Canterbury comemora o Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças

Pelo pessoal da ENS
Postado em 18 de novembro de 2011

[Serviço de Notícias Episcopais] O arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, disse em 18 de novembro que as comunidades religiosas devem se unir em torno do próximo Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças "para a proteção e o desenvolvimento de nossas crianças"

A Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças A iniciativa é um esforço global para mobilizar organizações seculares e religiosas a trabalhar juntas pelo bem-estar das crianças e destacar o importante papel que as comunidades religiosas podem desempenhar na promoção dos direitos da criança, de acordo com uma notícia liberar sobre a declaração de Williams. O dia de oração e ação é realizado todos os anos perto de 20 de novembro para coincidir com Dia Universal da Criança e o aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança.

A declaração do arcebispo segue:

“Este domingo, 20 de novembro de 2011, é o Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças. Este dia foi promovido pela UNICEF, Religions for Peace, Save the Children e outras agências para focar a atenção do mundo no bem-estar de nossas crianças. Em todas as comunidades de fé, nossos filhos são o tesouro que valorizamos sem preço. Uma criança nascida com saúde e segurança é um sinal de esperança em nossa vida comum. Nas crianças, reconhecemos a preciosidade e a dignidade do ser humano, bem como uma vulnerabilidade que exige nosso cuidado e proteção.

“O tema deste ano é“ acabar com a violência contra as crianças ”. A violência contra as crianças assumirá muitas formas em diferentes contextos - todos exigindo nossa ação e oração. Depois de visitar o leste do Congo no início deste ano, mantenho em minhas orações especialmente as crianças afetadas pelo conflito armado. Eu conheci crianças que sofreram um horror inimaginável, atacadas, sequestradas, forçadas a formas de vida brutalizantes - e ainda, em meio à angústia, também encontrei preciosas chamas de esperança, onde igrejas e comunidades locais se esforçaram para proteger e restaurar a vida de seus filhos . Tive o privilégio de conhecer um grupo de jovens que agora estão envolvidos em uma iniciativa de paz. Eles foram levados para a milícia quando crianças e forçados a cometer atos terríveis, mas a igreja continuou a estendê-los e chamá-los de volta. Muitos me disseram: “A igreja nunca desistiu de nós”. Eu sei que o UNICEF tem apoiado comunidades religiosas que fazem um trabalho semelhante para reabilitar crianças-soldados em outros países.

“No leste do Congo, também testemunhei o trabalho de comunidades religiosas ajudando crianças que haviam sido vítimas de violência sexual. Ouvi falar de igrejas e suas comunidades que reconstruíram repetidamente suas escolas, destruídas no conflito. Eles disseram que seus filhos e o futuro deles eram preciosos demais para não agirem e agirem novamente.

“Exorto todos nós, em igrejas e outras comunidades religiosas em todo o mundo, a nos unirmos neste Dia Mundial de Oração e Ação para a proteção e o florescimento de nossas crianças.”


Tags