da Igreja Episcopal. O bispo Stacy Sauls, chefe de operações da Igreja Episcopal, disse ao comitê de Finanças para a Missão do conselho um dia antes que o estudo envolve tanto o Centro da Igreja Episcopal em 815 Second Ave. em Nova York e um quarteirão em Austin, Texas, que foi comprado com o intenção de construir um novo edifício para o arquivo da Igreja Episcopal. Ele e Anderson disseram que o estudo também exploraria questões como o custo de realocar o centro da igreja e seu impacto na equipe. O estudo está sendo financiado por Diocese de Los Angeles Bispo Jon Bruno, disseram os dois.
  • Ouvi a apresentação de um plano de negócios para uma Cooperativa Missionária Nacional e Estrangeira, que Sauls disse que seria projetada para ser uma coalizão voluntária de dioceses, congregações e outras instituições afiliadas à Igreja para compartilhar serviços profissionais e realizar economias de escala. Ele propôs iniciar um projeto piloto com cinco dioceses compartilhando serviços contábeis e financeiros, com a intenção de expandir para incluir mais participantes e incluir a compra de outros bens e serviços. Sauls sugeriu que as funções administrativas das dioceses poderiam cruzar suas fronteiras geográficas “sem separar o bispo do povo”. Haveria uma taxa pelos serviços, disse Sauls, mas os participantes economizariam no custo geral. O projeto de orçamento para o triênio 2013-2015 inclui o capital inicial para a cooperativa, mas o projeto se tornaria autossustentável em cinco anos, disse ele. Os membros do conselho instaram Sauls a usar fornecedores locais e ele concordou, dizendo que suspeitava que usar esses fornecedores seria um fator para obter economia.
  • Aprovou um manual do funcionário completamente revisado para funcionários da Sociedade Missionária Nacional e Estrangeira. Jennings, membro do comitê de Governança e Administração da Missão, disse que os meses de trabalho dedicados ao projeto foram um modelo de como os membros do conselho e a equipe podem trabalhar juntos. Ela também destacou John Colon, diretor de gestão de recursos humanos, dizendo que ele era "cortês, elegante [e] conhecedor".
  • Passou algum tempo avaliando o trabalho do conselho durante o triênio e a experiência dos membros em seu serviço no conselho. A avaliação foi realizada por meio de conversas de mesa com comentários postados no site da extranet dos membros. Não houve discussão em grupo.

O Conselho Executivo executa os programas e políticas adotadas pela Convenção Geral, de acordo com Canon I.4 (1) (a). O conselho é composto por 38 membros, 20 dos quais (quatro bispos, quatro sacerdotes ou diáconos e 12 leigos) são eleitos pela Convenção Geral e 18 (um clero e um leigo) pelos sínodos provinciais para mandatos de seis anos, mais o presidente bispo e o presidente da Câmara dos Deputados.

A cobertura anterior da ENS à reunião de Salt Lake City é plítica de privacidade .

- A Rev. Mary Frances Schjonberg é editora / repórter do Episcopal News Service.


Tags