Em Londres, o movimento Occupy disse que Jesus se juntaria a eles

Pela equipe do USPG
Postado em 31 de janeiro de 2012

[USPG] Os residentes do acampamento Occupy London fora da Catedral de St. Paul estão desafiando a igreja e a sociedade a considerar sua posição na economia global.

Em declarações à agência missionária USPG, com sede no Reino Unido, os residentes do acampamento - agora com seu 100º dia - estavam claros em sua crença de que os cristãos deveriam estar do lado dos marginalizados e dos pobres e contra a busca pelo lucro a qualquer custo.

A residente Tammy Samede disse: “O próprio Jesus foi um manifestante. Ele lutou por justiça econômica e social. Ele expulsou os agiotas do templo porque estavam se aproveitando dos pobres ”.

Samede expressou sua gratidão pelo apoio cristão ao Ocupe Londres - incluindo planos para um Círculo de Oração a ser formado ao redor do acampamento no dia em que as ordens de despejo forem finalmente emitidas (esperado no final de janeiro).

O ativista George Barda disse: “Somos parte de um movimento global. Se um número suficiente de pessoas estiver inspirado, temos a chance de enfrentar as questões de injustiça global. Temos um sistema em que o lucro é colocado acima do desenvolvimento e do meio ambiente. Qualquer coisa que tenha a ver com valores está na hierarquia inferior, de modo que estamos tentando desesperadamente juntar os cacos causados ​​pelo impulso institucionalizado de maximizar o lucro.

“Trata-se de estabelecer uma estrutura global que enfrentará a pobreza e a injustiça. Eu apoio a ideia de revolução compassiva. Esta foi a mensagem de Jesus. Ele falou sobre virar o mundo de cabeça para baixo. Precisamos tomar o poder do topo e redistribuí-lo para a maioria de forma compassiva. ”

Matthew Varnham, um residente que também atua como representante legal do acampamento, disse: “Não estamos dizendo que temos a resposta. Trata-se de encorajar as pessoas a terem uma discussão sobre como queremos que seja a nossa sociedade e como queremos que seja o nosso mundo.

“O movimento Occupy representa uma oportunidade de realmente se envolver com as questões de uma forma que não estava disponível antes. O impulso está aqui - devemos aproveitá-lo ao máximo. ”

A presidente-executiva do USPG, Janette O'Neill, explicou que o USPG está trabalhando ativamente com parceiros internacionais da igreja para combater a injustiça e a lacuna da pobreza. “Seja qual for a sua visão do Occupy, eles estão trazendo questões importantes à atenção da sociedade e da igreja”, disse ela. “Em tudo isso, oramos para que a mensagem de Cristo seja superior, exortando todos nós a escolher a compaixão e a justiça em vez da ganância.”


Tags


Comentários (3)

  1. Cristina McCann diz:

    Certo, Jesus apoiaria os 99% (ou mesmo 95%). A teologia de Jesus era radical, anti-establishment e ele não gostaria de ver tamanha disparidade na situação das pessoas como há nas sociedades ocidentais.

  2. Então todo aquele negócio de “Meu reino não é deste mundo” vai direto para a lata de lixo? O Jesus episcopal infinitamente maleável, que foi criado à imagem e semelhança da própria Igreja Episcopal e que acredita em tudo o que os epicopais precisam que ele acredite, nunca deixa de fascinar.

  3. Michael Cadaret diz:

    Isso mesmo, Christopher. O reino de Jesus não é deste mundo, o que significa que ele não se importa com o que os reis deste mundo façam. Espere, isso não parece certo.

Comentários estão fechados.